sábado, 17 de novembro de 2012

Começam as interdições para obras da Linha 4 do metrô no Leblon

17/11/2012 - O Globo

Esquema especial abrange avenidas como a Ataulfo de Paiva e Bartolomeu Mitre

Técnicos trabalham na operação para inteditar trechos da Av. Ataulfo de Paiva Ivo Gonzalez / O Globo

RIO A Secretaria municipal de Transportes começou a implementar as interdições e mudanças no trânsito do Leblon para as obras da Linha 4 do metrô. Segundo o Centro de Operações da prefeitura, a medida começou a valer às 8h40m deste sábado. O esquema especial abrange algumas das principais vias do bairro, como as avenidas Ataulfo de Paiva, Bartolomeu Mitre e Afrânio de Melo Franco.

A partir deste sábado, uma faixa à esquerda ficará interditada em dois trechos da Avenida Ataulfo de Paiva: entre a Rua General Venâncio Flores e Avenida Bartolomeu Mitre e entre a Rua Afrânio de Melo Franco e Avenida Borges de Medeiros. Como opção para os motoristas, um trecho da Rua General Artigas terá a mão invertida para acesso à Rua Humberto de Campos.

No entanto, segundo o secretário municipal de Transportes, Carlos Roberto Osório, as mudanças mais significativas serão implementadas a partir do próximo sábado, dia 24, quando todas as faixas da Ataulfo de Paiva serão interditadas nos trechos entre a Rua Venâncio Flores e Avenida Bartolomeu Mitre, e entre as avenidas Afrânio de Melo Franco e Borges de Medeiros.

Percebemos que os motoristas estão trafegando com cuidado, obedecendo as orientações dos operadores de trânsito. Pedimos que, quem puder, deixe de usar o carro para circular no Leblon afirmou Osório. Para incentivar o morador a usar bicicleta, a prefeitura vai instalar bicicletários na Ataulfo de Paiva e na Rua Dias Ferreira. O governo estadual informou ainda que o consórcio das obras do metrô analisa a viabilidade de implantar uma linha circular de micro-ônibus para atender aos moradores do Leblon.

Para o morador do bairro Arthur Motta, de 55 anos, os transtornos no trânsito serão compensados quando o metrô chegar ao Leblon:

Sou morador da Ataulfo de Paiva há dez anos, e sei que será um caos. É uma obra na porta da minha casa, já que meu apartamento é virado pra frente da avenida. Apesar da poeira em casa, sei que é para o bem de todos. Se eu tivesse que me mudar daqui, escolheria um bairro que tivesse metrô. Estou feliz que daqui a alguns anos teremos esse transporte no Leblon.

Segundo o secretário municipal de Transportes, as calçadas da Avenida Ataulfo de Paiva serão reduzidas durante a obra. Apenas um prédio, em frente à Praça Antero de Quental, teve a garagem interditada. As oito vagas do edifício não poderão ser utilizadas durante os meses que seguem. Nesta sexta-feira, dez carros precisaram ser rebocados para que as interdições começassem. Osório afirmou também que apesar das obras, nenhum estabelecimento comercial precisará ser fechado:

Não estimamos prejuízo para os comerciantes. Nenhum estabelecimento ficará sem acesso, ou será fechado. O que vai haver é uma mudança viária, com adaptação das pessoas a essa nova realidade.

Participaram da operação deste sábado aproximadamente oitenta agentes da CET-Rio. Segundo Osório, no próximo sábado, 250 homens estarão no Leblon para complementar as interdições e auxiliar os motoristas e pedestres. Apesar das mudanças, o trânsito fluiu sem problemas na manhã deste sábado. Mas Osório acredita que o tráfego deve ficar problemático a partir de quarta-feira:

É impossível não haver impacto no trânsito. Ninguém fecha uma via da magnitude da Avenida Ataulfo de Paiva sem causar impacto. Mas estamos trabalhando para minimizar os problemas ao bairro. Escolhemos começar as interdições no meio de um feriado justamente porque o fluxo de veículos é bem menor. E obviamente os problemas começarão a partir de quarta-feira, quando será o primeiro dia útil após o feriado prolongado.

Osório lembrou ainda que, a partir do dia 24, as linhas de ônibus que circulam pela Atalufo de Paiva serão desviadas para a Avenida Delfim Moreira. Para atender aos passageiros dos ônibus, estão sendo criados ainda quatro pontos na via. O canteiro central da Avenida Vieira Souto, em Ipanema, está sendo cortado na altura da Henrique Dumont. O objetivo é permitir que os ônibus entrem na rua e dali retomem o caminho do BRS na Rua Visconde de Pirajá. As duas primeiras quadras da Henrique Dumont terão a mão invertida, e o estacionamento será proibido.

Para diminuir os impactos no trânsito, a Avenida Delfim Moreira poderá ganhar um corredor de BRS enquanto durarem as obras do metrô. No entanto, o secretário afirmou que prefere esperar para anunciar mudanças na via:

Não tomamos a decisão da implementação do BRS na Avenida Delfim Moreira ainda. Vamos colocar os ônibus na orla, fazer contagens, e se entendermos que é positivo para o trânsito, poderemos implantar o BRS na avenida. Como é uma obra longa, de 18 meses, qualquer ajuste que tiver que ser feito, será feito no decorrer deste tempo.


Enviado via iPhone

Nenhum comentário:

Postar um comentário