segunda-feira, 22 de outubro de 2012

Rio monta canteiros para as obras da Linha 4 do metrô

20/10/2012 - O Dia

Arte: O Dia
Começa segunda-feira a ocupação gradativa do Jardim de Alah e da Praça Antero de Quental, no Leblon, para a instalação de canteiros da nova etapa das obras da Linha 4 do metrô, que vai ligar a Estação General Osório, em Ipanema, à Barra da Tijuca.

A praça Nossa Senhora da Paz, em Ipanema, também terá um trecho fechado ainda este mês, mas o dia não foi definido. As intervenções no trânsito, com os desvios, começam mês que vem. A Av. Ataulfo de Paiva, no Leblon, terá 500 metros bloqueados ao trânsito.

Clique para ver o infográfico maior | Foto: Arte: O DiaA previsão é que a Linha 4 comece a funcionar em 2016. Serão 16 km de extensão e seis estações: Nossa Senhora da Paz, Jardim de Alah, Antero de Quental, Gávea, São Conrado e Jardim Oceânico.

Conclusão no final de 2015

Na Praça Antero de Quental, a instalação do canteiro levará uma semana para ser concluída e 62% da praça ficarão livres até 6 de novembro.

Depois, só 26 % do espaço serão da população. Daqui a um ano e meio, a área será devolvida aos poucos para o lazer. A obra deve ser concluída em dezembro de 2015. Durante a construção, a área de lazer ficará junto à Rua General San Martin.

O Jardim de Alah será quase todo tomado por máquinas e operários e servirá como estoque de pré-moldados. Pequeno espaço será preservado para recreação entre a praia e a Lagoa. A Praça N. S. da Paz, em Ipanema, terá 40% de sua área isolados por tapumes este mês.

Conforme a obra avançar, restarão só 8% do espaço para lazer. Só após um ano e meio, a população terá metade da praça de volta. O parque infantil e a academia de idosos serão mantidos junto à R. Maria Quitéria.

A coordenadora do Projeto de Segurança de Ipanema, Ignez Barreto, ficou surpresa ao saber das mudanças a partir de segunda-feira:

"Não avisaram os moradores, não discutiram nada com a gente. Entramos na Justiça contra a obra, porque defendemos que ela seja toda subterrânea."

Avenida Ataulfo de Paiva será interditada em dois trechos

Apesar de as intervenções no trânsito, como desvios, iniciarem apenas em novembro, já está decidido que será fechado o tráfego de veículos nos dois trechos da Av. Ataulfo de Paiva.

A interdição abrangerá o equivalente a 500 metros de pista, entre as avenidas Borges de Medeiros e Afrânio de Melo Franco, onde vai ficar a Estação Jardim de Alah, e entre a Rua General Urquiza e a Av. Bartolomeu Mitre, onde ficará a Estação Antero de Quental.

Nestes trechos, haverá quatro canteiros de obras, que vão ocupar uma parte da calçada e uma faixa da pista.

Na segunda fase, o tráfego de veículos será todo interditado, por 18 meses, em dois trechos da Ataulfo de Paiva, entre a Av. Bartolomeu Mitre e a Rua General Urquiza e entre as avenidas Afrânio de Melo Franco e Borges de Medeiros.

Maior alojamento será no Centro

A obra da Linha 4 terá três canteiros de apoio, para reduzir o tempo de deslocamento dos operários e diminuir a circulação de caminhões no Leblon e Ipanema.

O maior deles ficará na Leopoldina, no Centro, onde será instalada a fábrica de pré-moldados, responsável pela produção dos anéis de concreto que formarão o túnel subterrâneo. O local terá três alojamentos para 300 operários.

No Jardim de Alah, ficará o canteiro principal da obra. E outro será no 23º BPM (Leblon). As praças Nossa Senhora da Paz e Antero de Quental terão 100% de suas áreas verdes restabelecidas.

A promessa é que quase a totalidade das árvores será preservada e haverá replantio com mudas daquelas que forem removidas. Além disso, serão plantadas outras 400 espécies.


Enviado via iPhone

Nenhum comentário:

Postar um comentário