sexta-feira, 11 de outubro de 2013

De olho no traçado da Linha 4

09/10/2013 - O Globo

A espera é longa, e enquanto o metrô não chega, é possível conferir o andamento das obras com ajuda de recursos tecnológicos. No início do mês foi montado um espaço interativo na Avenida Epitácio Pessoa 365, Portão 8, entre os bairros Jardim de Alah e Ipanema, dedicado ao rumo da construção da Linha 4 (Ipanema/Gávea). A visita é gratuita e acontece de terça a sábado, das 9h às 19h. O ambiente conta com uma tela interativa que permite o público ter a sensação de estar dentro das escavações. O visitante ainda ganha uma foto com imagens das obras de fundo.

— Pensamos num espaço em que as pessoas possam se sentir dentro da construção, seja por meio de vídeos 3D ou interagindo com conteúdos em telas touch — explica a coordenadora de Comunicação do Consórcio Linha 4 Sul, Marcela Villas Boas.
Na etapa atual da obra em Ipanema, está sendo feita a concretagem da laje do acesso pela Rua Joana Angélica. Quando esse serviço for concluído, a superfície da praça será recomposta, e as escavações continuarão no subsolo. Segundo a concessionária, até meados de 2014, metade da Praça Nossa Senhora da Paz será devolvida à população. E no ano seguinte, a área de lazer será totalmente entregue, com suas características originais.

No canteiro do Jardim de Alah, assim como na Praça Antero de Quental, acontecem os serviços de impermeabilização e estruturação do solo, construção das paredes da estação e remanejamento de redes. Os prédios do entorno estão ganhando cortinas de proteção.

Na Gávea, em julho, foi instalado um canteiro de obras sobre parte do estacionamento da PUC, que está sendo ampliado gradualmente. Na estação que será erguida ali, também serão construídas duas plataformas independentes, o que possibilitará, futuramente, a implementação de linhas em direção ao Centro e à Tijuca sem interromper o funcionamento da Linha 4.

A obra, que começou em abril, a partir do campo de futebol da PUC com escavação em solo, chegou ao maciço rochoso, e novas detonações controladas estão sendo feitas na área.

Leitura compartilhada

Entre uma retirada de um bloco de concreto e outro, os cerca de três mil trabalhadores das obras da Linha 4 do metrô, no trecho Ipanema/Gávea, ganharam um espaço onde podem aproveitar o descanso lendo. No início do mês, foi inaugurada a primeira Biblioteca Rubem Fonseca no canteiro de obras da Praça Antero de Quental, com direito a visita do padrinho do projeto, autor de "Agosto", entre outros. O acervo, com a maior parte de doação feita por editoras, já conta com 550 livros. Para ampliar a troca de publicações, o consórcio Linha 4 Sul lançou a campanha "Doe livro, doe cultura", com três centrais para receber doações — duas no canteiro de obras em Ipanema (Avenida Epitácio Pessoa s/nº e Praça Nossa Senhora da Paz) e uma no Leblon (Praça Antero de Quental, ao lado da Rua Bartolomeu Mitre). As doações podem ser feitas de segunda a sexta, das 8h às 18h; e sábado, das 9h às 16h.

Morador de Magalhães Bastos, Iago Siqueira Santana, de 20 anos, é carpinteiro no canteiro da Antero de Quental. Ele trabalha há dez meses e já leu "Malu de bicicleta", de Marcelo Rubens Paiva. Agora está lendo "Elas e outras mulheres", de Rubem Fonseca.

— Um dia me chamaram para ajudar a construir uma casinha no canteiro. Enquanto cortava a madeira, perguntei o que ia ser ali e alguém me disse que seria uma biblioteca. Voltei quando vi a porta aberta. Peguei um livro romântico. Não era muito de ler, mas ler me ajuda a ser uma pessoa mais atenta — conta.

Ao final das obras será construído um espaço de leitura na Cruzada São Sebastião, onde ficará todo o acervo. A iniciativa faz parte do projeto "Rubem Fonseca", que desde maio disponibiliza exemplares nos canteiros de Ipanema, Leblon, Copacabana e Leopoldina.


Fonte: O Globo
Publicada em:: 09/10/2013

Nenhum comentário:

Postar um comentário