sexta-feira, 30 de maio de 2014

TCE pode suspender reajuste das passagens de trem e metrô no RJ

30/05/2014 - G1

No último dia 18, a passagem do metrô subiu de R$ 3,20 para R$ 3,50. Notificação foi aprovada nesta quinta-feira (29), por unanimidade.

O Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE-RJ) poderá suspender o reajuste de maio das passagens de trem e de metrô, caso a Agência Reguladora de Transportes Públicos do Estado do Rio de Janeiro (Agetransp) e as concessionárias Metrô Rio e SuperVia não encaminhem, em um prazo máximo de cinco dias, os dados utilizados para calcular o aumento das tarifas. A notificação foi aprovada nesta quinta-feira (29), por unanimidade, pelo plenário do TCE-RJ.

No último dia 18, a passagem do metrô subiu de R$ 3,20 para R$ 3,50 no Rio, um aumento de 5,66%. Já a do trem passou de R$ 2,90 para R$ 3,20, um acréscimo de 5,6%. Caso desobedeça às determinações da Corte de Contas, a Agetransp também poderá ser multada. "Se os dados forem enviados, vamos verificar se o cálculo das tarifas está correto", afirmou Jonas Lopes. Segundo o presidente do TCE, "desde 2006, as informações utilizadas para cálculo das tarifas não estão chegando ao Tribunal como deveriam. Há uma reiterada omissão da agência e das concessionárias".

O presidente do Tribunal também informou que o órgão poderá estender o mesmo pedido de informações sobre o cálculo das tarifas de barcas e ônibus intermunicipais. Ao longo de 2013, o TCE-RJ fez auditorias em todo o sistema de transporte público do Estado do Rio de Janeiro e verificou uma série de irregularidades nos serviços de trem, metrô, ônibus intermunicipais, barcas e teleférico do Alemão.

Fonte: Do G1 Rio 

terça-feira, 27 de maio de 2014

MetrôRio terá operação especial para jogos da Copa do Mundo

26/05/2014 - Jornal do Brasil

O MetrôRio preparou um esquema especial para transportar os milhares de torcedores que irão acompanhar os jogos da Copa do Mundo no Maracanã. Durante todo o período do torneio, o sistema funcionará com as transferências entre as duas linhas no trecho compartilhado entre as estações Central e Botafogo.

Para facilitar o deslocamento até o estádio, os torcedores deverão priorizar a estação de acordo com o portão de entrada. Todas as estações ficam em um raio de 10 minutos de caminhada do estádio e o trajeto será sinalizado com placas instaladas pela Prefeitura.

Quem tem ingressos para os portões A, B e C deve desembarcar na Estação Maracanã. A Estação São Cristóvão é prioritária para quem terá de entrar pelo portões E e F. O público que acessará o estádio pelo portão D deve utilizar a Estação São Francisco Xavier. É importante que o torcedor utilize a mesma estação de desembarque para o retorno, visando maior fluidez do sistema.

Ingresso para as partidas garante entrada gratuita no sistema

Seguindo determinação da Lei Estadual 6.363/2012, o MetrôRio franqueará a entrada dos torcedores em suas estações. O esquema de funcionamento será o seguinte:

IDA - Nas partidas válidas pela primeira fase, oitavas de final e quartas de final, o passageiro poderá embarcar em qualquer estação do sistema apresentando o ingresso em um prazo de quatro horas antes do início da partida. Na final, por conta do show de encerramento da competição, este prazo será estendido para até seis horas antes do início do evento.

VOLTA – Nas fases preliminares, as estações São Francisco Xavier, São Cristóvão e Maracanã concederão a gratuidade até duas horas após o final dos jogos. Após a partida final, o atendimento gratuito acontecerá em até duas horas após o final da cerimônia de premiação.

Torcedores terão orientação em vários idiomas

O MetrôRio disponibilizará 40 funcionários voluntários, fluentes em idiomas, que estarão à disposição nas estações de maior movimento – incluindo as do entorno do estádio - para tirar qualquer dúvida a respeito dos trajetos e acessos em direção ao Maracanã.

sexta-feira, 16 de maio de 2014

Rio: Passagens de trens e metrô terão reajuste a partir da próxima 2ª-feira

16/05/2014 - O Globo

RIO - A partir do próximo dia 19, segunda-feira, as tarifas de trens e metrô sofrerão reajuste. Os usuários que não têm o Bilhete Único (BU) vão pagar R$ 3,20 nos trens, o que equivale a alta de 10,34% sobre o valor atual, R$ 2,90. Já a tarifa do metrô vai variar 9,3%, e passará de R$ 3,20 para R$ 3,50. Essa decisão foi anunciada e publicada no Diário Oficial em março deste ano pela Agência Reguladora de Transportes (Agetransp).

Quem utiliza o Bilhete Único continuará pagando o valor de R$ 3,20 no metrô e R$ 2,90 nos trens. O estado subsidiará a diferença. Após a decisão da Agetransp, o governo e as concessionárias fizeram campanhas nas estações e nas composições do metrô e dos trens para aumentar a adesão ao bilhete único.

Neste fim de semana, seis postos estarão abertos para o cadastramento do cartão. De acordo com o MetrôRio, os novos usuários poderão procurar as estações de Coelho Neto, Pavuna, Carioca, General Osório, Estácio e Siqueira Campos. Neste sábado e domingo, os postos vão funcionar das 8h às 20h.

Para se cadastrar, basta levar os documentos de identidade e CPF. O cartão sai na hora e a carga mínima inicial é de R$ 5,25. A solicitação pode ser feita pelo site www.cartaoriocard.com.br ou em qualquer uma das lojas Riocard (incluindo a unidade da Rua da Assembleia, número 10), além de postos exclusivos montados nas estações da SuperVia - Central do Brasil (de 8h às 20h); Engenho de Dentro, Madureira, Nilópolis, Bonsucesso e Caxias (11h às 20h).

As prestações de contas das empresas terão que passar por auditorias a cada seis meses para confirmar que os valores pagos são exatamente aqueles que foram repassados, segundo uma emenda aprovada pela Alerj à lei que expandiu o BU aprovada em fevereiro. A secretaria estadual de Transportes informou que o total de usuários do Bilhete Único chega a cerca de 2,5 milhões, enquanto 700 mil pagam as passagens em dinheiro.

Com base na "tarifa de equilíbrio" de R$ 3,1241, fixada em 2013 para os trens, a agência calculou o preço ideal da passagem em R$ 3,1785. Ou seja, um reajuste de apenas 5,6%, levando-se em conta a inflação acumulada entre novembro de 2012 e novembro de 2013. No valor final, foram descontadas isenções fiscais da União, que abriu mão de cobrar PIS e Cofins de tarifas de transporte. Ao final, ao arredondar a tarifa, chegou-se a R$ 3,20. No caso do metrô, a situação é ainda mais curiosa. O reajuste autorizado foi de 5,66% (inflação acumulada de janeiro de 2013 a janeiro de 2014, descontados PIS e Cofins) em cima da "tarifa de equilíbrio" de 3,472. Chegou-se ao valor de equilíbrio de R$ 3,535. Mas, nesse caso, o arredondamento se deu para baixo. Com isso, a tarifa autorizada acabou sendo os mesmos R$ 3,50 fixados em 2013.

quinta-feira, 15 de maio de 2014

Novo vazamento preocupa vizinhos da obra do metrô de Ipanema

15/05/2014 - O Globo

Moradores reclamam da falta de segurança estrutural

Operação com tatuzão está suspensa desde o último domingo

Estrutura dos prédios não está comprometida, segundo avaliação do vice-presidente do Crea-RJ

GISELLE OUCHANA 

 Poça surgiu após novo vazamento na Rua Barão da Torre, em Ipanema Foto: Giselle Ouchana
Poça surgiu após novo vazamento na Rua Barão da Torre, em Ipanema Giselle Ouchana

RIO - Moradores da Rua Barão da Torre, em Ipanema, na Zona Sul do Rio, continuam assustados com os problemas ocasionados durante as obras do Metrô na região. Vazamentos e rachaduras não param de aparecer e tiram o sono de quem mora entre as ruas Teixeira de Melo e Farme de Amoedo. Um novo vazamento surgiu nesta quarta-feira, na entrada do prédio 133. No fim da manhã, a professora Carolina Souza, de 30 anos, saía de casa quando percebeu o problema e avisou aos técnicos do consórcio da Linha 4. Quando retornou, doze horas depois, ficou mais assustada. O buraco havia aumentado, e uma poça enorme tomava conta da calçada, mesmo local onde abriu uma cratera no último domingo.

— Ninguém fez nada. Fiz questão de mostrar o problema aos técnicos. Eles disseram que o problema seria da Cedae e quando eu cheguei em casa vi que a situação só piorava. Agora, eu disse que chamaria a reportagem e eles responderam que bombeiros do Consórcio já estavam a caminho. — contou ao GLOBO durante a madrugada desta quinta-feira.

Pouco depois dos primeiros quinze minutos desta quinta-feira, a reportagem do GLOBO chegou à Rua Barão da Torre. Alguns funcionários faziam a segurança do local, outros cumpriam o expediente. Os bombeiros chegaram por volta de 1h, mais de doze horas depois da detecção do problema pela moradora.

— É um descaso total. O que mais me deixa assustada é que os responsáveis pela obra não estão preocupados com a segurança dos moradores. O compromisso deles é entregar o trabalho pronto em 2016 e pronto — falou com indignação.

Morador do prédio 141, o psiquiatra Arão Pomeraniec, de 65 anos, 
disse não aguentar mais o descaso.

— Não dá mais para aguentar. A promessa era que esse transtorno terminasse no fim do ano passado. Nosso maior medo é que eles tenham atingido o lençol freático — ressaltou, enfatizando as rachaduras do lado de fora do prédio e também no interior de seu apartamento. As fissuras também podem ser vistas nas paredes externas do Hospital Ipanema Plus.

Segundo o vice-presidente do Crea-RJ, Manoel Lapa, durante avaliação técnica solicitada pelo Globo na tarde desta quarta-feira, a estrutura dos prédios daquela rua não foi comprometida. De acordo com Lapa, O Tatuzão, máquina usada para escavar o túnel, está sob a Rua Barão da Torre e se encontra num momento de transição entre a rocha e a areia, podendo ocorrer alguns deslizamentos do solo.

— É uma coisa que não deveria acontecer, mas pode ter ocorrido uma falha operacional - avaliou.

O engenheiro acrescentou ainda que, às vezes, o equipamento precisa de alguns ajustes na transição do terreno rochoso para a areia, e essa adaptação pode não ter sido feita, por motivos técnicos ou até mesmo por falha humana.

No último domingo, uma cratera se abriu na altura dos números 133, 137 e 141 da Rua Barão da Torre e assustou a vizinhança. Devido ao problema, a Defesa Civil determinou a interrupção das obras de escavação na região até que seja identificada a causa do problema que levou a abertura da cratera. Outra exigência da Defesa Civil é a apresentação de medidas de segurança para a continuidade dos trabalhos.

Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/rio/novo-vazamento-preocupa-vizinhos-da-obra-do-metro-de-ipanema-12491680#ixzz31mYgJRk1 

© 1996 - 2014. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.