quinta-feira, 31 de julho de 2014

Rio: Consórcio não comparece a reunião sobre problemas na Linha 4 do metrô

30/07/2014 - Jornal do Brasil
 
Engenheiros, representantes do Ministério Público e moradores de Ipanema participaram, na última terça-feira (29), de uma reunião na sede da Sociedade dos Engenheiros e Arquitetos do Rio de Janeiro (Seaerj) sobre os problemas nas obras do metrô da Linha 4. De acordo com a Seaerj, o consórcio - formado pelas construtoras Odebrecht Infraestrutura, Carioca Engenharia e Queiroz Galvão - foi convidado para o evento através de um ofício, contudo, não compareceu.

A assessoria da Linha 4 informou, através de nota, que "todos os esclarecimentos sobre o evento de 11 de maio, ocorrido na Rua Barão da Torre, em Ipanema, foram prestados à comunidade". "Além de duas coletivas à imprensa, o Consórcio Linha 4 Sul, responsável pela implantação da Linha 4 entre Ipanema e Gávea, recebeu moradores, síndicos e representantes de associações de moradores em reuniões no canteiro administrativo. Também distribuiu folhetos com perguntas e respostas e divulgou os esclarecimentos nas redes sociais da Linha 4, inclusive com vídeos explicativos, e no Informe bimestral da Linha 4. O Consórcio Linha 4 Sul não participa de debates, mas colocou-se à disposição da presidente da Sociedade dos Engenheiros e Arquitetos do Estado do Rio de Janeiro (Seaerj), para recebê-la no canteiro de obras", informou a assessoria. 

Em maio deste ano, um afundamento no solo provocou o surgimento de duas crateras na obra, entre as ruas Teixeira de Melo e Farme de Amoedo. Os moradores queriam explicações do consórcio sobre o que está sendo feito na obra e quais foram as causas do acidente. O Rio Trilhos e o Ministério Público do Estado foram chamados, mas só o  MP compareceu.

>>'Falha geológica é uma mentira', diz engenheiro sobre cratera em Ipanema

>> Acidente em obra do metrô do Rio deixa um morto e um ferido

>> Deputado pede audiência para avaliar crateras nas obras do metrô em Ipanema

>> Defesa Civil e consórcio vão apresentar plano de emergência após cratera

>> Moradores de Ipanema pretendem entrar com ação contra empreiteiras da Linha 4



"Nem se queria discutir mais o que causou o problema. O que os moradores queriam era transparência no caso. Queríamos ver qual a nova metodologia adotada, tudo foi feito para isso. Mas no momento em que o consórcio não aparece nem a Rio Trilhos, que também foi chamada, os moradores, muitas vezes leigos, começam a pensar o que quiser, que há riscos, enquanto o consórcio deveria ir lá e simplesmente explicar sua posição", comenta o conselheiro da Seaerj, Nilo Ovídio, responsável pela parte de eventos.

O engenheiro Fernando Azevedo é morador do bairro e parte do grupo Projeto de Segurança de Ipanema (PSI). Ele estava presente no debate, o qual classificou como "péssimo". "Estávamos ali esperando esclarecimentos por parte do consórcio e eles não apareceram", comenta.

O Ministério Público, por sua vez, esteve presente na reunião. Durante o debate, ideias como uma auditoria e termos de ajustamento de conduta foram colocados como possíveis providências a serem tomadas com o apoio do MP.

"Fizemos um debate entre a gente, e solicitamos que o MP peça uma auditoria no gerenciamento de risco. O consórcio está controlando tudo. Vamos tentar exigir junto ao Ministério Público, que se continue com a obra com um plano de gerenciamento de risco, fiscalizado por uma empresa estrangeira. E também fazer um monitoramento em tempo real". Segundo o morador, eles também foram informados sobre novas técnicas que seriam utilizadas na obra "mas como eles não compareceram, nem Metrô, nem Rio Trilhos, não sabemos que método novo é esse", completa.

Sobre o tema, a assessoria da Linha 4 diz que "os estudos de sondagens, investigações geológicas e ensaios de caracterização do subsolo que precederam a obra mostraram que o Tunnel Boring Machine (TBM), o 'Tatuzão', é o equipamento mais adequado e seguro para executar este tipo de obra na Zona Sul do Rio de Janeiro. Por este motivo, foi o método adotado e será mantido".

O promotor de Justiça, do Ministério Público do Rio de Janeiro do Estado do Rio de Janeiro (MP-RJ), José Alexandre Mota, explicou que foi feito um pedido para que a obra permaneça parada até a análise dos documentos. O MP foi procurado mas não respondeu até o fechamento desta matéria. 

De acordo com a assessoria da Linha 4, esta informação não procede. "A decisão de interromper a escavação do túnel sob a Barão da Torre foi tomada pelo Consórcio Linha 4 Sul, responsável pela implantação da Linha 4 entre Ipanema e Gávea. Isso ocorreu assim que foi constatado o primeiro desnível na superfície da Rua Barão da Torre, em maio. A área foi isolada imediatamente, a escavação, suspensa, e o plano de contingência, acionado. Simultaneamente, através da análise das leituras do monitoramento, verificou-se que não havia nenhum risco para as fundações dos edifícios do entorno, pois se tratava de um evento localizado. Com a área isolada, as cavidades foram preenchidas com concreto e foi iniciado o processo de compactação do solo", diz. 

Ainda segundo a assessoria, as obras da Linha 4 do Metrô (Barra da Tijuca – Ipanema) seguem normalmente. Apenas as escavações do túnel sob a Rua Barão da Torre, em Ipanema, estão interrompidas temporariamente, até que seja concluído o tratamento de solo para devolver a compressão ao subsolo da Rua Barão da Torre próximo à esquina com a Rua Farme de Amoedo.

domingo, 27 de julho de 2014

Praça Nossa Senhora da Paz começa a ser devolvida à população

27/07/2014 - Jornal do Brasil
 
Neste domingo (27), a Praça Nossa Senhora da Paz começa a ser liberada pela Linha 4 do Metrô (Barra da Tijuca - Ipanema), que há um ano e nove meses iniciou a construção da estação. Depois de pronta, a Estação Nossa Senhora da Paz vai atender a demanda por transporte de alta capacidade  da região, além de aquecer o comércio do entorno e beneficiar o meio ambiente, com a redução do uso de carros de passeio.

A partir deste domingo, quase metade (46%) da praça estará aberta ao público. O espaço foi reurbanizado e teve seus equipamentos públicos e monumentos restaurados. Além do parquinho infantil e da Academia da Terceira Idade, que sempre estiveram acessíveis, a população poderá utilizar, agora, a área próxima às ruas Joana Angélica e Barão da Torre. Ali estão o coreto, os monumentos 'Crianças brincando de roda', da artista plástica Lúcia Guerreiro, e 'A menina dos balões encantados', da artista plástica Sandra Guinle, o laguinho e a figueira mais antiga da praça.

Neste domingo (27), a Praça Nossa Senhora da Paz começa a ser liberada pela Linha 4 do Metrô (Barra da Tijuca - Ipanema), que há um ano e nove meses iniciou a construção da estação. / Foto: Consórcio Linha 4 do MetrôNeste domingo (27), a Praça Nossa Senhora da Paz começa a ser liberada pela Linha 4 do Metrô (Barra da Tijuca - Ipanema), que há um ano e nove meses iniciou a construção da estação. / Foto: Consórcio Linha 4 do MetrôNeste domingo (27), a Praça Nossa Senhora da Paz começa a ser liberada pela Linha 4 do Metrô (Barra da Tijuca - Ipanema), que há um ano e nove meses iniciou a construção da estação. / Foto: Consórcio Linha 4 do MetrôNeste domingo (27), a Praça Nossa Senhora da Paz começa a ser liberada pela Linha 4 do Metrô (Barra da Tijuca - Ipanema), que há um ano e nove meses iniciou a construção da estação. / Foto: Consórcio Linha 4 do MetrôNeste domingo (27), a Praça Nossa Senhora da Paz começa a ser liberada pela Linha 4 do Metrô (Barra da Tijuca - Ipanema), que há um ano e nove meses iniciou a construção da estação. / Foto: Consórcio Linha 4 do MetrôNeste domingo (27), a Praça Nossa Senhora da Paz começa a ser liberada pela Linha 4 do Metrô (Barra da Tijuca - Ipanema), que há um ano e nove meses iniciou a construção da estação. / Foto: Consórcio Linha 4 do MetrôNeste domingo (27), a Praça Nossa Senhora da Paz começa a ser liberada pela Linha 4 do Metrô (Barra da Tijuca - Ipanema), que há um ano e nove meses iniciou a construção da estação. / Foto: Consórcio Linha 4 do MetrôNeste domingo (27), a Praça Nossa Senhora da Paz começa a ser liberada pela Linha 4 do Metrô (Barra da Tijuca - Ipanema), que há um ano e nove meses iniciou a construção da estação. / Foto: Consórcio Linha 4 do MetrôNeste domingo (27), a Praça Nossa Senhora da Paz começa a ser liberada pela Linha 4 do Metrô (Barra da Tijuca - Ipanema), que há um ano e nove meses iniciou a construção da estação. / Foto: Consórcio Linha 4 do MetrôNeste domingo (27), a Praça Nossa Senhora da Paz começa a ser liberada pela Linha 4 do Metrô (Barra da Tijuca - Ipanema), que há um ano e nove meses iniciou a construção da estação. / Foto: Consórcio Linha 4 do Metrô
Nesta primeira fase de liberação parcial da praça foram replantadas cinco palmeiras jerivás que tinham sido transplantadas desta área da praça. Além dessas, foram plantadas nove novas árvores (um oiti e oito unidades de flamboyant-mirim) e outros 87 exemplares (nove manacás, 12 colônias, 44 esponjinhas e 22 filodendros). Ao final das obras, serão feitos novos replantios de árvores que foram transplantadas para viabilizar a execução dos serviços no local.

As obras na Nossa Senhora da Paz continuam no subsolo e em parte da praça. A estação de metrô terá dois acessos na área externa da área de lazer: um pela Rua Joana Angélica e outro pela Rua Maria Quitéria. Ela vai atender, a partir de 2016, a necessidade de transporte público de 47 mil pessoas por dia. A viagem entre a Estação Jardim Oceânico, na Barra da Tijuca, e a Nossa Senhora da Paz vai durar pouco mais de 13 minutos. E da Nossa Senhora da Paz à Carioca, no Centro, 18 minutos.

Nesta primeira fase de liberação parcial da praça foram replantadas cinco palmeiras jerivás que tinham sido transplantadas desta área da praça. Além dessas, foram plantadas nove novas árvores (um oiti e oito unidades de flamboyant-mirim) e outros 87 exemplares (nove manacás, 12 colônias, 44 esponjinhas e 22 filodendros). Ao final das obras, serão feitos novos replantios de árvores que foram transplantadas para viabilizar a execução dos serviços no local.
As obras na Nossa Senhora da Paz continuam no subsolo e em parte da praça. A estação de metrô terá dois acessos na área externa da área de lazer: um pela Rua Joana Angélica e outro pela Rua Maria Quitéria. Ela vai atender, a partir de 2016, a necessidade de transporte público de 47 mil pessoas por dia. A viagem entre a Estação Jardim Oceânico, na Barra da Tijuca, e a Nossa Senhora da Paz vai durar pouco mais de 13 minutos. E da Nossa Senhora da Paz à Carioca, no Centro, 18 minutos.








sexta-feira, 25 de julho de 2014

RJ vai licitar em setembro expansão de três linhas de metrô

25/07/2014 - Terra

A Linha Estácio-Carioca-Praça XV terá três estações, percorrendo um trecho de 3,7 quilômetros.

O governo do Rio de Janeiro vai licitar em setembro os projetos básicos de três novas linhas de metrô: Estácio-Carioca-Praça XV, Uruguai-Engenhão e Jardim Oceânico-Alvorada-Recreio. Segundo o governo estadual, os novos trechos vão suprir uma demanda de 912 mil passageiros por dia.

A Linha Jardim Oceânico-Alvorada-Recreio vai ter 14 estações e percorrerá 16,9 quilômetros. A estimativa é de que 302 mil passageiros circulem no trecho por dia. Já a Linha Uruguai-Engenhão receberá seis estações em um trecho de 8,9 quilômetros. A previsão de demanda é de 160 mil passageiros por dia. A Linha Estácio-Carioca-Praça XV terá três estações, percorrendo um trecho de 3,7 quilômetros. A demanda estimada é de 450 mil passageiros por dia.

Além disso, um grupo de trabalho foi criado na quinta-feira para desenvolver estudos visando à Linha Pavuna-Baixada Fluminense. "Os objetivos são definir o traçado desse trecho e conhecer a demanda de passageiros e o número de estações necessárias" afirmou em nota a secretária de Transportes, Tatiana Carius.

Fonte: Portal Terra Brasil 

Praça Nossa Senhora da Paz, em Ipanema, terá novo espaço livre de tapumes

25/07/2014 - O Globo



RIO — Após um ano e nove meses cercada por tapumes e polêmica, a Praça Nossa Senhora da Paz, em Ipanema, começa a ser devolvida à população no domingo. O espaço foi parcialmente interditado por conta das obras da Linha 4 do metrô (Barra-Zona Sul) e reabre com nova urbanização. Cerca de 30% de área interditada serão reabertos, com direito a festa para as crianças. O trecho, próximo às ruas Joana Angélica e Barão da Torre, somado ao cantinho da praça que não foi interditado, terá agora um total de 46% de área livre de obras. A outra metade deverá ser liberada no fim do projeto, no primeiro semestre de 2016, quando a estação Nossa Senhora da Paz estará pronta, com capacidade para o embarque e desembarque de 47 mil passageiros por dia.

No espaço que será reaberto estão o coreto, dois monumentos, o laguinho e uma das figueiras mais antigas da praça. O lago recebeu novo sistema de oxigenação da água, o que ajudou a aumentar a população de peixes: cerca de mil carpas e 800 tilápias, segundo o consórcio responsável pelas obras do metrô. O funcionário encarregado geral do canteiro de obras ficou com a tarefa de cuidar da figueira quase centenária e alimentar os peixes durante a interdição da área.

PROJETO INCLUI ILUMINAÇÃO E CALÇADAS RECUPERADAS

O coreto e os monumentos foram restaurados de acordo com as características originais da praça, conforme orientação do Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, garante o consórcio. A área devolvida terá ainda nova iluminação, calçada recomposta, bancos reformados e projeto de paisagismo.

Além disso, serão replantados sete palmeiras e um coqueiro, que haviam sido retirados da praça. E dentro da compensação ambiental, outros 96 exemplares, como oiti, flamboyant-mirim e manacás, também serão replantados. O consórcio garante que, ao fim das obras, serão feitos novos replantios de árvores retiradas.

O secretário estadual da Casa Civil, Leonardo Espíndola, comemora a reinauguração do trecho da praça aos moradores:

— A revitalização do espaço é sinal do compromisso do estado com a qualidade de vida dos moradores. Esta é uma demonstração clara de que os impactos temporários provocados pela obra são substituídos por melhorias permanentes na vida da população.

CANTEIRO POLÊMICO

A interdição parcial da praça para obras do metrô não agradou aos moradores, que chegaram a recorrer à justiça. Em outubro de 2012, o estado conseguiu na Justiça suspender a liminar que determinava a paralisação da obra. A ação cautelar fora movida por moradores do bairro, que protestaram contra o projeto que obstruía a área de lazer. Eles reivindicavam uma outra alternativa para a construção da estação.

O grupo promoveu manifestações e conseguiu um abaixo-assinado com mais de 16 mil adesões contra a interdição parcial do espaço e a retirada de árvores centenárias. A praça, então, mesmo durante as obras, teve um pedaço aberto ao público. Ignêz Barreto, coordenadora da ONG Projeto Segurança de Ipanema, reclama que a praça não será devolvida respeitando o paisagismo original:

— Embora tenham alardeado que as árvores seriam replantadas, só tem palmeirinhas. Não estão devolvendo de acordo como era. Houve crime ambiental, derrubaram árvores centenárias.

segunda-feira, 21 de julho de 2014

Metrô começa os testes em abril de 2016

19/07/2014 - Lancenet

O governo do estado finalmente anunciou a data em que a linha 4 do metrô, que ligará a Barra da Tijuca à Zona Sul, iniciará seus testes de operação: abril de 2016. Até então, a única informação era a de que a nova opção de transporte funcionaria no primeiro semestre, antes do início dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos do Rio.

Nove quilômetros de túneis já foram escavados e faltam dois quilômetros para alcançar a Gávea. E um quilômetro e 300 metros de trilhos já foram colocados no trecho entre a Barra da Tijuca e São Conrado.

A Linha 4 terá 16 quilômetros de extensão e seis estações: Jardim Oceânico, São Conrado, Gávea, Antero de Quental, Jardim de Alah e Nossa Senhora da Paz. A previsão é a de que o percurso entre o bairro da Zona Oeste e a Zona Sul seja feito em 15 minutos e cerca de 300 mil pessoas utilizem a linha por dia.

Um total de 1,2 Km de trilhos já foram instalados (Foto: Salvador Scofano/Divulgação)
Um total de 1,2 Km de trilhos já foram instalados (Foto: Salvador Scofano/Divulgação)



sábado, 19 de julho de 2014

Rio terá R$ 1,2 bilhão para investir no transporte

04/12/2013 - O Globo

O Banco Mundial aprovou nesta terça-feira um empréstimo de US$ 500 milhões (cerca de R$ 1,2 bilhão) para o Estado do Rio desenvolver políticas para melhorar a integração dos diferentes meios de transporte da Região Metropolitana. Segundo nota da secretaria estadual de Fazenda, os recursos serão liberados em uma parcela e investidos em uma agenda de melhoria dos serviços públicos do Governo estadual, principalmente no setor de mobilidade urbana, "para o qual será desenvolvido um plano de integração regional voltado para ônibus, trens, metro, barcas e teleféricos". Ainda segundo a secretaria, a ação permitirá a ampliação do alcance desses modais e beneficiará mais de 11 milhões de pessoas.

O projeto prevê, ainda, a implantação de serviços de monitoramento on line da operação dos diferentes modais. Essas informações serão repassadas simultaneamente aos usuários, gerenciadores e gestores, permitindo o melhor controle e gestão da operação. Com a maior integração dos meios de transporte, como trens e ônibus, haverá ainda a possibilidade de abertura de novas frentes de emprego, tendo em vista que 55% das vagas abertas estão na capital, enquanto que a maioria das famílias de baixa renda se encontra na periferia.

De acordo com o Banco Mundial, o Programa de Aperfeiçoamento da Gestão Pública para Oferta de Serviços no Rio de Janeiro também apoiará a melhoria do planejamento e da supervisão dos gastos públicos, além de um programa especial para expandir o acesso das mulheres às oportunidades sociais e econômicas (a fim de reduzir a violência doméstica e de gênero, usando a infraestrutura de transporte para oferecer serviços sociais de apoio às mulheres). Outro objetivo é contribuir para o aumento do uso de bicicletas e melhorar a segurança nas vias dedicadas a esse meio de transporte.

O empréstimo tem vencimento final de 26 anos e dez anos de carência. Participaram da cerimônia a diretora do Banco Mundial Deborah Wetzel , o governador Sérgio Cabral, o secretário de Estado de Fazenda Renato Villela, a subsecretária de Finanças Rebeca Villagra.

quarta-feira, 16 de julho de 2014

Leblon terá novas alterações viárias a partir de sábado

15/07/2014 - Jornal do Brasil

Para continuar os serviços de tratamento de solo no canteiro de obras da Linha 4 do Metrô (Barra da Tijuca-Ipanema) na Avenida Ataulfo de Paiva, próximo ao canal da Avenida Visconde de Albuquerque, no Leblon, será necessário realizar, a partir deste sábado (19), alterações no fluxo de pedestres e veículos na região. Não haverá bloqueio nas garagens.

Na Avenida Visconde de Albuquerque, em frente à Avenida Ataulfo de Paiva, no sentido Gávea, haverá um estreitamento de pista, retornando mais à frente para duas faixas de rolamento.

Pedestres que necessitarem transitar da Avenida Visconde de Albuquerque rumo à Avenida Ataulfo de Paiva, ou vice-versa, terão que atravessar a Visconde de Albuquerque seguindo as indicações das faixas e passagens de pedestres.

Operadores de tráfego trabalharão na região para orientar condutores e pedestres. As alterações viárias foram definidas em conjunto com a CET-Rio (Companhia de Engenharia de Tráfego do Rio de Janeiro). Esta intervenção será mantida até o final da obra na região, prevista para março de 2016.?

No canteiro de obras desta área do Leblon é construído o poço que funcionará como saída de emergência e área de ventilação da Linha 4 do Metrô. Durante a obra, o poço também será usado para a adaptação do 'Tatuzão', equipamento que constrói os túneis da Linha 4 entre as estações General Osório e Gávea. A máquina estará no modo de escavação em areia e, neste local, será preparada para operar em rocha, rumo à Gávea.

Um panfleto com explicações sobre esta alteração viária está sendo distribuído a partir da tarde desta terça-feira (15) para os moradores da região impactada. Moradores do Leblon que queiram tirar dúvidas e fazer comentários sobre as obras da Linha 4 do Metrô podem ir à Central de Atendimento à Comunidade (CAC) instalada na Avenida Ataulfo de Paiva, em frente à Praça Cazuza. O atendimento à população é feito de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h, e aos sábados, das 9h às 16h. Há ainda a alternativa de atendimento pelo telefone 0800-0210620.

segunda-feira, 7 de julho de 2014

Mantega autoriza Rio a contratar empréstimo para metrô

07/07/2014 - Valor Econômico

O governo federal autorizou o Estado do Rio de Janeiro a contratar um empréstimo de R$ 4 bilhões. O dinheiro, segundo a assessoria de imprensa da Secretaria de Fazenda do Rio de Janeiro, será utilizado para obras do metrô que visam melhorar a mobilidade urbana para os Jogos Olímpicos de 2016. O aumento do limite de endividamento aconteceu após revisão anual do Programa de Ajuste Fiscal (PAF), que é realizada pelo Tesouro Nacional.

Normalmente, quando é cumprida uma série de metas como a realização de superávit primário, ou controle de gastos com pessoal, a equipe econômica permite um aumento do endividamento. Em meados de junho, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, por meio de despacho publicado no "Diário Oficial da União", autorizou a contratação de R$ 4 bilhões pelo governo do Rio de Janeiro, assim como de manutenção de operações de crédito a contratar remanescentes do Programa 2012-2014, referente ao triênio 2014-2016.

Com base nas manifestações do Tesouro Nacional e da Procuradoria Geral da Fazenda Nacional, Mantega resolveu atender o pedido integral do Estado do Rio de Janeiro e autorizou a contratação de R$ 4 bilhões. Procurado, o Tesouro Nacional não deu mais informações sobre o assunto. O Estado do Rio de Janeiro também não forneceu detalhes sobre a operação.

Segundo dados do Banco Central, o superávit primário acumulado em 12 meses até maio do Estado do Rio de Janeiro somou R$ 2,159 bilhões ante R$ 1,594 bilhão do acumulado até dezembro.

Na sexta-feira, no entanto, foram publicados no DOU dois novos despachos do ministro da Fazenda para atender os cariocas. Num deles, Mantega autoriza o Tesouro Nacional a garantir empréstimo de R$ 3 bilhões do Estado junto ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para a linha 4 do Metrô entre as estações Jardim Oceânico e General Osório. Em outro despacho, Mantega permitiu que o Tesouro dê aval em empréstimo junto ao Bird no valor de US$ 16,2 milhões.

Como o período para pegar o empréstimo no âmbito do PAF havia terminado em 31 de dezembro de 2013, o Conselho Monetário Nacional (MCN) reabriu o prazo para que Estados com espaço fiscal pudessem contratar operações de crédito até o fim deste ano.

A permissão para aumentar o endividamento ocorre em um momento em que alguns Estados precisam recorrer à Justiça para conseguir a liberação dos empréstimos autorizados pela União, se misturando ao cenário eleitoral.

Na quinta-feira, depois de longa batalha judicial que envolveu um pedido de prisão do secretário do Tesouro Nacional, Arno Augustin, o governo do Paraná recebeu R$ 817 milhões de uma linha do Proinveste, programa de financiamento do BNDES.

sábado, 5 de julho de 2014

Após paralisação, Linha 2 do Metrô volta a operar


Serviço no trecho entre as estações Pavuna e Estácio ficou cerca de 50 minutos interrompido

RAFAEL NASCIMENTO

04/07/2014 - O Globo

RIO — Depois de ficar cerca de 50 minutos com o serviço interrompido, no trecho entre as estações Pavuna e Estácio, a Linha 2 do Metrô voltou a operar, na noite desta sexta-feira. De acordo com o Metrô Rio, o problema foi provocado por oscilações de energia em uma subestação. O serviço ficou paralisado entre as 18h10m e 19h02m. Ainda segundo informações do consórcio, não há informações sobre o que motivou o incidente — as causas estão sob investigação. Os intervalos das composições já foram normalizados.

Por conta da paralisação, a prefeitura chegou a notificar a Supervia e a Fetranspor para reforçar a frota para suprir a demanda de passageiros oriundos da Fifa Fan Fast e da região do Alzirão. A Linha 1 do Metrô não foi afetada.

Read more: http://oglobo.globo.com/rio/apos-paralisacao-linha-2-do-metro-volta-operar-1-13141326#ixzz36bjTT0s5

Estado fará licitação para contratar estudo sobre novas linhas para o Metrô

Vencedora terá 12 meses para apresentar análises sobre uso do solo, demanda e viabilidade

ALESSANDRO LO-BIANCO

04/07/2014 - O Globo


Uma das composições do metrô (setembro de 2012) - Pablo Jacob / O Globo

RIO - O estado fará licitação para escolher a empresa que vai elaborar o Plano Diretor Metroviário da Região Metropolitana (PDM). Trata-se de um estudo de expansão da rede de metrô para os próximos 30 anos. A vencedora terá 12 meses para apresentar análises sobre uso do solo, demanda e viabilidade da implantação de novas linhas para ampliar o sistema no Grande Rio.

O levantamento terá como base dados do Plano Diretor de Transportes Urbanos (PDTU), que analisa informações sobre deslocamentos da população da Região Metropolitana do Rio.

FINANCIAMENTO DO BNDES

O objetivo do PDM é estabelecer novas diretrizes para os próximos governos, uma vez que os planos existentes estão em andamento, como a Linha 4, que ligará a Barra a Ipanema, e a Linha 3, entre Niterói e São Gonçalo.

O estudo conta com financiamento de R$ 4,1 milhões do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). A abertura dos envelopes será realizada no dia 19 de agosto, no auditório da Secretaria estadual de Transportes, em Copacabana.

Em abril deste ano, o estado lançou licitação para fazer o projeto básico do trecho que vai ligar a Gávea ao Largo da Carioca, no Centro, passando por jardim Botânico, Humaitá e Botafogo. Outros três trajetos também serão licitados: Jardim Oceânico-Recreio; Estação Uruguai-Engenhão e Estácio-Carioca.

Read more: http://oglobo.globo.com/rio/estado-fara-licitacao-para-contratar-estudo-sobre-novas-linhas-para-metro-13143120#ixzz36bhWIwH8

quarta-feira, 2 de julho de 2014

Rio inaugura hoje estação intermodal e trem chinês

02/07/2014 - Revista Ferroviária

A Estação Intermodal Maracanã, que une os serviços de trem e metrô e está em operação desde o início da Copa do Mundo nos dias de jogos no Rio de Janeiro, será inaugurada oficialmente hoje (02/07). O evento, previsto para as 16h30, contará com a participação do governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão; da secretária estadual de Transportes, Tatiana Carius; e dos presidentes da SuperVia e MetrôRio, Carlos José Cunha e Flavio Almada.

A comitiva realizará também a viagem inaugural do primeiro dos 70 novos trens chineses adquiridos pelo Governo do Estado para a renovação da frota da SuperVia. A concessionária deve ainda colocar em operação o seu sétimo trem nacional.