domingo, 30 de setembro de 2012

No Rio, Mais dois ‘geladões’ do metrô passam a circular

30/09/2012 - O Dia Online

O segundo "geladão" do metrô entrou em operação nesta sexta-feira. Neste domingo, outra composição fabricada na China para o sistema carioca começa a circular.

No fim de semana, o funcionamento das novas composições será normal — das 5h à meia-noite de sábado e das 7h às 23h no domingo —, mas nos dias úteis, a circulação ainda ficará restrita: será das 9h às 15h e das 21h à meia-noite.


O terceiro trem chinês do metrô entra amanhã em circulação: dos 19 que vão operar até março, nove já estão no centro de manutenção do MetrôRio | Foto: Carlo Wrede / Agência O Dia

Nesta sexta, o governo estadual divulgou a posição exata e os acessos das seis novas estações da Linha 4 do metrô, que vai ligar Barra da Tijuca à Ipanema. Como O DIA informou nesta sexta com exclusividade, dentro de 60 dias, as escavações das estações da Zona Sul devem começar.

Os dois novos geladões da Linha 2 terão horário reduzido só na fase de ajustes, que costuma durar um mês. Depois, a operação passa para horário integral, como aconteceu com a primeira composição chinesa.

Na inauguração do trem chinês, em 24 de agosto, desnível entre o vagão e a plataforma foi a principal crítica de usuários. O MetrôRio admitiu o problema e chegou a dizer que o peso dos passageiros reduziria a diferença de nível.

A previsão é de que sejam, no total, 19 novos trens circulando até março de 2013. Destes, nove já se encontram no centro de manutenção da concessionária MetrôRio. Duas composições, que chegaram no final do mês passado, estão na fase de testes estáticos para começar a operar.


Batizado de geladão, porque a temperatura permanece em 23 graus mesmo sob o sol, o trem chinês têm capacidade para transportar 1.800 passageiros e é aparelhado com televisão e painéis de LED anunciando a estação.

Durante a operação assistida, serão realizados ajustes finais nas portas, sistemas elétricos e outros componentes. Segundo o MetrôRio, nesta etapa não haverá nenhum tipo de transtorno aos passageiros das linhas 1 e 2. Toda operação será acompanhada pelos técnicos da empresa.

Informações: O Dia Online

Leblon já tem um canteiro para obras do metrô

07/09/2012 - O Globo

Operários, que desde julho fazem o mapeamento do solo para a Linha 4, já ocupam terreno do 23º BPM

NATANAEL DAMASCENO

Alojamento para operários já pode ser visto na Rua Mário Ribeiro
FÁBIO ROSSI / O GLOBO

RIO - Quem chega à Zona Sul pela Autoestrada Lagoa-Barra já percebe, à direita da Praça Sibélius, sinais da obra que vai mudar a rotina da região nos próximos meses. Um grande barracão foi erguido no terreno do 23º BPM (Leblon) e, há algumas semanas, serve de base para operários que trabalham na Linha 4 do metrô, que ligará Ipanema à Barra.
De acordo com a Secretaria estadual da Casa Civil, responsável pelo projeto, o canteiro abrigará oficinas e um alojamento para operários. Parte deles já pode ser vista no bairro. Segundo o governo, o trabalho de mapeamento do solo começou em julho, na esquina da Avenida Ataulfo de Paiva com a Borges de Medeiros.
Um outro canteiro, maior, também começou a ser construído em um terreno atrás da Estação da Leopoldina, no Centro. Ele receberá uma fábrica de pré-moldados que vai produzir os anéis de concreto que formarão os túneis do metrô, além de três alojamentos.
Segundo o governo, as próximas etapas da obra ainda não têm data para começar. Mas os moradores dos arredores dos canteiros já demonstram preocupação. Evelyn Rosenzweig, presidente da Associação de Moradores do Alto Leblon, diz que o clima é de apreensão.
— Eles, o governo e a concessionária, têm sido muito atenciosos. Mas causa muita apreensão não saber quando começam as próximas fases do projeto. Você não tem ideia da quantidade de moradores que me ligam pedindo informações. Os comerciantes do bairro também estão em polvorosa — contou ela.
As obras da Linha 4 foram iniciadas em junho de 2010 pela Barra e serão concluídas em dezembro de 2015, quando as seis estações (Nossa Senhora da Paz, Jardim de Alah, Antero de Quental, Gávea, São Conrado e Jardim Oceânico) serão inauguradas. Segundo o governo, quando as intervenções afetarem diretamente a Zona Sul, todos os moradores serão previamente informados.

Agetransp vai investigar incidente com novo trem do Metrô

10/09/2012 - O Globo

Falha no fechamento de portas da composição provocou atrasos de 31 minutos na Linha 2, sentido Botafogo.

A nova composição do metrô, que teve sua primeira viagem no último dia 24 de agosto
PABLO JACOB / O GLOBO

RIO - Problemas no fechamento de duas portas do novo trem do Metrô provocaram atrasos na circulação da Linha 2, na manhã desta segunda-feira. A composição seguia para Botafogo quando apresentou falhas na estação de São Cristóvão, por volta das 7h47m.

De acordo com a Agência Reguladora de Serviços Públicos Concedidos de Transportes Aquaviários, Ferroviários e Metroviários e de Rodovias do Estado do Rio (Agetransp), devido ao problema, a composição ficou parada por 31 minutos. No entanto, o MetrôRio, concessionária que administra o transporte, informou que o maior intervalo registrado no sistema foi de 26 minutos, na estação de São Cristóvão.

Segundo a concessionária, o reparo do trem já foi concluído e a composição deve voltar a circular no início da noite. A MetrôRio informou que o novo trem ainda está funcionando em sistema de operação assistida, com uma equipe de técnicos monitorando possíveis falhas e realizando os ajustes necessários.
A Agetransp informou, em nota, que registrou boletim de ocorrência e enviou fiscais para apurar as causas da avaria no novo trem. Ainda de acordo com a Agetransp, o transporte de passageiros foi normalizado às 8h18m. A reguladora disse também que continuará monitorando a operação desse transporte.
O novo trem do Metrô fez sua primeira viagem no último dia 24 de agosto, depois de oito meses de atraso na entrega da primeira composição. Durante a viagem inaugural, a reportagem do GLOBO percebeu que havia um desnível de 22 centímetros (o equivalente a um palmo) entre o vagão e a plataforma nas estações do Maracanã, Cidade Nova e Flamengo.
Problemas também com trens da SuperVia
Dois trens da SuperVia que atendem ao ramal de Saracuruna tiveram problemas técnicos antes de partir da estação da Central do Brasil, na manhã desta segunda-feira. De acordo com a concessionária, no ramal de Saracuruna houve registro de atrasos de 30 minutos. A SuperVia informou que os passageiros foram informados pelo sistema de áudio.



Marcelo Almirante
69 - 9985 7275

sábado, 29 de setembro de 2012

Linha 4 do Metrô na Zona Sul do Rio é entregue na Alemanha

27/09/2012 - Correio do Brasil

O Governo do Estado do Rio de Janeiro e a Concessionária Rio Barra, responsável pelas obras da Linha 4 do Metrô receberam hoje (27), o Tunnel Boring Machine, ou 'Tatuzão'

O equipamento vai perfurar os túneis subterrâneos da Linha 4 do Metrô de Ipanema à Gávea sem passar por baixo de edifícios. Também não haverá bate-estaca, explosões e aberturas de valas na superfície ao longo das ruas.

A entrega oficial do equipamento aconteceu na fábrica Herrenknecht, Tunnelling Systems, localizada em Schwanau, na Alemanha, com a presença do secretário de Estado da Casa Civil, Regis Fichtner, e representantes da RioTrilhos e da Concessionária Rio Barra.

- Este é um importante momento para o Rio de Janeiro porque damos um salto nesse grandioso projeto para a cidade, que é a Linha 4 do Metrô. Essa máquina foi construída com uma tecnologia muito avançada capaz de perfurar dois tipos diferentes de solo: rocha e areia. Graças ao equipamento será possível escavar todos os túneis do metrô na Zona Sul sem abrir buracos ao longo das ruas. Eles serão construídos por baixo das vias sem impacto na superfície – afirmou Regis Fichtner.

A chegada do 'Tatuzão' ao Brasil está prevista para o início de 2013. O equipamento será montado de março a agosto de 2013, quando deverá entrar em operação, partindo da Estação General Osório em direção à Gávea.

Com 2 mil toneladas e 120 metros de comprimento por 11,5 metros de diâmetro (o equivalente a um prédio de quatro andares), o 'Tatuzão' escava de 15 a 18 metros de túnel por dia, quatro vezes mais rápido que os métodos utilizados anteriormente no Rio de Janeiro. Inédito no Rio de Janeiro, trata-se do maior 'Tatuzão' da América Latina e o maior equipamento já utilizado em obras no Brasil. Ele será transportado de navio da Europa para o Rio de Janeiro em 20 contêineres e com outras 100 peças grandes soltas.

Ao mesmo tempo em que escava, o 'Tatuzão' instala imediatamente os anéis de concreto que formam o túnel. Esse é um método moderno, seguro e usado em todo o mundo. Graças a ele, nos 5,7 km de obras na Zona Sul, será necessário interditar apenas 500 metros de vias.

Mais de 200 profissionais brasileiros e alemães vão operar o 'Tatuzão' no Rio
A Linha 4 do Metrô terá 270 pessoas trabalhando exclusivamente para operar o TBM ('Tatuzão'). Serão eletrotécnicos, mecânicos, operadores e encarregados, que se dividirão em três turnos. Três profissionais brasileiros estão sendo treinados na Alemanha, país onde a máquina foi construída e de onde virão outros 30 técnicos para trabalhar na operação e manutenção da máquina.

'Tatuzão' poderá ser usado na construção da linha Gávea-Centro
Durante o evento de entrega do TBM na Alemanha, o secretário Regis Fichtner informou que o Governo do Rio de Janeiro iniciou os estudos para fazer um termo de referência para a contratação de projeto de expansão do metrô que ligará a Gávea ao Centro, passando pelos bairros de Jardim Botânico, Humaitá e Laranjeiras. Projeto que poderá ser colocado em prática a partir de 2016.

- Queremos deixar esse projeto pronto e licitado para que, no futuro, quando terminar a obra da Linha 4, seja possível ao Governo do Estado utilizar o 'Tatuzão' nessa nova linha – disse Regis Fichtner.

Linha 4 do Metrô vai beneficiar mais de 300 mil pessoas por dia
A Linha 4 do Metrô do Rio de Janeiro (Barra da Tijuca – Ipanema) vai transportar, a partir de 2016, mais de 300 mil pessoas por dia e retirar das ruas cerca de 2 mil veículos por hora/pico. Com a nova linha, o passageiro poderá utilizar todo o sistema metroviário da cidade com uma única tarifa.

- O Governo do Estado está implantando a Linha 4 do Metrô porque é inquestionável a eficiência deste sistema de transporte e sua importância para o desenvolvimento do Rio de Janeiro. O metrô tem enorme capacidade de carregamento e traz efeitos benéficos para o trânsito e ao meio ambiente, retirando das ruas carros e ônibus. Trata-se da realização de um antigo sonho dos cariocas. A população do Rio de Janeiro será beneficiada pela obra, que vai integrar bairros e regiões da cidade com rapidez, comodidade e segurança – ressalta o secretário de Estado da Casa Civil, Regis Fichtner.

As obras foram iniciadas em junho de 2010 pela Barra da Tijuca e serão concluídas em dezembro de 2015, quando as seis estações (Nossa Senha da Paz, Jardim de Alah, Antero de Quental, Gávea, São Conrado e Jardim Oceânico) serão inauguradas. Já são mais de 3 mil metros de túneis escavados entre a Barra da Tijuca e Gávea. A nova linha, com aproximadamente 16 quilômetros de extensão, entra em operação no segundo semestre de 2016, após passar uma fase de testes.

Para garantir a eficiência do sistema e comodidade dos passageiros, serão comprados 17 trens para operar a Linha 4, com capacidade para transportar mais de 1 milhão de passageiros por dia, quando a demanda estimada para a Linha 4, em 2016, é de 300 mil usuários/dia. O intervalo entre as composições será de quatro minutos.

O metrô é o meio de transporte de massa mais ambientalmente correto porque retira veículos da rua, reduzindo a emissão de gás carbônico do ar que respiramos.


Enviado via iPhone

quinta-feira, 27 de setembro de 2012

Metrofor inaugura novo trecho da Linha Sul

26/09/2012 - Diário do Nordeste

A Linha Sul do Metrô de Fortaleza (Metrofor) chega à Estação do Benfica, nesta sexta-feira, quando acontecerá a viagem inaugural do trecho Parangaba-Benfica. São mais 5,2 quilômetros, perfazendo 20 Km, dos 24 Km, que é o total da extensão da linha que vai de Pacatuba ao Centro de Fortaleza.

Desde junho, o primeiro trecho da Linha Sul, que vai de Pacatuba a Parangaba, está em operação assistida. De acordo com o Metrofor, já foram recebidos mais de 200 mil passageiros.

Esta linha do metrô, que encontra-se, inclusive, em operação assistida (fase de testes com acompanhamento de 8h às 12h), desde junho último, compreende o trajeto entre a estação Carlito Benevides (antiga Vila das Flores, em Pacatuba) até Parangaba. A partir de sexta-feira (28), integra-se mais o trecho Parangaba-Benfica.

Os trechos restantes que complementarão o percurso são os da Estação São Benedito (antiga Lagoinha), que ficará concluído até fim de outubro, e o da Estação Chico da Silva (Central), cuja previsão de conclusão é para o fim de dezembro deste ano.

Previsão

Depois da conclusão do trecho até a Estação do Benfica, só restarão mais quatro quilômetros até a Estação Chico da Silva. Então, até o fim de dezembro próximo, estaremos concluindo a Linha Sul, que ligará Pacatuba até o Centro da Capital cearense, destacou Fernando Mota, que responde pela assessoria da presidência do Metrofor.

Desde que foi inaugurado, o primeiro trecho da Linha Sul, de Pacatuba à Parangaba, já recebeu mais de 200 mil passageiros, segundo informa o Metrofor. O órgão acrescenta que a fase de testes de metrô dura seis meses e, dependendo da avaliação, é possível prorrogar. O que significa que, pelo menos até o fim de dezembro, o acesso ao metrô continuará sendo gratuito.

Trajeto

Ainda de acordo com o Metrofor, com a chegada à Estação São Benedito, os testes com a operação assistida seguirão de Pacatuba até o Centro. A Linha Sul, com 20 estações, irá receber um total de 20 trens, que formarão dez composições de 80 metros, cada. O investimento do percurso total na Linha Sul está orçado em R$ 1,7 bilhão. As primeiras viagens comerciais deverão ser realizadas no início de 2013.

Em projeto

A Linha Leste já está com seu projeto pronto. As máquinas estão sendo colocadas nos trechos para que se iniciem os trabalhos. Já a obra do Veículo Leve sobre o Trilho (VLT) de Parangaba - Mucuripe também foi iniciada e, até 2014,este ramal deverá ser concluído. A Linha Leste e o ramal Parangaba-Mucuripe serão de uma importância vital para a mobilidade urbana de Fortaleza. Como esta linha, que tem aproximadamente 13 quilômetros, será toda subterrânea, sua complexidade exigirá maior tempo de duração das obras. Enquanto o ramal Parangaba Mucuripe deverá ficar concluído até 2014, finalizou o assessor do Metrofor, Fernando Mota.


Enviado via iPhone

‘Tatuzão’ para obras da Linha 4 do Metrô é entregue na Alemanha

27/09/2012 - Agência Rio

Da Redação
O Governo do Estado do Rio de Janeiro e a Concessionária Rio Barra, responsável pelas obras da Linha 4 do Metrô (Barra da Tijuca - Ipanema), receberam nesta quinta-feira, 27 de setembro de 2012, o Tunnel Boring Machine (TBM), 'Tatuzão'. O equipamento vai perfurar os túneis subterrâneos da Linha 4 do Metrô de Ipanema à Gávea sem passar por baixo de edifícios. Também não haverá bate-estaca, explosões e aberturas de valas na superfície ao longo das ruas.

A entrega oficial do equipamento aconteceu na fábrica Herrenknecht - Tunnelling Systems, localizada em Schwanau, na Alemanha, com a presença do secretário de Estado da Casa Civil, Regis Fichtner, e representantes da RioTrilhos e da Concessionária Rio Barra.

"Este é um importante momento para o Rio de Janeiro porque damos um salto nesse grandioso projeto para a cidade, que é a Linha 4 do Metrô. Essa máquina foi construída com uma tecnologia muito avançada capaz de perfurar dois tipos diferentes de solo: rocha e areia. Graças ao equipamento será possível escavar todos os túneis do metrô na Zona Sul sem abrir buracos ao longo das ruas. Eles serão construídos por baixo das vias sem impacto na superfície", afirmou Regis Fichtner.

A chegada do 'Tatuzão' ao Brasil está prevista para o início de 2013. O equipamento será montado de março a agosto de 2013, quando deverá entrar em operação, partindo da Estação General Osório em direção à Gávea.

Com 2 mil toneladas e 120 metros de comprimento por 11,5 metros de diâmetro (o equivalente a um prédio de quatro andares), o 'Tatuzão' escava de 15 a 18 metros de túnel por dia, quatro vezes mais rápido que os métodos utilizados anteriormente no Rio de Janeiro. Inédito na cidade, trata-se do maior 'Tatuzão' da América Latina e o maior equipamento já utilizado em obras no Brasil. Ele será transportado de navio da Europa para o Rio em 20 contêineres e com outras 100 peças grandes soltas.

Ao mesmo tempo em que escava, o 'Tatuzão' instala imediatamente os anéis de concreto que formam o túnel. Esse é um método moderno, seguro e usado em todo o mundo. Graças a ele, nos 5,7 km de obras na Zona Sul, será necessário interditar apenas 500 metros de vias.

A Linha 4 do Metrô terá 270 pessoas trabalhando exclusivamente para operar o TBM ('Tatuzão'). Serão eletrotécnicos, mecânicos, operadores e encarregados, que se dividirão em três turnos. Três profissionais brasileiros estão sendo treinados na Alemanha, país onde a máquina foi construída e de onde virão outros 30 técnicos para trabalhar na operação e manutenção da máquina.




'Tatuzão' poderá ser usado na construção da linha Gávea-Centro

Durante o evento de entrega do TBM na Alemanha, o secretário Regis Fichtner informou que o Governo do Rio de Janeiro iniciou os estudos para fazer um termo de referência para a contratação de projeto de expansão do metrô que ligará a Gávea ao Centro, passando pelos bairros de Jardim Botânico, Humaitá e Laranjeiras. Projeto que poderá ser colocado em prática a partir de 2016.

"Queremos deixar esse projeto pronto e licitado para que, no futuro, quando terminar a obra da Linha 4, seja possível ao Governo do Estado utilizar o 'Tatuzão' nessa nova linha", disse Regis Fichtner.


Linha 4 do Metrô vai beneficiar mais de 300 mil pessoas por dia

A Linha 4 do Metrô do Rio de Janeiro (Barra da Tijuca – Ipanema) vai transportar, a partir de 2016, mais de 300 mil pessoas por dia e retirar das ruas cerca de 2 mil veículos por hora/pico. Com a nova linha, o passageiro poderá utilizar todo o sistema metroviário da cidade com uma única tarifa.

"O Governo do Estado está implantando a Linha 4 do Metrô porque é inquestionável a eficiência deste sistema de transporte e sua importância para o desenvolvimento do Rio de Janeiro. O metrô tem enorme capacidade de carregamento e traz efeitos benéficos para o trânsito e ao meio ambiente, retirando das ruas carros e ônibus. Trata-se da realização de um antigo sonho dos cariocas. A população do Rio de Janeiro será beneficiada pela obra, que vai integrar bairros e regiões da cidade com rapidez, comodidade e segurança", ressalta o secretário de Estado da Casa Civil, Regis Fichtner.

As obras foram iniciadas em junho de 2010 pela Barra da Tijuca e serão concluídas em dezembro de 2015, quando as seis estações (Nossa Senhora da Paz, Jardim de Alah, Antero de Quental, Gávea, São Conrado e Jardim Oceânico) serão inauguradas. Já são mais de 3 mil metros de túneis escavados entre a Barra da Tijuca e Gávea. A nova linha, com aproximadamente 16 quilômetros de extensão, entra em operação no segundo semestre de 2016, após passar por fase de testes.

Para garantir a eficiência do sistema e comodidade dos passageiros, serão comprados 17 trens para operar a Linha 4, com capacidade para transportar mais de 1 milhão de passageiros por dia, quando a demanda estimada para a Linha 4, em 2016, é de 300 mil usuários/dia. O interval


Enviado via iPhone

quinta-feira, 13 de setembro de 2012

Agetransp vai investigar incidente com novo trem do Metrô

10/09/2012 - O Globo

Falha no fechamento de portas da composição provocou atrasos de 31 minutos na Linha 2, sentido Botafogo.

A nova composição do metrô, que teve sua primeira viagem no último dia 24 de agosto
PABLO JACOB / O GLOBO

RIO - Problemas no fechamento de duas portas do novo trem do Metrô provocaram atrasos na circulação da Linha 2, na manhã desta segunda-feira. A composição seguia para Botafogo quando apresentou falhas na estação de São Cristóvão, por volta das 7h47m.

De acordo com a Agência Reguladora de Serviços Públicos Concedidos de Transportes Aquaviários, Ferroviários e Metroviários e de Rodovias do Estado do Rio (Agetransp), devido ao problema, a composição ficou parada por 31 minutos. No entanto, o MetrôRio, concessionária que administra o transporte, informou que o maior intervalo registrado no sistema foi de 26 minutos, na estação de São Cristóvão.

Segundo a concessionária, o reparo do trem já foi concluído e a composição deve voltar a circular no início da noite. A MetrôRio informou que o novo trem ainda está funcionando em sistema de operação assistida, com uma equipe de técnicos monitorando possíveis falhas e realizando os ajustes necessários.
A Agetransp informou, em nota, que registrou boletim de ocorrência e enviou fiscais para apurar as causas da avaria no novo trem. Ainda de acordo com a Agetransp, o transporte de passageiros foi normalizado às 8h18m. A reguladora disse também que continuará monitorando a operação desse transporte.
O novo trem do Metrô fez sua primeira viagem no último dia 24 de agosto, depois de oito meses de atraso na entrega da primeira composição. Durante a viagem inaugural, a reportagem do GLOBO percebeu que havia um desnível de 22 centímetros (o equivalente a um palmo) entre o vagão e a plataforma nas estações do Maracanã, Cidade Nova e Flamengo.
Problemas também com trens da SuperVia
Dois trens da SuperVia que atendem ao ramal de Saracuruna tiveram problemas técnicos antes de partir da estação da Central do Brasil, na manhã desta segunda-feira. De acordo com a concessionária, no ramal de Saracuruna houve registro de atrasos de 30 minutos. A SuperVia informou que os passageiros foram informados pelo sistema de áudio.

terça-feira, 11 de setembro de 2012

Made in China: novo trem do metrô dá problema

11/09/2012 - O Globo

Pouco mais de duas semanas depois de sua viagem inaugural, o novo trem do metrô – o primeiro dos 19 fabricados na China que serão incorporados à frota – apresentou problemas ontem de manhã. A composição seguia para Botafogo quando houve falha no fechamento de duas portas da estação São Cristóvão. Por causa da pane, houve atraso de 31 minutos na Linha 2, sentido Botafogo, segundo a Agetransp, agência reguladora de transportes públicos do estado. Já a concessionária Metrô Rio diz que o maior intervalo foi de 26 minutos, na estação São Cristóvão, onde a composição ficou parada até ser removida para o centro de manutenção.

O problema ocorreu às 7h50m. Segundo a Agetransp, uma equipe de técnicos está investigando a falha. À noite, o trem voltou a circular. De acordo com a concessionária, a composição ainda está em operação assistida, com um grupo de técnicos realizando ajustes durante 30 dias.

Desde que desembarcaram no Rio, em abril, os novos trens apresentaram alguns problemas, que obrigaram a concessionária a fazer adaptações. Na fase de testes, foram detectadas diferentes distâncias entre os novos vagões e as plataformas, que assaram por obras. Na viagem inaugural do primeiro trem da nova leva, no ultimo dia 24 de agosto, novo problema: O GLOBO constatou um desnível de até 22 centímetros entre a composição e as plataformas de três estações: Flamengo, Cidade Nova e maracanã. A concessionária prometeu fazer os ajustes.

Pane também da SuperVia

Os novos trens custaram R$ 320 milhões, e a expectativa da Metrô Rio é que, quando todos os 198 trens estiverem em operação, em março de 2013, o número de passageiros transportados chegue a 1,2 milhão por dia (atualmente é 700 mil). Além da composição que já está circulando, quatro estão em fases de testes. Até novembro, outros oito trens devem chegar ao Brasil e, até dezembro, os seis restantes, que ainda estão sendo produzidos na China.

A SuperVia também conta com composições chinesas. Um lote de 30 novos trens foi comprado pelo governo do estado e, do total, 18 já estão no Rio. As composições também tiveram problemas: quando foram desembarcadas, apresentavam oxidação em algumas partes, como portas e sistemas de engate. A ferrugem foi removida antes de os vagões entrarem em operação.

Ontem à noite, passageiros da SuperVia também enfrentaram problemas: um trem do ramal Belford Roxo que ia para a central parou após colidir com um objeto jogado na via, em Honorário Gurgel. Os usuários desceram e, revoltados, ocuparam os trilhos, impedindo o tráfego. O atraso chegou a pelo menos 20 minutos.

Confira na íntegra a nota enviada pela assessoria de imprensa do MetrôRio à Revista Ferroviária:

O MetrôRio informa que às 07h57min da manhã desta segunda-feira (10/09) o novo trem, que circula em operação assistida, apresentou problema em duas portas na Estação São Cristóvão, sentido Botafogo. O trem seguiu até a estação final e foi encaminhado ao Centro de Manutenção do MetrôRio para ajustes. Não houve desembarque de passageiros. Por conta do problema, foram registrados intervalos irregulares no sistema.

sábado, 8 de setembro de 2012

Leblon já tem um canteiro para obras do metrô

07/09/2012 - O Globo

Operários, que desde julho fazem o mapeamento do solo para a Linha 4, já ocupam terreno do 23º BPM

NATANAEL DAMASCENO
 
Alojamento para operários já pode ser visto na Rua Mário Ribeiro
FÁBIO ROSSI / O GLOBO

RIO - Quem chega à Zona Sul pela Autoestrada Lagoa-Barra já percebe, à direita da Praça Sibélius, sinais da obra que vai mudar a rotina da região nos próximos meses. Um grande barracão foi erguido no terreno do 23º BPM (Leblon) e, há algumas semanas, serve de base para operários que trabalham na Linha 4 do metrô, que ligará Ipanema à Barra.
De acordo com a Secretaria estadual da Casa Civil, responsável pelo projeto, o canteiro abrigará oficinas e um alojamento para operários. Parte deles já pode ser vista no bairro. Segundo o governo, o trabalho de mapeamento do solo começou em julho, na esquina da Avenida Ataulfo de Paiva com a Borges de Medeiros.
Um outro canteiro, maior, também começou a ser construído em um terreno atrás da Estação da Leopoldina, no Centro. Ele receberá uma fábrica de pré-moldados que vai produzir os anéis de concreto que formarão os túneis do metrô, além de três alojamentos.
Segundo o governo, as próximas etapas da obra ainda não têm data para começar. Mas os moradores dos arredores dos canteiros já demonstram preocupação. Evelyn Rosenzweig, presidente da Associação de Moradores do Alto Leblon, diz que o clima é de apreensão.
— Eles, o governo e a concessionária, têm sido muito atenciosos. Mas causa muita apreensão não saber quando começam as próximas fases do projeto. Você não tem ideia da quantidade de moradores que me ligam pedindo informações. Os comerciantes do bairro também estão em polvorosa — contou ela.
As obras da Linha 4 foram iniciadas em junho de 2010 pela Barra e serão concluídas em dezembro de 2015, quando as seis estações (Nossa Senhora da Paz, Jardim de Alah, Antero de Quental, Gávea, São Conrado e Jardim Oceânico) serão inauguradas. Segundo o governo, quando as intervenções afetarem diretamente a Zona Sul, todos os moradores serão previamente informados.

sexta-feira, 7 de setembro de 2012

Escavações de túnel da linha 4 na Zona Sul começam no ano que vem

01/09/2012 - O Dia

O governo do estado informou ontem que as escavações dos túneis da Linha 4 (Barra da Tijuca-Ipanema) do metrô vão começar em julho de 2013. O trabalho será feito pelo ' tatuzão', equipamento comprado na Alemanha. As obras da Linha 4 iniciaram serão concluídas em dezembro de 2015. Ontem, foram divulgadas imagens de como será a Estação N. Sra. da Paz, em Ipanema. 

Contrato revisto pode inflacionar a tarifa do metrô

06/09/2012 - O Dia

Novo cálculo permite reajustar passagem acima do indicador

CHRISTINA NASCIMENTO

Rio -  Os usuários do metrô devem preparar o bolso. O próximo reajuste da tarifa deve ficar bem acima do IGP-M — indicador da Fundação Getúlio Vargas utilizado para definir o aumento anual.

A cada cinco anos a concessionária MetrôRio pode revisar o preço da passagem considerando investimentos feitos no sistema, conforme previsto no contrato. Justo este ano, a empresa adquiriu 19 novos trens pelo valor total de R$ 320 milhões.

Compra de 19 trens pode ser usada na base de cálculo da tarifa de 2013 | Foto: Fábio Gonçalves / Agência O Dia

No cálculo de revisão, o MetrôRio fica autorizado a considerar, por exemplo, a necessidade de aumentar a eficiência operacional da empresa, os custos com empréstimos e financiamentos, investimentos e uma fórmula que considera o equilíbrio-financeiro da concessionária.

A empresa não quis se pronunciar. O reajuste sempre começa a valer no dia 2 de abril. O último aumento foi de 3,5% e levou o preço passagem de R$ 3,10 para R$ 3,20.

Nesta quarta-feira, foi publicado no Diário Oficial, pela Agência Reguladora de Transportes do Estado (Agetransp), a criação de um grupo de trabalho para planejar as ações da revisão de cinco anos do contrato.

Este ano, o aumento de 60% no valor da tarifa das Barcas — que passou de R$ 2,80 para R$ 4,50 — teve amparo justamente nas revisões quinquenais do contrato de concessão com a empresa.

Nesta quarta, a prefeitura multou o MetrôRio por irregularidades nas baias de parada de ônibus construídas na Avenida Presidente Vargas, altura da passarela do Metrô na Cidade Nova.

A fiscalização da Secretaria de Conservação emitiu três multas no valor total de R$ 8.559,30 por obra executada fora dos padrões.
Só este ano, a prefeitura já multou a concessionária pela mesma irregularidade vinte e duas vezes, num valor total de R$ 18.994,58.

Empréstimo para 60 trens

Foi assinado nesta quarta pelo governo do estado empréstimo para compra de 60 trens da SuperVia. As novas composições são sustentáveis.

Consomem de 30% a 35% menos energia, o que resulta em menor liberação de carbono do que os vagões tradicionais. Além disso, são mais silenciosas. O dinheiro — US$ 600 milhões ( R$ 1,22 bilhões) — virá do Banco Mundial.

Nesta quarta, uma passageira caiu no vão entre o trem e a plataforma na estação Campo Grande, no ramal Santa Cruz.

De acordo com a SuperVia, ela tentou embarcar em uma composição após o aviso de fechamento de portas. A ambulância do Samu foi acionada e chegou ao local 25 minutos após o acidente.

sábado, 1 de setembro de 2012

Metrô em Ipanema: moradores instalam maquete de acesso à estação

31/08/2012 - O Globo

Grupo defende que usuários do transporte não circulem pela Praça Nossa Senhora da Paz

RIO - Em protesto à construção das saídas da estação do metrô na Praça Nossa Senhora da Paz, em Ipanema, moradores e integrantes do Projeto de Segurança de Ipanema (PSI) instalaram uma maquete em tamanho natural em um dos locais onde querem que os acessos à estação sejam construídos. No projeto da concessionária Rio-Barra, as saídas do metrô ficarão nas calçadas das ruas Visconde de Pirajá e Barão da Torre, junto à grade da praça. Os coordenadores do PSI e moradores defendem, porém, que as saídas fiquem nas esquinas da Rua Visconde de Pirajá com a Maria Quitéria e com a Joana Angélica, mas na calçada oposta à da praça.

A coordenadora do projeto, Ignez Barreto, explica que, caso as saídas sejam construídas junto às grades da praça, a segurança de dezenas de crianças que brincam e circulam no local poderá ser prejudicada e, ainda, o comércio não será beneficiado.

Da maneira como está no projeto, a praça terá mais de 40 mil pessoas transitando por dia. O metrô precisa favorecer o comércio local e não atrapalhar a circulação na praça, as crianças, que brincam no local. Também não queremos que sejam feitas saídas gigantescas, como a da praça General Osório. Pedimos que seja algo discreto, saindo das calçadas opostas à praça.

O projeto recolheu mais de 300 assinaturas para um abaixo-assinado que defende as mudanças no projeto da estação. Nas próximas semanas, a lona que imita o acesso à estação será instalada nos outros locais.

A concessionária Rio-Barra, responsável pelas obras da Linha 4 do metrô, afirma que os acessos à estação foram definidos a partir de estudos que levaram em conta critérios de engenharia, segurança, comodidade e demanda. Segundo a empresa, a hipótese de mudar o local do acesso à estação causaria transtornos porque o trânsito teria que ser interrompido em trechos da Visconde de Pirajá, Joana Angélica e Maria Quitéria, assim como calçadas da região, o que poderia prejudicar o comércio local. Além disso, segundo a assessoria da empresa, os acessos da estação ocuparão apenas 2% da área total da praça.

A licença de instalação da estação da Nossa Senhora da Paz foi apresentada em 25 de junho pelo secretário estadual do Ambiente, Carlos Minc, e pela presidente do Instituto Estadual do Ambiente (Inea), Marilene Ramos, depois de aprovada com restrições como o aumento do número de árvores preservadas. O Inea exigiu ainda o replantio de 400 árvores no bairro.

Escavações dos túneis da Linha 4 do metrô começam em julho de 2013

31/08/2012 - G1

'Tatuzão' chega da Alemanha em janeiro e começa a funcionar em julho. Praça Nossa Senhora da Paz, em Ipanema, terá estação com duas saídas.

A escavação dos túneis da Linha 4 do Metrô Rio, na Zona Sul da cidade, vai começar em julho do ano que vem. Como mostrou o RJTV, nesta sexta-feira (31), moradores protestaram contra o projeto da estação Nossa Senhora da Paz, em Ipanema.
Da Barra da Tijuca, na Zona Oeste, até a Gávea, na Zona Sul, foram perfurados 3,5 km.
O governo do estado informou que o "tatuzão", equipamento que vai escavar os túneis de Ipanema ao Leblon, chega da Alemanha em janeiro e começa a funcionar em julho. 

Uma das estações vai ficar embaixo da Praça Nossa Senhora da Paz, em Ipanema, com duas saídas.
Moradores recolhem assinaturas 
Nesta sexta-feira (31), um grupo de moradores recolheu mais de trezentas assinaturas. A principal reivindicação é que as estações fiquem fora da praça, na Rua Visconde de Pirajá, próximas às esquinas com as ruas Joana Angélica e Maria Quitéria.
Outro pedido dos moradores é que a obra da estação seja subterrânea, para que as árvores sejam preservadas. Mas o governo do estado alega que mesmo usando o tatuzão, teria que fazer escavações na praça e o custo ficaria ainda maior.
“Não queremos que a praça se descaracterize como no seu uso comunitário, queremos garantir a segurança das crianças que brincam nesta praça, que é o quintal das crianças do bairro”, disse um morador.
Mudanças na Praça Nossa Senhora da Paz 
Segundo o projeto da estação, que está mantido, na primeira mudança, os equipamentos de ginástica vão para um canto. A praça será interditada aos poucos até ficar quase toda ocupada. Na última fase, a área interditada será reduzida.
O governo informou que das 312 árvores que existem atualmente, 70 serão plantadas em outro local e retornarão à praça quando a obra ficar pronta. Nenhuma rua será interditada em Ipanema durante as escavações. Haverá interdições apenas no Leblon. O governo manteve a previsão de entrega de toda a Linha 4 do metrô para dezembro de 2015.