terça-feira, 31 de maio de 2011

Agetransp multa Metrô Rio por atraso na entrega de novos trens

31/05/2011 - Agência Rio

O Conselho Diretor da Agetransp decidiu por unanimidade, em sessão regulatória realizada nesta terça-feira (31), multar a concessionária Metrô Rio em R$ 374 mil, por não ter colocado em circulação, em agosto de 2010, os novos trens adquiridos na China, como previsto no 6º Termo Aditivo ao contrato de concessão, assinado em dezembro de 2007 pelo Poder Concedente e a concessionária. 

A Agetransp considerou que a concessionária frustrou as expectativas criadas pela colocação em operação dos novos trens, o que representou sério prejuízo às políticas públicas de transporte do Estado do Rio de Janeiro e aos interesses da população.

sábado, 28 de maio de 2011

Rio abre visitação às obras de nova linha do metrô

26/05/2011 - R7

Grupo de alunos percorreu os 900 m escavados até o momento
Foto: Divulgação

Grupo de estudantes de escola técnica participou do primeiro passeio

As obras da linha 4 do metrô estão abertas à visitação. O primeiro passeio pelos 900 metros de túneis escavados foi feito por um grupo de alunos, entre 15 e 30 anos, dos cursos da área de transporte e logística da Escola Técnica Silva Freire, no Engenho de Dentro, zona norte da capital.

Os estudantes conheceram os métodos de engenharia utilizados e o sistema de reaproveitamento de água, que resulta em economia diária de 40 mil litros.

O secretário de Transportes do Rio, Julio Lopes, acredita que as obras receberão um número recorde de visitantes.

- As visitas públicas são uma tradição nas obras do metrô, desde 1978. Acreditamos que as inscrições para conhecer os túneis da Linha 4 superem todos os números registrados. Este equipamento beneficiará diretamente 240 mil pessoas todos os dias, é natural que haja expectativa e vontade da população em saber mais sobre os rumos da obra - explicou o secretário Julio Lopes.

A próxima visita pelas galerias será realizada dia 19 de junho. Os interessados devem se inscrever pelo telefone 2236-2928, ou pelo e-mail visitaguiada@ccrblinha4.com.br.

De acordo com Julio Lopes, as obras de construção da nova linha, que ligará Ipanema, na zona sul, à Barra da Tijuca, na zona oeste, serão concluídas em dezembro de 2015, cerca de seis meses antes da Olimpíada que terá a capital fluminense como sede.

quinta-feira, 26 de maio de 2011

Linha 4 é aberta para visitação pública

26/05/2011 - Agência Rio


A Secretaria Estadual de Transporte informou nesta quinta-feira (26) que está aberta a temporada de visitas públicas às obras de construção da Linha 4 do metrô. Cerca de 90 alunos da Escola Técnica Silva Freire, ligada à FAETEC, participaram do passeio inaugural e percorreram os 900 metros de túneis já escavados. Os estudantes, com idades entre 15 e 30 anos, matriculados em cursos na área de transporte e logística, conheceram os métodos de engenharia utilizados na obra e seu sistema de reaproveitamento de água, responsável pela economia de 40 mil litros diários.

O secretário de Transportes, Julio Lopes, recebeu os estudantes e anunciou a data da segunda visita, marcada para o próximo dia 19 de junho. Os interessados em participar devem se inscrever através do telefone 2236-2928, ou pelo endereço eletrônico visitaguiada@ccrblinha4.com.br.

"As visitas públicas são uma tradição nas obras de metrô, desde 1978. Acreditamos que as inscrições para conhecer os túneis da Linha 4 superem todos os números registrados. Este equipamento beneficiará diretamente 240 mil pessoas todos os dias, é natural que haja expectativa e vontade da população em saber mais sobre os rumos da obra", explicou o secretário Julio Lopes.

Metrô Rio reajusta tarifa de integração com ônibus neste sábado

26/05/2011 - Agência Rio

A partir deste sábado (28), o metrô vai reajustar a tarifa de integração com ônibus expressos. A informação foi divulgada nesta quinta-feira (26) pela assessoria da concessionária. A integração com os ônibus expressos passará a custar R$ 4,00. A nova tarifa para Barra e Jacarepaguá, que partem de Ipanema ou Del Castilho para a Barra e de Del Castilho para Curicica, será de R$ 4,10.

Ainda segundo o Metrô Rio, as outras tarifas não vão sofrer alteração. A integração com os ônibus intermunicipais também continua a ser vendida por R$ 4,20.





segunda-feira, 23 de maio de 2011

Construção de metrô em Ipanema divide opinião de moradores

22/05/2011 - Jornal do Brasil, Jorge Lourenço

Sonhada linha 4 ameaça Praça Nossa Senhora da Paz

A tão sonhada Linha 4 do metrô, que vai ligar a Barra da Tijuca às outras estações, finalmente sairá do papel. O problema é que nem todo mundo está feliz com a notícia. Na verdade, um bairro inteiro está em pé de guerra com o novo traçado do metrô. 

Trata-se de Ipanema, na Zona Sul do Rio, que ganhará mais duas estações para ligá-lo a Zona Oeste, uma no Jardim de Alah e outra na Praça Nossa Senhora da Paz. E esta última, para os moradores, será um atentado contra a qualidade de vida da região. 

– A Praça Nossa Senhora da Paz é o último reduto que o morador de Ipanema tem para andar passear com seu cachorro com tranquilidade, fazer um passeio tranquilo – alega Inez Barreto, coordenadora do Projeto de Segurança de Ipanema, movimento que tenta fazer a ponte entre a comunidade e o poder público. – Não contestamos uma estação no Jardim de Alah, mas a distância entre a General Osório e a Nossa Senhora da Paz é mínima! Fazer uma estação ali é jogar dinheiro público no lixo.

quarta-feira, 11 de maio de 2011

Novos trens começam a ser testados na China

04/05/2011 - Blog Metrô Rio


A partir do mês que vem, junho de 2011, o protótipo dos novos trens do Metrô Rio começará a ser testado na China. Exclusivamente para essa etapa, foi construída uma linha de 1,8 km na qual serão avaliadas a performance do modelo, a segurança e o pleno funcionamento de todos os itens.

As 19 novas composições terão TV, ar condicionado 33% mais potente que os da frota atual – o que manterá a temperatura ambiente em 23 graus – e contarão com paineis eletrônicos em LED informando a estação seguinte e o lado em que a porta será aberta. Os trens terão bancos longitudinais e passagem entre os carros, que permitem melhor circulação e acomodação dos passageiros. Todos serão monitorados por câmeras.

Na semana passada, uma equipe do Metrô Rio viajou à Changchun, na China, para aprovar a maquete com todas as especificações do projeto dos novos trens. O fornecedor, Changchun Railway Vehicles, responsável pela produção, apresentou à concessionária a réplica da composição em tamanho natural, que permitiu aos engenheiros analisar detalhes e fazer os ajustes finais no modelo das 19 novas composições que circularão na Linha 2.

Confira três reportagens da série “Trilhos do Futuro” do R7: http://bit.ly/letN3l, http://bit.ly/ltjN35 ehttp://bit.ly/ljthS7.

Veja na nossa galeria a maquete das novas composições.

terça-feira, 10 de maio de 2011

Linha 4 racha a cidade

30/04/2011 - O GloboLuiz Ernesto Magalhães


Traçado do metrô gera discórdia entre moradores da Zona Sul até a Barra

RIO - O Comitê Olímpico Internacional (COI) foi envolvido na sexta-feira na polêmica que criou um racha entre associações de moradores em relação às obras de expansão do metrô em direção à Barra da Tijuca . De um lado está a Câmara Comunitária da Barra, que defende o traçado que o Estado sugeriu e o COI aprovou: um prolongamento da Linha 1, indo da Praça General Osório, em Ipanema, até o Jardim Oceânico, na Barra. Do outro, 18 associações de moradores - a maioria da Zona Sul - e ONGs do movimento "A Linha 4 que o Rio Precisa", que defendem um projeto alternativo, com ramais e trajetos independentes.


O COI preferiu ficar fora da polêmica. O coordenador de Jogos Olímpicos, Gilbert Felli, disse que o traçado é uma questão que tem que ser discutida com os governos locais.


O grupo dissidente propõe que os trens, após passarem pela Barra e por São Conrado, sigam para a Gávea, pegando depois Jardim Botânico, Humaitá, Laranjeiras (ou Cosme Velho) até chegar ao Largo da Carioca, no Centro. O governo do estado quer entregar para testes, em 15 de dezembro de 2015, cinco novas estações: Jardim Oceânico, São Conrado, Praça Antero de Quental, Jardim de Alah e a Praça Nossa Senhora da Paz. Destas, apenas Jardim Oceânico e São Conrado estão em obras - as demais estão em fase de licitação. A operação comercial começaria em maio do ano seguinte, três meses antes dos Jogos. Uma sexta estação, na Gávea, não deverá ficar pronta a tempo para as Olimpíadas. O custo do projeto chegaria a R$ 5 bilhões.

- Se vamos construir um metrô apenas para atender às necessidades de 20 dias das Olimpíadas o melhor é fechar a cidade e decretar feriado. Essa é uma obra que vai deixar um elefante branco. Se queremos deixar um legado, a situação ainda é reversível - diz Andrea.Câmara da Barra critica dissidentes

O presidente da Câmara Comunitária da Barra da Tijuca, Delair Dumbrosck, reagiu, dizendo que as três associações do bairro que querem mudar o projeto estão em minoria:

- Em 1998, quando começaram as discussões sobre o trajeto do metrô para a Barra, as associações de moradores da Zona Sul foram contra. Eles se opuseram também a outras proposta ao longo dos anos para melhorar o trânsito para o bairro, como construir um mergulhão na Praça Sibelius. Nesse momento, nós queremos construir o metrô que for possível.

A presidente da Associação de Moradores de Botafogo (Amab), Regina Chiaradia, rebateu Delair:

- Se o projeto sair conforme o proposto, não terá retorno. Nunca a estação da Gávea será construída. A história do Metrô provou isso deixando esqueletos inacabados pelo caminho: a estação São João (Botafogo) e a ligação Estácio-Carioca jamais foram feitas - disse.

A Câmara Comunitária da Barra e o Movimento da Linha 4 só concordam em um ponto. Eles não querem que a estação do Jardim Oceânico seja a única da Barra. Defendem que os trens sigam até o Terminal Alvorada, onde se integrariam aos ônibus dos corredores de BRTs Transoeste (Barra- Santa Cruz) e Transcarioca (Barra-Penha-Aeroporto Tom Jobim), em construção pela prefeitura. Pelos planos apresentados ao COI, o trajeto Alvorada-Jardim Oceânico seria coberto por uma extensão do Transoeste ainda não licitada pelo município. Delair provoca as demais associações com uma sugestão para viabilzar financeiramente a expansão na Barra:

- Se existem dúvidas sobre quando a estação da Gávea será concluída, que ela não seja feita agora. O dinheiro economizado seria usado para levar o metrô até o terminal Alvorada - disse Delair.

O Movimento Linha 4 alega que a estação da Gávea é essencial, pois temem que os trens circulem superlotados. Em meio à discussão, a presidente da Associação de Moradores do Leblon, Evelyn Rosenzweig, propôs uma solução intermediária. Ela sugere que o traçado proposto pelo governo do estado seja concluído, mas sob algumas condições:

- Se não for possível concluir a estação da Gávea, que ao menos seja projetada em dois níveis, e não apenas numa única plataforma. O ramal independente permitiria a expansão da Linha 4.

O governador Sérgio Cabral preferiu se manifestar sobre a polêmica em nota oficial, sem citar o traçado alternativo porque, segundo o Palácio Guanabara, este não tem estudos de viabilidade. A nota aborda o traçado original da Linha 4, licitado em 1998. Nele, o ramal teria cinco estações: Morro São João (Botafogo), Humaitá, Jockey Clube (Gávea), São Conrado e Jardim Oceânico (Barra). Segundo a nota, o traçado que está em construção é o que assegura a maior mobilidade para a população. A viagem da Barra ao Largo da Carioca levaria 33 minutos e a demanda de passageiros chegaria a 219 mil por dia.

A entrega do manifesto no Palácio da Cidade ocorreu logo após a prefeitura apresentar o site Cidade Olímpica(www.cidadeolímpica.rj.gov.br ou www.cidadeolimpica.com), em que o cidadão poderá acompanhar a evolução dos projetos para as OIimpíadas com recursos multimídia, que incluem fotos diárias tiradas dos canteiros, depoimentos de especialistas e da população beneficiada pelas obras. No primeiro dia, ficou congestionado e saiu várias vezes do ar. Logo depois do lançamento do site, Nawal explicou que o COI ficou satisfeito com o andamento dos projetos. Mas, por duas vezes, disse esperar que na próxima visita, em junho, a Autoridade Pública Olímpica (APO) esteja formalmente constituída. A implantação da APO já está atrasada cerca de um ano. Para que o ex-presidente do Banco Central Henrique Meirelles seja nomeado, terá ainda de ser sabatinado pelo Senado.

© 1996 - 2011. Todos os direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A.

segunda-feira, 9 de maio de 2011

Dinheiro em caixa para a construção da Linha 3

06/05/2011 - Secretaria de Estado de Transportes

Além de atender a uma demanda prevista de 350 mil pessoas, a Linha 3 será fundamental para o fluxo dos funcionários do Comperj

Assim como a Linha 4 do metrô para a Barra, o Governo do Estado está trabalhando para ampliar a malha metroviária também em outra cidades fluminenses. Em reunião com a Associação Comercial de São Gonçalo, na noite desta quinta-feira, o secretário de Transportes, Julio Lopes, afirmou que população local, e os moradores de Niterói estão muito perto de ver o início das obras da Linha 3, que ligará os dos municípios da Região Metropolitana. Segundo o secretário, o Estado já tem em caixa a verba necessária para o início das obras civis, que, para serem executadas, aguardam apenas o fim da revisão de documentos pelo TCU.

- Com o apoio do Governo Federal e das duas prefeituras, o Governador Sérgio Cabral está prestes a dar início à Linha 3. O Governador nos determinou que a linha esteja em operação até 2014. Estamos empreendendo esforços também para acelerar o processo de concessionamento da operação da via, que ligará Guaxindiba a Araribóia. Em Niterói, executaremos um ousado projeto de autoria do arquiteto Oscar Niemeyer, que vai dar vida à primeira grande estação multimodal do Brasil, unindo em um só espaço, o metrô, uma nova rodoviária e a estação das barcas, que passará por uma total revitalização e modernização - anunciou o secretário Julio Lopes.

Além de atender a uma demanda prevista de 350 mil pessoas, a Linha 3 será fundamental para o fluxo dos funcionários do Comperj. Além disso, as obras deverão gerar mais de 15 mil empregos diretos e indiretos. A via terá a extensão de 23 quilômetros, e a previsão é de que os custos totais cheguem a R$ 2,5 bilhões, incluindo obras civis, equipamentos, sinalização e material rodante.

Durante a reunião, Julio Lopes lembrou que a Petrobrás é responsável pela construção de um grande porto em Itaoca, entre Itaboraí e São Gonçalo, que servirá como base para fluxo de material de construção para o Comperj. Até o final de 2013, o equipamento deverá passar para a administração Governo do Estado, a fim atender ao transporte de carga e também de passageiros.

sexta-feira, 6 de maio de 2011

Meta de conclusão da Linha 4 do metrô é 2015, diz governo

06/05/2011 - ODia

Rio - A Secretaria Estadual de Transporte divulgou uma nota oficial, neste sábado, na qual garante que todas as sete estações que compõem a Linha 4 do metrô estarão concluídas ate dezembro de 2015. Na nota, a Secretaria explica que o início das obras não será simultâneo e conclusão das estações deve ocorrer na seguinte sequência: Jardim Oceânico; São Conrado; Nossa Senhora da Paz; Jardim de Alah; Antero de Quental; expansão da estação General Osório e Gávea. Mesmo assim, o órgão afirma que a meta colocar todas elas em funcionamento no dia 15 de dezembro, para testes.

Segundo a nota divulgada, a Gávea será a última a ser concluída devido ao fato de apresentar maior complexidade para construção. Esta complexidade, ainda segundo a nota, se justifica, em parte, pelo solo heterogêneo apontado pelas sondagens, e pela profundidade com que deverá ser implantada para assegurar a continuidade da Linha 4 em direção ao centro da cidade futuramente.

quinta-feira, 5 de maio de 2011

Secretário garante linha 3 do metrô do Rio até 2014

05/05/2011 - Agência Rio



O secretário de Transportes do Estado do Rio de Janeiro, Julio Lopes, garantiu nesta quinta-feira (5) que a linha 3 do metrô sai do papel até 2014, quando termina sua gestão na pasta. Durante entrevista a uma rádio, Lopes disse ainda que um dos grandes desafios de sua gestão é melhorar as condições e garantir conforto aos usuários dos trens e das barcas.

Segundo o secretário, o projeto da linha 3, que ligará Niterói a São Gonçalo, demorou a sair do papel porque demandava investimentos de grande porte. A previsão é que os custos cheguem a R$ 2,5 bilhões. Com extensão de 23 quilômetros, sendo 18,8 quilômetros de vias elevadas e 4,2 quilômetros de vias em superfície, o trajeto terá 14 estações, saindo da Praça Araribóia, no centro de Niterói, até o bairro de Guaxindiba, em São Gonçalo. Todo o percurso será acompanhado por uma ciclovia dotada de bicicletários e sinalização específica.

Lopes rebateu ainda as críticas ao traçado da linha 4 (Barra – Leblon), afirmando que dados obtidos através de pesquisas de demanda realizadas pela secretaria mostram que a maior parte da população que utiliza transporte de massa opta pelo trajeto.

"Aproximadamente 140 ônibus que saem dos condomínios da Barra da Tijuca com destino ao centro optam pelo trecho que passa por Copacabana, contra 109 que usam a Linha Amarela e apenas 58 que fazem o caminho pelo Jardim Botânico. A pesquisa também mostra que vamos dobrar o número de potenciais usuários do metrô de 120 mil para 240 mil por dia quando concluirmos a linha 4, uma obra que vai custar R$ 4 bilhões, além de mais R$ 1 bilhão em equipamentos", disse o secretário.

A estação da Gávea, também incluída no trajeto, ficará pronta em 2015, quando todo o sistema será entregue para testes operacionais, cumprindo o cronograma para os Jogos Olímpicos.

"Existem peculiaridades de engenharia naquela obra que poderão resultar em dificuldade adicional. Estamos construindo seis estações e transformando a da General Osório, num trecho de 14 quilômetros, a maior linha desde o surgimento do metrô, em 1979. Mas o que estamos inaugurando é uma maneira nova de fazer política e gerir o bem público, já que essas intervenções serão inauguradas pelo governo que nos sucederá", lembrou Júlio Lopes.

A criação de novas linhas de barcas também foi tema de questionamento. Mas o secretário afirmou que, antes, é preciso investir nos trajetos já existentes e citou o acordo de R$ 300 milhões entre a concessionária Barcas S.A e o governo do Estado para compra de novas embarcações.

A Supervia também sofrerá melhorias para atender melhor e garantir mais conforto aos usuários.

"De fato, não temos atendido a população como gostaríamos, em função da precariedade no sistema. Mas os novos trens com ar condicionado postos em circulação e o pagamento das composições coreanas - que o governo anterior havia comprado, mas não tinha pago – fez o número de passageiros saltar de 400 mil por dia, em 2007, para 550 mil. Ainda em 2011, teremos melhora substancial, pois os trens que compramos na China começarão a chegar no mês de maio", garantiu Lopes.

(MG)

segunda-feira, 2 de maio de 2011

Governo do Rio informa que meta é construir Linha 4 com estação da Gávea

02/05/2011 - Agência Rio

O Governo do Estado do Rio de Janeiro informou no sábado, através de nota oficial, que a meta é construir, até dezembro de 2015, a integralidade da Linha 4 do sistema metroviário da cidade. O projeto é constituído pelas estações Jardim Oceânico, São Conrado, Gávea, Antero de Quental, Jardim de Alah, Nossa Senhora da Paz e pela ligação com a Linha 1 na estação General Osório, cumprindo assim o que foi estabelecido no “Termo Aditivo nº 1 do Contrato de Concessão Precedido de Obra”, firmado em fevereiro de 2010.

Segundo a Secretaria de Estado de Transportes do Rio de Janeiro, as sete estações que compõem a Linha 4 terão plantas arquitetônicas, características e métodos construtivos diferenciados e a construção terá início em datas subseqüentes. Sendo assim, por certo não serão concluídas simultaneamente.

O cronograma de conclusão de estações prevê a seguinte seqüência: Jardim Oceânico; São Conrado; Nossa Senhora da Paz; Jardim de Alah; Antero de Quental; expansão da estação General Osório e Gávea. Não obstante serem as estações concluídas em datas diferenciadas, a meta é colocá-las em funcionamento simultaneamente em 15/12/2015, para início de testes.

Ainda de acordo com a secretaria, a necessidade de ser a estação Gávea a última a ser concluída, com maior tempo de construção, deve-se ao fato de sua complexidade construtiva, em parte justificada pelo solo heterogêneo que as sondagens apontaram existir, e também pela profundidade com que deverá ser implantada, com vistas a assegurar a continuidade da Linha 4 em direção ao centro da cidade, no futuro.

domingo, 1 de maio de 2011

COI na linha 4

29/04/11 - O Globo

Líderes comunitários da Zona Sul, Barra e Tijuca entregam hoje ao Comitê Olímpico Internacional  o manifesto contrao atual desenho da linha 4 do metrô. Sugerem o resgate do traçado original, que passaria por Botafogo e não pelo Leblon.