sábado, 8 de junho de 2013

Solo arenoso é o principal desafio a ser vencido na escavação do Metrô do Rio

07/06/2013 - Mecânica e Construção

A metodologia que envolve a escavação da Linha 4 Sul do Metrô do Estado do Rio de Janeiro foi o tema exposto pelo engenheiro Alexandre Mahfuz, do Consórcio Linha 4 Sul, no Seminário "Concessionária Rio Barra: métodos construtivos de túneis: Tunnel Boring Machine (TBM) e New Austrian Tunnelling Method (NATM)" do Construction Congresso. Segundo ele, o TBM, o 'Tatuzão', com 2 mil toneladas e 120m de comprimento por 11,5m de diâmetro, vai construir os túneis subterrâneos do metrô entre a estações General Osório (Ipanema) e a Gávea sem passar por baixo de prédios e sem a necessidade de abrir buracos na superfície das ruas, minimizando o impacto das obras para população. 

Mahfuz explicou também que este é o método mais adequado à região porque o solo é um misto de areia, água e rocha, além de os túneis cruzarem áreas densamente povoadas. Por essas características, optou-se por utilizar um Mixshield, construído especialmente para o solo da Zona Sul do Rio de Janeiro com capacidade para escavar de 15 a 18 metros por dia. O palestrante detalhou que o revestimento de túneis com anéis de concreto pré moldado e o sistema carrossel foi o adotado para o Rio de Janeiro. Segundo Mahfuz, a máquina que irá operar no túnel é um equipamento conversível com dois tipos de operação em solo e em rocha, sendo que sua montagem já está totalmente planejada. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário