terça-feira, 17 de julho de 2012

MetrôRio terá que explicar obra para trem chinês

17/07/2012 - O Dia Online

Trem chinês do metrô ainda nos trilhos da Changchung Railway Vehicles, onde foi fabricado

Por Francisco Edson Alves

Rio -  O promotor Carlos Andresano, da Promotoria de Defesa do Consumidor do Ministério Público Estadual (MP), vai pedir esclarecimentos à concessionária MetrôRio sobre denúncias feitas pelo Sindicato dos Metroviários do Estado (Simerj).

A empresa estaria reduzindo, às pressas, a largura de plataformas em algumas estações e aparando pilastras e paredes de túneis das Linhas 1, 1A e 2, em até 20 centímetros, para se adequar aos trens chineses.

Como O DIA  publicou com exclusividade, sábado, o sindicato alega que, devido a suposta falha na análise aerodinâmica dos novos trens, a trepidação das comboios em movimento poderia levá-los a colidir com estruturas de concreto. “Já tomei conhecimento disso e vou cobrar explicações”, adiantou Andresano.

Além do MP, a Agência Reguladora de Transportes Públicos (Agetransp) também está investigando o assunto. “A agência está realizando uma verificação criteriosa dessas informações”, garantiu o órgão em nota oficial, frisando ainda que “a aceitação dos trens e do projeto foge” de sua competência. A Secretaria Estadual da Casa Civil não comentou o assunto.

Segundo o diretor do sindicato, Ariston dos Santos, os técnicos não levaram em consideração que só há motor no primeiro carro do trem chinês, e não em todos os vagões, como no modelo atual.

Isso provocaria balanço mais acentuado, que poderia levá-lo a esbarrar na plataforma e pilastras. O especialista em Engenharia de Transportes da Coppe/UFRJ Fernando MacDowell garante que fez alertas sobre o problema em audiências públicas. “Não me ouviram”, lamentou.

Sistema de portas passa por ajustes

O MetrôRio nega a existência do problema e informa que as obras nas plataformas e túneis são para padronizar as estações. A concessionária admite, apenas, que há ajustes a serem feitos nas portas. O sistema está passando por “verificação de adaptação à operação .

É um processo natural da etapa de testes e ajustes. Todo o processo é feito dentro dos requisitos de segurança”, garantiu, em nota, a empresa que administra o metrô.

O primeiro dos 19 trens comprados da China, por R$ 320 milhões, vai entrar em operação na Linha 2 mês que vem. Inicialmente, a estreia era prevista para agosto de 2010. O atraso gerou uma multa de R$ 374 mil. A promessa é a de que todos os 114 novos vagões (63% a mais que a frota atual) estarão funcionando plenamente a partir de março do ano que vem.

Foto: Gisele Domingues - Agência O Dia

Nenhum comentário:

Postar um comentário