quarta-feira, 26 de maio de 2010

Estação de metrô Cidade Nova deve ficar pronta até final de junho




Falhas técnicas, atrasos e superlotação. Esses são alguns dos problemas que viraram rotina nas estações de metrô do Rio de Janeiro. Para tentar melhorar o serviço, cerca de 400 operários trabalham nas obras de mais uma estação, a Cidade Nova, que vai nascer na ligação entre as linhas 1 e 2.
Inicialmente prevista para março deste ano, a estação de superfície deve ser entregue à população até o fim de junho. Os tapumes da plataforma serão retirados e o metrô ganhará mais uma parada. O terminal ficará entre as estações de São Cristóvão, ponta da Linha 2, e a Central do Brasil, na Linha 1.
O principal acesso à nova estação será a passarela que já está sobre a Avenida Presidente Vargas, no Centro da cidade. Muito moderna, ela será parte envidraçada e terá escadas rolantes e elevadores, mas o que as pessoas que vão passar por lá querem realmente saber é se o serviço oferecido pelo metrô vai melhorar.
As queixas contra o metrô ganharam força em dezembro do ano passado. Foi quando os trens vindos da Pavuna, Linha 2, puderam continuar pela Linha 1 até Botafogo, na Zona Sul da cidade. A ligação 1A tornou o transporte um caos: superlotação, queixas sobre o ar condicionado e enguiços. Problemas que mancharam a imagem do metrô.
O metrô garante que tudo já está normalizado e que a estação Cidade Nova não bvai mudar nada a rotina de quem usa o sistema, e nem vai acontecer o que os passageiros mais querem: uma redução no tempo entre os trens, que num dia normal, sem enguiços, fica entre 5 minutos e meio a seis minutos.
“Você só consegue diminuir intervalo se você tiver mais trem para botar entre um e outro. E isso só vai ser possível com os novos trens”, disse Joubert Flores, diretor da concessionária Metrô Rio, que aproveitou para falar sobre a chegada de novos vagões: “O primeiro trem, o protótipo, chega no segundo semestre de 2011. E a partir daí você tem dois trens a cada dois meses”.
AtrasosPela manhã, dois problemas interromperam a circulação dos trens na Linha 2 do metrô. Na estação Uruguaiana, no Centro do Rio, a porta de uma das composições não fechou e os passageiros também tiveram que descer. De acordo com o Metrô Rio, por medida de segurança os passageiros foram orientados a desembarcar e o trem foi retirado de circulação.
Mais cedo, por volta das 7h20, ainda segundo a concessionária, na estação Engenheiro Rubens Paiva, uma composição da Linha 2, que seguia no sentido Pavuna, apresentou problema no sistema de ar comprimido. O trem também teve que ser substituído e os passageiros foram retirados da composição. As linhas 1 e 2 ficaram com atraso nos intervalos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário