sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Linha 4 do metrô vai ligar Barra da Tijuca ao Centro em menos de 40 minutos

18/11/2011 - Agência Rio

Da Redação

O projeto da Linha 4 do metrô, que ligará a Zona Oeste à Zona Sul do Rio, foi detalhado nesta sexta-feira (18) pelo Governo do Estado. O trajeto da Barra da Tijuca ao Centro da cidade será feito em menos de 40 minutos. De acordo com estudo realizado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), o novo trecho do metrô vai transportar mais de 300 mil passageiros por dia, retirando das ruas cerca de dois mil veículos por hora.

O trajeto da Linha 4 do metrô terá 14 quilômetros de extensão, passando pela orla da Zona Sul, com o objetivo de atender ao maior número de passageiros possível. Para isso, serão construídas seis nPovas estações: Jardim Oceânico, São Conrado, Gávea, Antero de Quental, Jardim de Alah e Nossa Senhora da Paz. A ligação entre a Linha 4 e a Linha 1 do metrô será feita pela estação General Osório, em Ipanema, que passará por uma expansão com duas plataformas de embarque e desembarque.

A Linha 2 do metrô – que liga a Pavuna a Botafogo – será estendida até Ipanema. Com isso, o trajeto da Pavuna até a Barra da Tijuca poderá ser feito em apenas 1h20, com transbordo na estação General Osório. Atualmente, um passageiro que faça o mesmo percurso utilizando o metrô e o ônibus de integração leva 2h20 para chegar ao destino final.

Para o secretário da Casa Civil, Regis Fichtner, o projeto é um marco na área de transporte público do Rio. "O passageiro terá rapidez e conforto na viagem. Serão comprados trens melhores, mais modernos. Além disso, o passageiro vai pagar uma tarifa única em todo o sistema. Em termos de mobilidade urbana, será a mais importante obra feita pelo estado", afirmou.

As obras, que começaram em junho de 2010 e devem ser concluídas em dezembro de 2015, estão orçadas em R$ 5,6 bilhões. No que se refere aos investimentos do Governo do Estado, são R$ 3 bilhões financiados pelo BNDES e mais meio bilhão de euros da Agência Francesa de Desenvolvimento.

Mais trens em operação

 Apontada pelos usuários como um dos principais problemas do sistema metroviário, a superlotação está com os dias contados. Atualmente, há 30 composições em circulação. No entanto, em 2016, esse número chegará a 66 – mais do que o dobro. A partir de 2012, 19 novos trens começarão a circular nas Linhas 1 e 2. Em 2015, com a inauguração da Linha 4, outras 17 novas composições vão entrar em operação.

"Com maior número de trens circulando, não haverá superlotação mesmo com o aumento do número de passageiros transportados pela Linha 4. Além disso, estudos de demanda mostram que cerca de 80% dos passageiros que embarcarem na Barra já terão desembarcado antes de chegar à estação Botafogo", explicou o secretário da Casa Civil, Régis Fichtner.

Na Barra da Tijuca, a ligação entre a estação Jardim Oceânico e o Terminal Alvorada será feita por BRTs, sistema de transporte rápido por ônibus que será implementado pela Prefeitura do Rio. Além disso, os moradores da favela da Rocinha, ocupada no último domingo (13) pelas forças de segurança do estado, serão beneficiados pela integração do teleférico da comunidade – que será construído - com a estação de metrô São Conrado.

Intervenções para as obras

As obras de expansão da estação General Osório, em Ipanema, e de escavação do trecho Oeste (Barra-Gávea) têm licença ambiental. Já o trecho Sul (Gávea-Ipanema) ainda está em fase de licenciamento. Uma vez obtida a licença ambiental, prevista para início de 2012, serão iniciadas as obras na Zona Sul da cidade, entre a Gávea e a Praça General Osório.

Para minimizar os impactos da obra sobre a população, o Governo do Estado, a Prefeitura e o Consórcio Rio-Barra vão utilizar o Shield, conhecido como “tatuzão”, para escavar os túneis subterrâneos. Essa será a primeira vez que o equipamento – importado da Alemanha – será utilizado no Rio. A máquina é silenciosa e não provoca trepidação, evitando incômodo aos moradores.

Em duas semanas, o Governo do Estado deve detalhar o cronograma de interdição de ruas e praças para a realização da obra.

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário