segunda-feira, 13 de julho de 2015

Tatuzão chega ao Jardim de Alah com mais de um mês de antecedência



Parte da futura estação foi preenchida com água para receber o equipamento

Em uma solução inédita de engenharia e com 35 dias de antecedência, o Tunnel Boring Machine (TBM) – conhecido como Tatuzão – chegou ao Jardim de Alah nesta sexta-feira (10/07). Parte da estação foi preenchida com água para receber a tuneladora, que vinha escavando por baixo do canal do Jardim de Alah. Esta técnica chama-se breakthrough submerso e foi utilizada para equilibrar a pressão do terreno e permitir que o Tatuzão continuasse operando em ambiente similar ao que estava sob o canal. O método – comumente utilizado no exterior e empregado recentemente em obras de metrô da Alemanha, China, Itália, Argentina e Estados Unidos – foi utilizado pela primeira vez no Brasil.

O Tatuzão chegou submerso à estação e, agora, finaliza a construção e vedação do túnel neste trecho. Em seguida, a estação começará a ser esvaziada para que o Tatuzão possa ser arrastado pelo corpo da estação. O equipamento permanecerá por cerca de 40 dias no Jardim de Alah, onde passará por manutenção programada.

Em seguida, escavará sob leito da Avenida Ataulfo de Paiva, no Leblon, até a Estação Antero de Quental, onde está previsto para chegar na segunda quinzena de outubro. Em dezembro, a tuneladora chega na região do Alto Leblon, onde irá se conectar ao túnel escavado da Barra da Tijuca em direção à Zona Sul.

Tatuzão escavou 2 mil metros de túnel

Entre as estações General Osório e Jardim de Alah, o Tatuzão escavou aproximadamente 2 mil metros de túnel. Ao todo, dos 16km de túneis de via – por onde vão passar os trens – entre a Barra e Ipanema, 12km estão completamente abertos e quatro das seis estações, 100% escavadas e em fase de acabamentos. Entre a Barra da Tijuca e Ipanema, já há, inclusive, mais de 14,5km metros de trilhos instalados.

Amplamente utilizado em obras de metrô nas principais metrópoles do mundo, como Nova York, Londres e Frankfurt, o equipamento foi fabricado na Alemanha, sob medida para o solo do Rio de Janeiro. A tuneladora tem 2,7 mil toneladas e 120 metros de comprimento por 11,5 metros de diâmetro, o equivalente a um prédio de quatro andares. Ao mesmo tempo em que escava, a máquina instala as aduelas, anéis de concreto que formam os túneis. Todas as 2.754 aduelas necessárias para a construção do túnel entre Ipanema e Gávea já foram produzidas e estão estocadas na Leopoldina.

Confira as fotos no Flickr: http://bit.ly/1Tx1rkd


Nenhum comentário:

Postar um comentário