quarta-feira, 30 de junho de 2010

Designer cria novo interior para carros



29/06/2010 - Pequenas Empresas & Grandes Negócios
Clique para ampliar
Projeto otimiza espaço nos carros de metrô com assento no meio

Para quem está acostumado à vida nas grandes cidades, o metrô não é nenhum estranho, embora muitos se queixem de diversas características do meio de transporte. O designer austríaco Aleksandar Dimitrov quis otimizar o espaço interno dos vagões de metrô e elaborou uma proposta de novo design de interior para os trens. No conceito, um assento que é um longo módulo com espaço para sentar nos dois lados e feito de fibra de fibra fica no meio do vagão; cada um desses bancos tem seis metros de comprimento.

Para os que viajam em pé, o designer distribuiu pelas paredes formas irregulares de canos de segurança; graças às formas, eles garantem sustentação tanto para crianças quando adultos. No meio, presos ao teto, mais trilhos de segurança estão disposto em forma elíptica.

Segundo o designer, a ideia é garantir ao interior formas um pouco mais orgânicas, em vez das bruscas e quadradas formas dos metrôs convencionais, tudo isso para melhorar a experiência ao se viajar no trem. Austríaco, Dimitrov estudou em Londres, na Inglaterra e atualmente vive e trabalha em Palma de Mallorca, na Espanha, onde mantém seu empreendimento, o Vihrogone, que elabora soluções para design de produto e de interiores.

segunda-feira, 28 de junho de 2010

Passageiros desembarcam na Estação Maracanã após vazamento de gás na linha 2 do metrô

TRANSTORNO
O Globo - 28/06/2010

RIO - Um dos carros de uma composição da Linha 2 do metrô que seguia para a Pavuna por volta das 15h20m desta segunda-feira apresentou um vazamento de gás do ar condicionado, o chamado gás freon, que não é tóxico. O equipamento fica localizado fora do trem, na parte debaixo do vagão.

Segundo nota da Metrô Rio, por precaução os passageiros foram desembarcados na Estação Maracanã. Logo em seguida, a concessionária direcionou uma composição vazia para que eles pudessem seguir viagem. Não houve atrasos na circulação dos trens.

Na mesma nota, a empresa esclareceu que " está investindo R$ 13 milhões na reforma de todos os equipamentos de ar condicionado dos 182 carros que compõem os 32 trens da frota". A concessionária estaria também substituindo todos os condensadores, reformando evaporadores e compressores para melhorar o desempenho do sistema e aumentar a vida útil de cada um dos 364 aparelhos instalados, sendo dois por carro.

As mudanças foram sugeridas pelas consultorias internacionais Carrier e Interfleet, contratadas pela concessionária para estudar as melhorias tecnicamente possíveis na frota atual do Metrô, comprada pelo governo do estado na década de 70, e com tecnologia já ultrapassada.

http://oglobo.globo.com/rio/mat/2010...-917000045.asp

A expectativa da Metrô Rio é que todos os trens estejam com o desempenho melhor até novembro, antes do próximo verão.

Rio inicia obras da Linha 4 do Metrô



A nova malha deve ser finalizada em 2015       
Linha terá 14 quilômetros de extensão
 
As escavações da Linha 4 do Metrô do Rio de Janeiro foram iniciadas neste sábado, 26. O primeiro passo para a abertura do túnel da via, que chegará à Barra da Tijuca, foi acompanhado pelo governador Sérgio Cabral. A linha ligará a Zona Oeste à Zona Sul da cidade.
Cabral considerou a perfuração como um dos momentos mais emocionantes dos seus três anos e meio à frente do governo fluminense. Segundo ele, está sendo reparada uma falha na infraestrutura da Barra da Tijuca após 40 anos.

A obra, que beneficiará os moradores da Barra e do Recreio, vai sair da Barra, passando por São Conrado, Gávea, Leblon até chegar a Ipanema. Serão 14 quilômetros de linha construídos de uma só vez. A meta é que antes de 2016 a população já possa chegar à Barra contando com um meio de transporte rápido como o metrô.

A Secretaria de Transportes do estado afirma que a chegada do metrô até a Barra mudará a forma como o carioca se desloca pela cidade. A expectativa do governo do Estado é de que a Linha 4 já esteja funcionando em dezembro de 2015 e beneficie, diariamente, 240 mil pessoas.

“Essa é uma obra fundamental para melhorar a mobilidade numa região que não para de crescer. É também um desejo e uma reivindicação dos moradores locais, que vão se beneficiar com um transporte mais rápido e eficiente. Por dia, a nova linha vai atender a mais de 240 mil pessoas”, observou Sebastião Rodrigues, secretário dos transportes.

Neste primeiro momento, os serviços estarão concentrados na região da Estrada da Barra, na altura do número 750, entre as pontes nova e velha sobre o Canal da Barra. Esse primeiro túnel terá extensão de aproximadamente 300 metros, com 8,30 metros de largura por 7,70 metros de altura.

O metrô Rio parte para a Barra



25/06/2010 - Jornal do Brasil

Uma das obras mais esperadas dos últimos tempos, a Linha 4 do metrô – que ligará a Zona Sul à Barra da Tijuca – começará a ser construída amanhã.

Com 14 quilômetros de extensão, a linha passará por Leblon, Gávea e São Conrado, até chegar a estação próxima ao shopping Barra Point. A abertura dos trabalhos contará com as presenças do governador Sergio Cabral, do vice-governador Luiz Fernando Pezão, do prefeito Eduardo Paes e do secretário estadual de Transportes, Sebastião Rodrigues. Os quatro estarão na encosta da Pedra do Focinho do Cavalo, no Maciço da Tijuca, onde será aberto o primeiro túnel do novo trecho.

Para o início das obras, a Secretaria Estadual de Transportes retirou mais de 1.500 plantas nativas, a maioria bromélias, da área a ser escavada. As espécies foram levadas para o Jardim Botânico. A proteção ao meio ambiente, segundo as autoridades, será a tônica do projeto.

O trânsito na Estrada da Barra, entre a ponte nova e a ponte velha sobre o Canal da Barra, será desviado. Agentes da CET-Rio vêm orientando os motoristas que seguem em direção ao Itanhangá, Alto da Boa Vista e Rio das Pedras a optarem pela nova pista, aberta junto ao canal. A sinalização visual no local foi reforçada para evitar acidentes. As alterações no trânsito continuarão enquanto durarem as obras.

Prazo é até 2016 - A intenção das autoridades é que a chegada do metrô à Barra provoque uma revolução na forma como o carioca se desloca pela cidade. A expectativa do governo do Estado é de que a Linha 4 já esteja funcionando em 2016 e beneficie, diariamente, 240 mil pessoas.

domingo, 27 de junho de 2010

Começou hoje obra que vai levar o metrô do Rio até a Barra da Tijuca



Agência Brasil
Publicação: 26/06/2010 12:01
Começou neste sábado (26/6) a obra do túnel de serviço da linha 4 do metrô do Rio de Janeiro, que terá 14 quilômetros de extensão e vai ligar a Barra da Tijuca, na zona oeste, a Ipanema, na zona sul. O investimento previsto é de R$ 4 bilhões. A construção do túnel de serviço é o primeiro passo para a abertura da galeria principal, por onde passará o metrô. Maior empreendimento do setor de transportes no Rio nos próximos anos, a linha 4 passará pelos bairros de São Conrado, da Gávea e do Leblon até chegar a Ipanema.

Em respeito ao meio ambiente, a Secretaria Estadual de Transportes retirou 1,5 mil plantas nativas, a maioria bromélias, da área onde serão feitas as escavações. As plantas foram levados para o Jardim Botânico. Especialistas consultados pela Agência Brasil apostam que a chegada do metrô na Barra da Tijuca provocará “uma revolução” na forma como o carioca se desloca pela cidade. O governo estadual estima que a linha 4 estará funcionando em 2016, por ocasião dos Jogos Olímpicos, e deverá beneficiar, diariamente, cerca de 240 mil pessoas.

sábado, 26 de junho de 2010

Começam as escavações da Linha 4 do metrô, que ligará a Barra a Ipanema

DEPOIS DE TANTA ESPERA...


Publicada em 26/06/2010 às 13h55m
Ediane Merola - O Globo - 26/06/2010
  • R1
  • R2
  • R3
  • R4
  • R5
  • MÉDIA: 3,9
O governador Sérgio Cabral acompanhou, de cima de um trator, o início das escavações da Linha 4. Foto de Márcia Folleto (O Globo)
RIO - Começaram neste sábado as escavações da Linha 4 do metrô, que vai ligar a Barra da Tijuca à Zona Sul da cidade. Com 16 quilômetros de extensão, ela terá seis estações: Jardim Oceânico, na Barra; uma em São Conrado, na Gávea, no Leblon, no Jardim Botânico e outra em Ipanema, que deve ficar na Praça Nossa Senhora da Paz. O governador Sérgio Cabral participou da inauguração da obra que, segundo ele, é um momento marcante para o estado:
_ Sem dúvida esse é um momento emocionante, uma obra tão sonhada, cantada e decantada. O Rio tem um história da infraestrutra sempre correndo atrás da expansão, num festival de mau gosto, como foi destruir a Avenida Central para construir a Rio Branco, onde destruiram monumentos em nome da modernidade. Na Barra teve a inconsequência de expandir o bairro sem infraestrutura, esgoto, que agora, após décadas, estamos realizando. A mesma coisa ocorre com o transporte, que é sinônimo de sofrimento. O metrô é um presente para o povo, não só da Barra e do Recreio. É um sonho se concretizando para 2016 e um legado que ficará para a cidade _ disse o governador.
O custo inicial da Linha 4 é de R$ 5 bilhões, mas segundo o diretor de engenharia do consórcio construtor Rio Barra, Bento Lima, este valor sofrerá alteração, pois o projeto do trecho que liga a Gávea a Ipanema ainda não está concluído. A previsão é de que as novas estações estejam em funcionamento em dezembro de 2015. Os funcionários começaram a escavar o túnel de serviço, que será aberto na encosta da Pedra do Focinho do Cavalo, no Maciço da Tijuca. A construção desta passagem é o primeiro passo para a abertura da galeria principal, por onde o metrô passará.

quinta-feira, 24 de junho de 2010

Escavações da Linha 4 do metrô começam neste sábado



Plantão | Publicada em 24/06/2010 às 20h08m

O Globo

RIO - O Governo do Estado dará início neste sábado às escavações da Linha 4 do metrô. Com 14 quilômetros de extensão, a Linha 4 sairá da Barra passando por São Conrado, Gávea, Leblon até chegar em Ipanema. O túnel de serviço será aberto no na encosta da Pedra do Focinho do Cavalo, no Maciço da Tijuca. A escavação é o primeiro passo para a construção da galeria principal, por onde o metrô passará. A expectativa do Governo do Estado é de que a Linha 4 já esteja funcionando em 2016 e beneficie, diariamente, 240 mil pessoas.

O trânsito na Estrada da Barra está desviado entre a ponte nova e a ponte velha sobre o Canal da Barra. Agentes de trânsito orientam os motoristas que seguem em direção ao Itanhangá, Auto da Boa Vista e Rio das Pedras a seguirem por uma nova pista aberta junto ao canal. As alterações no trânsito continuarão enquanto durarem as obras.

Para o início das obras, a Secretaria estadual de Transportes retirou mais de 1.500 plantas nativas, a maioria bromélias, da área onde ocorrerão as escavações. As plantas foram levadas para o Jardim Botânico do Rio.

Neste sábado, acompanharão o início dos trabalhos de escavações o governador Sérgio Cabral, o vice-governador Luiz Fernando Pezão, o prefeito do Rio Eduardo Paes, o secretário estadual de Transportes Sebastião Rodrigues, representantes do Consórcio Construtor Rio Barra, o presidente da Concessionária Rio Barra Júlio Teixeira e outras autoridades. 

Leilão da Rio Trilhos arrecada quase R$ 38 milhões


Jornal do Commercio online, 15/jun
Durante o primeiro leilão para a venda de terrenos da Rio Trilhos, realizado nesta segunda-feira (14), na sede da Firjan, foram arrematados seis terrenos de áreas remanescentes a construção da Linha 1 do metrô, rendendo aos cofres do governo do estado R$ 37,9 milhões. O dinheiro será utilizado para a construção da Linha 4 do metrô e para pagamento de antigas dívidas trabalhistas da empresa.
O resultado do leilão superou as expectativas iniciais, e fechou com um ágio de 56,7% sobre a previsão inicial de arrecadação, que era de R$ 24.210 milhões. Os terrenos que foram a leilão estão localizados nos bairros de Botafogo, Largo do Machado, Catete e Flamengo.
O secretário estadual de Transportes, Sebastião Rodrigues, que acompanhou os trabalhos, saiu satisfeito com o resultado. "Esses recursos vão servir para acelerarmos as obras da Linha 4, que será o grande projeto do setor de transportes nos próximos anos. Além disso, parte dos recursos será usada para quitar dívidas antigas que o estado tem com os trabalhadores que ajudaram a construir o sistema metroviário do Rio", comentou o secretário.
A construtora CHL e a João Fortes Engenharia adquiram terrenos em Botafogo e Flamengo, respectivamente.

Leilão de terrenos do metrô supera expectativa


14/06/2010 - O Globo
RIO - O governo estadual, através da Rio Trilhos, arrecadou nesta segunda-feira R$ 37,9 milhões com o primeiro leilão para a venda de terrenos remanescentes da construção da Linha 1 do metrô. O resultado superou as expectativas, com um ágio de mais de 50% sobre a previsão inicial, de R$ 24,2 milhões. As seis áreas que foram arrematadas estão todas localizadas na Zona Sul, nos bairros de Botafogo, Largo do Machado, Catete e Flamengo.
O leilão foi realizado em menos de uma hora, na sede da Firjan. Os recursos provenientes da venda servirão para auxiliar na construção da Linha 4 (Barra-Zona Sul) e no pagamento de antigas dívidas trabalhistas. De acordo com o secretário estadual de Transportes, Sebastião Rodrigues, há cerca de 50 terrenos do Metrô a serem leiloados.
Estão sendo realizados levantamentos sobre a situação jurídica de cada um deles. A previsão é que a próxima rodada aconteça daqui a pelo menos 45 dias. Na semana passada, a Procuradoria Geral do Estado (PGE) conseguiu, na 47ª Vara do Trabalho da capital, derrubar uma liminar que suspendia o primeiro leilão, abrindo caminho para o início do processo.

terça-feira, 15 de junho de 2010

Governo arrecada em leilão R$ 37,9 milhões para linha 4 do metrô


Foram leiloadas áreas na Zona Sul da cidade.
Verba também será usada para pagar dívidas trabalhistas.


Do G1 RJ  15/06/2010

imprimir 
O primeiro leilão para a venda de terrenos da Rio Trilhos, realizado nesta segunda-feira (14) na sede da Firjan, no Centro do Rio, arrecadou cerca de R$ 37,9 milhões. O dinheiro será utilizado para a construção da Linha 4 do metrô e para pagamento de antigas dívidas trabalhistas da empresa.

Em menos de uma hora, seis terrenos de áreas remanescentes a construção da Linha 1 do metrô foram arrematados.

O resultado do leilão superou as expectativas iniciais do governo do Rio, e fechou com um ágio de 56,7% sobre a previsão inicial de arrecadação, que era de R$ 24,2 milhões. Os terrenos que foram a leilão estão localizados nos bairros de Botafogo, Largo do Machado, Catete e Flamengo, na Zona Sul da cidade.

O secretário estadual de Transportes, Sebastião Rodrigues, que acompanhou os trabalhos, saiu satisfeito com o resultado.

“Esses recursos vão servir para acelerarmos as obras da Linha 4, que será o grande projeto do setor de transportes nos próximos anos. Além disso, parte dos recursos será usada para quitar dívidas antigas que o estado tem com os trabalhadores que ajudaram a construir o sistema metroviário do Rio”, comentou o secretário.

sexta-feira, 11 de junho de 2010

Plantas nativas são transplantadas para abrir caminho para a linha 4 do Metrô

PRESERVAÇÃO


Plantão | Publicada em 10/06/2010 às 16h08m
O Globo - 10/06/2010
    Plantas nativas do Maciço da Tijuca são transferidas para o Jardim Botânico para início das obras da linha 4 do metrô / Divulgação
    RIO - Mais de 1.500 plantas nativas, na maioria bromélias, estão sendo transferidas das encostas da Pedra do Focinho do Cavalo, no Maciço da Tijuca, diretamente para estufas no Jardim Botânico. A ação, prevista para terminar no dia 15 deste mês, faz parte do Compromisso de Compensação Ambiental firmado entre a Secretaria de Transportes e o Consórcio Construtor Rio Barra com o Instituto Estadual do Ambiente (Inea) para dar início a construção da Linha 4, que vai levar o metrô até a Barra da Tijuca.
    A fim de garantir o menor impacto possível às espécies, equipes de alpinismo foram contratadas para fazer a retirada da vegetação. Os trabalhos, que contam com o apoio de biólogo e engenheiros, se estendem por uma área de 1.400 m² da Pedra Focinho do Cavalo, onde será construído o túnel de serviço para a construção da galeria principal da Linha 4. Depois de cultivadas no Jardim Botânico, as plantas serão utilizadas para mitigar áreas degradadas no Parque Nacional da Tijuca.

    PGE derruba liminar contra leilão do metrô


    10/06/2010 - O Globo
    RIO - A Procuradoria Geral do Estado (PGE) conseguiu derrubar, nesta quinta-feira, a liminar que suspendia o leilão de seis terrenos do metrô. A revogação da liminar foi obtida junto à 47ª Vara do Trabalho da Capital. Com isso, o leilão será realizado, como estava previsto, no dia 14 de junho, às 15h.
    O leilão havia sido suspenso pela juíza Rosângela Kraus, da 47ª Vara de Trabalho, acatando uma ação movida por um ex-funcionário da Rio-Trilhos (que absorveu a equipe da antiga Companhia do Metropolitano), com base no fato de que a empresa tem dívidas trabalhistas.
    Segundo o secretário estadual de Transporte, Sebastião Rodrigues, o dinheiro arrecadado com o leilão será usado na construção da Linha 4 do metrô (que ligará a Zona Sul à Barra) e no pagamento de dívidas com ex-funcionários.
    No entanto, o advogado Marco Antônio Andrade, que defende o autor da ação, diz que no edital não há qualquer referência a pagamento de dívidas trabalhistas. Segundo o advogado, o dinheiro do leilão irá diretamente para a conta-corrente do estado, e não da Rio-Trilhos.

    quinta-feira, 10 de junho de 2010

    Metrô Rio instala telão na estação Carioca


    09/06/2010 - SRZD
    Quem trabalha no Centro e não será liberado a tempo para assistir aos jogos do Brasil na Copa do Mundo em casa poderá torcer pela Seleção na estação Carioca do Metrô. A Metrô Rio instala nesta quinta-feira um telão de 180 polegadas (3,66m X 2,74m) no espaço de eventos da estação, próximo ao acesso da Av. Chile. Na sexta, quem passar pelo local já poderá assistir a abertura do Mundial às 15h.
    Exposição comemora os 40 anos do Tricampeonato
    Na próxima segunda-feira, véspera da estreia do Brasil na Copa, o Metrô apresenta a exposição itinerante 40 Anos da Vitória na Estação Ipanema/ General Osório, com fotos originais do Tricampeonato da Seleção Brasileira no Mundial de 1970, documentadas pelo repórter fotográfico Ari Gomes, com 25 anos de experiência em coberturas esportivas. Além de apreciar o registro das imagens, o público terá a oportunidade de interagir com ex-jogadores da seleção canarinho que participaram da Copa de 70. Eles prestigiarão a abertura da exposição em quatro estações, conforme a programação abaixo. A mostra estará em Ipanema até quarta-feira e depois segue para a Carioca, de 21 a 23 de junho. A exposição ainda passará pelas estações Nova América/ Del Castilho, de 30/06 a 2/07, e Pavuna, de 5 a 7 de julho.
    Programação:
    *  Ipanema/General Osório: de 14 a 16/06
    Dia 14/06, das 10h30 às 13h - Presença dos ex-jogadores Brito, Roberto Miranda, Marco Antônio e do fotógrafo Ari Gomes.
    * Carioca: de 21 a 23/06
    Dia 21/06 (Comemoração dos 40 anos da vitória em 1970), das 10h30 às 13h - Presença dos ex-jogadores Brito, Roberto Miranda, Marco Antônio, Amarildo e Altair, além do fotógrafo Ari Gomes.
    * Nova América/ Del Castilho: de 30/06 a 2/07
    Dia 30/06, das 10h30 às 13h - Presença dos ex-jogadores Brito, Roberto Miranda, Amarildo e do fotógrafo Ari Gomes.
    * Pavuna: de 5 a 7/07
    Dia 05/07, das 10h30 às 13h - Presença dos ex-jogadores Brito, Roberto Miranda, Marco Antônio e Amarildo, além do fotógrafo Ari Gomes.

    quarta-feira, 9 de junho de 2010

    Leilão de terrenos do metrô é suspenso

    SINAL FECHADO


    Publicada em 08/06/2010 às 23h05m
    Rogério Daflon - 08/06/2010 - O Globo
      RIO - A juíza Rosângela Kraus, da 47 Vara de Trabalho, suspendeu um leilão de imóveis da Rio-Trilhos (que absorveu funcionários da antiga Companhia do Metropolitano), marcado para o dia 14. Ela concedeu a liminar, numa ação movida por um ex-funcionário, com base no fato de que a empresa tem dívidas trabalhistas. Segundo o secretário estadual de Transporte, Sebastião Rodrigues, o dinheiro arrecadado seria usado na construção da Linha 4 do metrô (que ligará a Zona Sul à Barra) e no pagamento de dívidas com ex-funcionários. No entanto, o advogado Marco Antônio Andrade, que defende o autor da ação, diz que no edital do leilão não há qualquer referência a pagamento de dívidas trabalhistas.
      - Só o nosso escritório tem 12 clientes já beneficiados com sentença na Justiça e que nada receberam da Rio-Trilhos de 1996 para cá - afirmou o advogado.
      Segundo o advogado, o dinheiro do leilão iria diretamente para a conta-corrente do estado, e não da Rio-Trilhos.
      - O item 8 do edital prevê que o dinheiro arrecadado irá para uma conta do estado, e não para a da Rio-Trilhos. Dessa forma, ex-empregados ou mesmo empregados da Rio-Trilhos não teriam como receber o dinheiro referente a dívidas trabalhistas, já que o patrimônio da empresa ficaria dilapidado, impossibilitando futuras penhoras - afirmou o advogado.
      Ele disse que o caso remete a uma figura jurídica chamada fraude de execução, descrita no Código de Processo Civil: quando um devedor passa a alienar bens que poderiam ser usados para quitar seus débitos, tornando a empresa insolvente:
      - Isso é um ato atentatório à dignidade da Justiça.
      O secretário negou, no entanto, que o leilão dilapidaria o patrimônio da Rio-Trilhos. Os imóveis ficam na Zona Sul.
      - A Rio-Trilhos tem um total de 73 imóveis. Temos lastro para pagar as dívidas trabalhistas - acentuou.
      Para o advogado, o estado deve encontrar outra forma de aumentar a malha metroviária:
      - Não é correto o estado vender patrimônio de uma empresa com tantas dívidas trabalhistas. A Rio-Trilhos não consegue saldar dívidas de quase 15 anos.

      quinta-feira, 3 de junho de 2010

      Metrô Rio traz da China solução para atrasos



      28/05/2010 - Brasil Econômico

      O Metrô Rio (Concessão Metroviária do Rio de Janeiro), controlado pela Invepar, será responsável pela chegada desses novos trens - uma operação que envolve um quarto do valor estimado em R$ 1,2 bilhão para investimentos na expansão previstos pela concessão.
      São ao todo 19 trens, sendo que o primeiro deles tem chegada prevista para o primeiro semestre de 2011 e, a partir daí, um novo trem deverá aportar no Rio a cada dois meses.
      Nessa estimativa, a frota só estará completa às vésperas da Copa do Mundo de 2014. Esse processo, porém, envolve uma operação complexa, que deixou fora do Brasil todo o trâmite de fabricação desses equipamentos.
      A ampliação do sistema metroviário do Rio tenta caminhar no ritmo dos investimentos em infraestrutura e aumento das redes de transporte urbano , que tomam os grandes centros urbanos brasileiros.
      A negociação do Metrô Rio com a holding chinesa CNR foi intermediada pela MTRC, que opera o metrô de Hong Kong. Pelo acordo, os trens são completamente montados e testados na China para serem transportados de navio para o Brasil.
      O diretor de relações institucionais do Metrô Rio, Joubert Flores, diz, porém, que todo o processo foi tratado detalhadamente com a CNR, constando em um documento de especificações com mais de 700 páginas.
      Nós negociamos com eles a escolha dos fornecedores. Todos os componentes dos trens são importados, afirma.
      Responsável pelo investimento na expansão da malha desde 2008, o Metrô Rio gastou até o momento R$ 760 milhões, sendo que R$ 300 milhões foram destinados para a compra dos trens.
      Os demais recursos serviram para obras em pontes, viadutos e estações, manutenção de sistemas de energia, ventilação e sinalização.
      Diferentemente do que ficou acertado com o Metrô Rio, porém, a CNR tratou com um representante no Brasil para negociar outros contratos de fornecimento.
      Paulo Benites, presidente da Trends Engenharia e Tecnologia, foi quem assumiu essa responsabilidade e explica que a CNR está no Brasil há menos de dois anos, mas mostra eficiência na ampliação de participação no mercado.
      Faturamento ampliado
      O Metrô Rio transporta diariamente 550 mil pessoas nos dias úteis. A previsão é de que essa capacidade alcançará 1,4 milhão com a chegada dos novos trens.
      Isso deve permitir também ampliar proporcionalmente o faturamento da concessionária, que foi de R$ 348,9 milhões em 2009.
      Joubert Flores pondera que a concessionária opera o metrô desde 1998 e que de lá para cá, o percurso cresceu, estaçlões foram inauguradas e a frota ficou do mesmo tamanho, porque os governos anteriores não fizeram os investimentos que eram de sua responsabilidade.
      O Estado tem previsão de investimento de mais R$ 5,2 bilhões em obras de expansão da malha metroviária. A Secretaria Estadual de Transportes do Rio de Janeiro informa que todos os investimentos realizados no sistema metroviário do Rio são negociados diretamente pelo Metrô Rio e pelo Governo do Estado.
      No entanto, a regulação e fiscalização do serviço prestado pela operadora cabem à Agetransp, a agência reguladora, que é um órgão independente.
      A definição pela compra de trens da companhia chinesa CNR, porém, foi uma decisão exclusiva da concessionária Metrô Rio.

      Metrô reforma estações para acesso a deficientes


      Concessionária deve entregar Estação Cidade Nova ainda este mês. Todos os 34 terminais terão elevadores ou plataformas sobre escadas para uso de cadeirantes até o fim do ano

      POR CELSO OLIVEIRA - O Dia - 03/06/2010
      Rio - Até o fim do ano, todas as 34 estações do metrô deverão estar adaptadas para deficientes, com elevadores ou plataformas de acesso pelas escadas. Oito terminais passam ainda por reformas internas e no entorno, como ocorreu em Del Castilho, por exemplo. Em Botafogo, os trabalhos estão em andamento. As obras fazem parte das obrigações da concessionária Metrô Rio previstas no contrato com o estado. Já a nova Estação Cidade Nova está prevista para ser inaugurada já no fim deste mês.
      Foto: Alexandre Vieira / Agência O Dia
      Cidade Nova é o ponto central da conexão direta Pavuna-Botafogo (linha 1A), inaugurada no fim de 2009. A estação está nos retoques finais | Foto: Alexandre Vieira / Agência O Dia
      Orçada em R$ 80 milhões, Cidade Nova é o ponto central da conexão direta Pavuna-Botafogo (linha 1A), inaugurada no fim de 2009. A estação está nos retoques finais — 400 operários dão acabamento ao piso da plataforma e nas duas escadas rolantes, seis fixas e seis elevadores para deficientes. Da Avenida Presidente Vargas, é possível vislumbrar o desenho arrojado da passarela ligando a estação à prefeitura.
      Com uma parte envidraçada, esse acesso sobre a via e o Canal do Mangue deverá ter quiosques e obedece ao gabarito imposto pelo município (6,25 m de altura) para a passagem dos carros alegóricos das escolas de samba. Cinco elevadores ficarão na passarela e um na própria estação, cujo design futurista deve contribuir para Cidade Nova ser um trunfo na revitalização da área.
      Segundo o diretor de Relações Institucionais da Metrô Rio, Joubert Flores, a empresa está empenhada em cumprir o prazo e entregar a estação aos usuários neste mês — depois de dezembro e fevereiro, a previsão era começar a funcionar em 22 de março, mas a data mudou mais uma vez.
      SEM GRANDE IMPACTO

      “Ela não vai agregar imediatamente grande número de passageiros: dos cinco mil previstos, grande parte já usa a Estácio e migrará para a nova estação”, explicou Joubert.
      Iniciadas ano passado, as obras de remodelação vão contemplar todas as estações, mas ainda não há cronograma fechado. Na Linha 1, Largo do Machado, Flamengo e São Francisco Xavier já tiveram a reforma do espaço interno (a 1ª) e entorno concluída. O trabalho também já encerrou em Del Castilho e Coelho Neto (Linha 2), cujos interior e área externa, respectivamente, foram remodelados. Em 2011, a previsão é reformar Cinelândia, Uruguaiana e Pavuna.
      Equipamento também vai orientar cegos
      O projeto para adaptar todas as estações do metrô, melhorando a acessibilidade de portadores de necessidades especiais, vai instalar elevadores verticais de alta tecnologiana maioria delas. Outros equipamentos ajudarão deficientes visuais a se orientar, como pisos podotáteis (com informação inscrita em relevo), já em uso na Central e Carioca. “A acessibilidade vai depender da estrutura de cada estação. Em algumas, serão mantidas as plataformas que já existem, em outras haverá também o elevador”, explicou Joubert Flores.
      Cada estação tem projeto arquitetônico específico. No Largo do Machado, por exemplo, a reforma permitiu que o espaço da bilheteria, antes muito estreito, fosse ampliado, e a plataforma ganhou mais beleza com painéis nas paredes, que exibem fotos da cidade.