quinta-feira, 6 de outubro de 2011

Linha 4 do Metrô Rio será inaugurada no fim de 2015

05/10/2011 - Diário Democrático

A informação é do secretário-chefe da Casa Civil, Regis Fichtner, que participou nesta quarta-feira (5), do primeiro painel do Exame Fórum Rio de Janeiro - Olimpíadas - estamos atrasados? -, no auditório da Bolsa do Rio, no Centro. A obra é a principal contribuição do Estado para a melhoria da malha viária da cidade em função do megavento.

Serão seis estações – de General Osório ao Jardim Oceânico, passando por Ipanema, Leblon, Gávea e São Conrado, construídas em menos de cinco anos. O desafio é grande porque os prazos são curtos. Não podemos perder um dia. O cronograma está em dia, mas não podemos atrasar, afirmou o secretárioao Ao lado do presidente do Conselho Público Olímpico, Henrique Meirelles, do presidente do Comitê Organizador Rio 2016, Carlos Nuzman, e da presidente da Empresa Olímpica Municipal, Maria Silvia Bastos Marques.

Se a Linha 4 causa alguma preocupação, as outras obras importantes a cargo do Governo do Estado para os Jogos não serão problema, segundo Fichtner. O Maracanã está sendo reformado para a Copa do Mundo de 2014 e será reinaugurado em fevereiro de 2013. O Estádio de Remo da Lagoa, pronto desde o Pan-Americano, precisará apenas de algumas obras secundárias complementares. No Maracanãzinho, onde serão disputadas as partidas de vôlei, não há necessidade sequer de melhorias. Reformado para o Pan de 2007, é o primeiro equipamento esportivo totalmente pronto para as Olimpíadas.

Na área de segurança pública, também responsabilidade do Estado, Fichtner disse que a meta é completar, até 2014, a pacificação das grandes comunidades dominadas por bandidos. No momento, há 17 Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs) instaladas e, ao final do projeto, serão 40. Ele também citou a construção do sofisticado e moderno Centro de Comando e Controle da Secretaria de Segurança, na Cidade Nova, e da Cidade da Polícia, em Manguinhos, como dois outros fatores decisivos para o fortalecimento do combate à criminalidade no estado. Ambas as obras serão inauguradas em meados de 2012.

O centro de comando vai reunir as forças policiais dos três níveis de governo que irão dispor de uma sala de crises, monitorando o estado inteiro. E a Cidade da Polícia vai reunir e integrar todas as delegacias especializadas, hoje espalhadas pela cidade, num só lugar, e num lugar dos mais conflagrados do Rio, dispondo de tecnologia de ponta. Este projeto será muito importante para a segurança dos Jogos, projetou Fichtner.

Por fim, outro desafio do Estado para as Olimpíadas, segundo o secretário, será completar o programa de saneamento do sistema lagunar da Barra e Jacarepaguá. Ele garantiu que em 2016 as lagoas já não estarão recebendo esgoto in natura. O próximo passo é assegurar recursos para fazer a dragagem das lagoas. Já estamos em negociações com o governo federal em busca de uma fonte de financiamento, revelou o secretário.

Os outros componentes do painel fizeram as apresentações das obras e projetos correspondentes. Todos, a exemplo do Estado, garantiram que a preparação em cada área está em dia e mostraram-se satisfeitos com o ritmo do trabalho. Apenas Nuzman apontou deficiência na área de serviços e de recursos humanos. Ao final, todos responderam a perguntas e esclareceram dúvidas da plateia.

Depois do almoço, o Fórum prosseguiu com os painéis Olimpíadas – As oportunidades de negócios para o setor privado e A revolução nos serviços, com a participação de autoridades e especialistas, como o secretário municipal de Turismo, Antônio Pedro Figueira de Melo, o diretor de Inclusão Social e de Crédito do BNDES, Élvio Gaspar, e o professor da Fundação Getúlio Vargas, José Cezar Castanhar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário