segunda-feira, 29 de março de 2010

Traçado da linha que levará o metrô até a Barra é divulgado

LINHA 4


Publicada em 29/03/2010 às 15h38m
O Globo e RJ-TV
  • R1
  • R2
  • R3
  • R4
  • R5
  • MÉDIA: 5,0
RIO - A Linha 4 do metrô, que ligará a Zona Sul à Barra da Tijuca, já tem parte de seu trajeto definido. A primeira estação no bairro será a do Jardim Oceânico, na Avenida Armando Lombardi, entre o shopping Barra Point e a Unimed. Deste ponto, a linha será subterrânea até a Igreja São Francisco de Paula. Próximo à igreja, o metrô passa a ser sobre a superfície. Uma ponte de 350 metros será construída sobre o Canal da Joatinga, ligando a Barra até São Conrado, onde outra estação estará disponível. A linha passará ainda por baixo de toda a Rocinha até chegar à Gávea, cumprindo 9,86 quilômetros de extensão.. O traçado que levará as composições em direção à Ipanema ainda não foi definido. O prazo para conclusão das obras vai até 2016 ano em que serão realizados os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro .
O trecho do metrô que passará pela Floresta da Tijuca será totalmente subterrâneo. Um muro de proteção em torno da floresta será erguido para evitar a expansão de favelas e a destruição ambiental. As escavações devem começar em aproximadamente 90 dias. Por enquanto, técnicos e engenheiros realizam a etapa de sondagem para identificar o tipo e as características do solo onde serão escavados os túneis e onde serão instalados os pilares de sustentação do viaduto por onde passará parte do trajeto da linha.
As obras da nova linha do metrô foram orçadas em R$ 4 bilhões e segundo cálculos do governo, cerca de 240 mil pessoas seriam beneficiadas com o novo itinerário. O canteiro de obras do metrô foi instalado na Avenida Armando Lombardi, no Jardim Oceânico, próximo ao shopping Barra Point. Neste ponto, a estação será subterrânea com duas saídas, uma para cada lado da avenida, para facilitar o acesso dos passageiros. Outras estações serão criadas nos bairros da Gávea, São Conrado, Leblon e Ipanema, na Zona Sul, para interligar a Barra da Tijuca até a Linha 1, que tem como ponto final a estação General Osório, em Ipanema.

Inauguração da Estação Botafogo em 1981


sexta-feira, 26 de março de 2010

Elevador do Cantagalo fica pronto em junho

REVITALIZAÇÃO


Publicada em 25/03/2010 às 23h25m
Paulo Marqueiro - O Globo - 25/03/2010
A TORRE  maior do elevador do Cantagalo tem 64 metros de altura, o equivalente a um prédio de 21 andares / Foto de  Marco Antônio Cavalcanti - O Globo
RIO - Sobe: o aspecto da esquina da Rua Barão da Torre com Teixeira de Melo, em Ipanema, região degradada que está sendo revitalizada com a construção do elevador panorâmico ligando a estação General Osório do metrô ao Morro do Cantagalo. Desce: a escadaria que ainda hoje precisa ser vencida pelos moradores para chegar ao topo da favela.
(Veja imagens da contrução do elevador)
Em visita ao elevador na tarde desta quinta-feira, o secretário estadual de Transportes, Júlio Lopes, disse que a obra, cuja conclusão havia sido anunciada para este mês, só deverá estar pronta em junho. Orçado em R$ 48 milhões, o conjunto compreende duas torres, uma de 64 metros - o que corresponde a um prédio de 21 andares - e outra de 28 metros (semelhante a um edifício de nove pavimentos). Elas serão ligadas por uma passarela de 48 metros.
De acordo Lopes, o elevador deverá ser batizado de Rubem Braga, em homenagem ao cronista que morou num edifício vizinho à comunidade onde vivem cerca de 28 mil moradores. O secretário disse que o elevador será entregue junto com o acesso Teixeira de Melo da estação Ipanema, que já está praticamente pronto. A galeria, de 230 metros - a mais longa de todo o metrô - ligará a plataforma à base do elevador. Como já acontece nos acessos General Osório, Jangadeiros e Sá Ferreira, as paredes serão decoradas com painéis de arte.
- Uma da coisas mais importantes desse projeto é a requalificação daquele lugar - afirma Lopes. - Antes, havia ali um depósito de lixo, uma boca de fumo e uma central de distribuição de cadeiras de praia. O que está acontecendo é uma regularização urbana poderosa. Não é à toa que os imóveis da região já valorizaram 40%.

quarta-feira, 24 de março de 2010

Pane em composição da Linha 1A do metrô obriga passageiros a desembarcar em Maria da Graça

ROTINA


O Globo - 24/03/2010

De acordo com a Metrô Rio, concessionária responsável pelo serviço, os passageiros embarcaram num outro trem instantes após descerem na plataforma. Ainda segundo a empresa, o problema não provocou atrasos.

Na semana passada, uma composição que seguia da Central do Brasil para a Pavuna pelas linhas 1A e 2, errou a rota e foi parar na Linha 1 , na estação do Estácio. A mudança não planejada de trajeto - inédita na história desse sistema de transporte no Rio - não provocou acidente, mas foi considerada uma falha grave de segurança da concessionária Metrô Rio pelo conselheiro Herval Barros, da Agetransp (Agência Reguladora de Serviços Públicos Concedidos em Transportes). O operador do centro de controle de tráfego responsável foi afastado e passará por nova capacitação até que seja considerado apto a reassumir a função.

No último dia 15, o Tribunal de Justiça do Rio determinou que a Metrô Rio adote em, no máximo, 30 dias medidas para restabelecer a eficiência e adequação do serviço, sob pena de pagar multa diária de R$ 100 mil. A juíza Maria da Penha Nobre Mauro, da 6ª Vara Empresarial do Rio, indeferiu, no entanto, o pedido de paralisação do trecho da Linha 1A - entre as estações Central e São Cristóvão -, que liga a estação da Pavuna à de Botafogo sem necessidade de baldeação.





http://oglobo.globo.com/rio/mat/2010/03/24/pane-em-composicao-da-linha-1a-do-metro-obriga-passageiros-desembarcar-em-maria-da-graca-916161258.asp

Moradores de Ipanema não querem três estações do metrô

AQUI, NÃO


Ediane Merola - 22/03/2010


A PRAÇA Nossa Senhora da Paz, que deve receber uma estação do metrô / Foto de arquivo de Gustavo Stephan - O Globo

RIO - Moradores e comerciantes de Ipanema estão mobilizados contra a instalação da estação Nossa Senhora da Paz do Metrô que, até 2016, deverá chegar à charmosa praça do bairro. Eles temem pela saturação e pela descaracterização da região, que já tem uma estação na Praça General Osório e, pelos planos do governo do estado, ganhará uma terceira no Jardim de Alah. Para a comunidade, dois pontos de parada, nas extremidades de Ipanema, são suficientes e ainda podem estimular a circulação a pé no bairro.

Viagem entre as estações levaria cerca de um minuto

A estação General Osório, inaugurada em dezembro do ano passado, faz parte da Linha 1 do Metrô, que deverá chegar até a Gávea, onde encontraria a Linha 4, que seria construída apenas no trecho Barra-Gávea. Este trajeto teria ao todo sete estações, entre elas a Nossa Senhora da Paz e a Jardim de Alah. Diretor do Quadrilátero do Charme de Ipanema, entidade que reúne cerca de 70 associados, Bruno Pereira ressalta que o tempo de viagem entre cada uma das três estações do bairro teria, em média, pouco mais de um minuto:

- A viagem entre as estações General Osório e Nossa Senhora da Paz vai durar um minuto e 20 segundos, por exemplo. O usuário gasta mais tempo percorrendo a estação do que circulando na rua - ponderou Bruno Pereira, acrescentando que bairros maiores, como Tijuca e Copacabana, têm três estações. - Ipanema tem muitos eventos, a praia e as lojas. Quanto mais estações, maior o adensamento no bairro. Além disso, construir uma estação a menos pode significar redução de tempo e de gasto com a obra.

Preocupado com o futuro de Ipanema, o empresário solicitou uma reunião com o secretário estadual de Transportes, Júlio Lopes. O encontro, que estava marcado para o dia 29, também teria, segundo Pereira, a presença de Ignez Barretto, coordenadora do Projeto de Segurança do bairro, e Maria Amélia Fernandes Loureiro, presidente da Associação de Moradores de Ipanema, além de empresários, como Antônio Bernardo, Lauro Wolner e Marcos José Magalhães Pinto. A reunião, porém, foi desmarcada.

Não somos contra o Metrô, muito menos contra o crescimento da cidade. Mas Ipanema é um bairro pequeno, onde as pessoas fazem tudo a pé

- Não somos contra o Metrô, muito menos contra o crescimento da cidade. Mas Ipanema é um bairro pequeno, onde as pessoas fazem tudo a pé - disse Pereira.

Em relação à construção da estação Nossa Senhora da Paz, a Secretaria estadual de Transportes informou, em nota, acreditar que "a sociedade carioca se manifestará positivamente, todavia, abrirá espaço para os moradores no bairro apresentarem seus questionamentos". Para Ignez Barreto, construir uma estação na Nossa Senhora da Paz vai descaracterizar a praça:

- Tem que instalar dois respiradores para a estação, elevador. E aquela proteção em forma de concha que botaram na General Osório? Já imaginou aquilo aqui na praça?

Além de afetar a estética do lugar, Maria Amélia teme que a realização de obras da Nossa Senhora da Paz prejudique o comércio na região:

http://oglobo.globo.com/rio/mat/2010/03/23/moradores-de-ipanema-nao-querem-tres-estacoes-do-metro-916156313.asp

- A obra atrapalharia os comerciantes. E, se houver apenas as estações General Osório e Jardim de Alah, isso poderá aumentar a circulação de pessoas pelas ruas.

terça-feira, 23 de março de 2010

Bilhetes promocionais aumentam em 40% o fluxo de passageiros no metrô entre 5h e 6h

RETORNO
Publicada em 22/03/2010 às 19h44m
O Globo

RIO - No primeiro dia de passagens mais baratas no metrô entre 5h e 6h, o fluxo de passageiros foi 40% maior do que o usual nesse período: cerca de 7 mil passageiros cruzaram as roletas no primeiro horário de funcionamento. Nesta segunda-feira, entrou em vigor o desconto na compra do bilhete unitário, vendido a R$ 1,50 até as 6h (nos demais horários, o preço permanece R$ 2,80). As passagens valem por 48 horas.

As passagens com o desconto são vendidas durante o horário promocional de segunda a sexta-feira, em qualquer uma das 34 estações das linhas 1 e 2 e nos ônibus da linha Metrô Na Superfície (Botafogo-Gávea e Ipanema/General Osório-Gávea). Cada cliente poderá comprar, por vez, até dois cartões promocionais nas bilheterias das estações e um cartão nos ônibus das linhas de extensão Metrô Na Superfície.

As demais linhas de Integração Expressa, Intermunicipal, Barra Expresso, Oeste Expresso (1 e 2) e com a SuperVia não fazem parte da promoção. O desconto também não vale para embarque com Vale Transporte Eletrônico, Cartões RioCard e Bilhete Único.

O problema desta segunda-feira no metrô ocorreu numa composição que saía da Pavuna sentido Botafogo. Passageiros ficaram assustados com a fumaça que invadiu um dos vagões, na altura de Vicente de Carvalho, por volta de 8h20m. As pessoas saíram apavoradas pensando que havia um incêndio.

http://oglobo.globo.com/rio/mat/2010...-916145573.asp

segunda-feira, 22 de março de 2010

Estado prepara a venda de 73 terrenos do metrô

EXPANSÃO

Extra - 22/03/2010 - Marcelo Diaz

    RIO - O governo do estado se prepara para vender 73 terrenos remanescentes das obras do metrô. O dinheiro será usado para financiar a expansão para a Barra da Tijuca. Segundo o governador Sérgio Cabral, o negócio pode render aos cofres estaduais cerca de R$ 700 milhões. Os lotes serão oferecidos em pacotes, operação coordenada pelo chefe da Casa Civil, Regis Fichtner. O edital de venda do primeiro deles deve ser publicado esta semana.
  • R2
  • R3
  • R4
  • R5
  • DÊ SEU VOTO
  • R1
  • R2
  • R3
  • R4
  • R5
  • MÉDIA: 5,0

Lotes ficam em áreas onde já não há terrenos disponíveis

Há pedaços de terra encravados em regiões valorizadas e sem terrenos disponíveis para construção, como um quarteirão quase inteiro compreendendo as ruas Tonelero, Siqueira Campos e Figueiredo Magalhães, em Copacabana. No Flamengo, há dez lotes ao longo das ruas Marquês de Abrantes e Paulo VI. No bairro vizinho de Botafogo, há outros 11, como os da Rua Muniz Barreto. Na Tijuca, são 19, quase todos concentrados na Avenida Heitor Beltrão.

Expansão para a Barra está orçada em R$ 5 bilhões

A implantação do trecho de 13,5 quilômetros ligando a Barra à Zona Sul está orçada em R$ 5 bilhões, sendo R$ 4 bilhões para construção da linha e o restante para compra de equipamentos. A ampliação deve contar com estações nas praças Nossa Senhora da Paz (Ipanema) e Antero de Quental (Leblon), no Jardim de Alah e na Gávea. Uma das estações deve ficar no terreno onde hoje está o 23 BPM (Leblon), que será transformado no Parque Bossa Nova.

Haverá ainda estações em São Conrado (na Estrada da Gávea) e na Avenida Armando Lombardi, na Barra da Tijuca. O novo trecho deverá atender 240 mil pessoas por dia. Hoje, o metrô transporta 550 mil

http://oglobo.globo.com/rio/mat/2010/03/21/estado-prepara-venda-de-73-terrenos-do-metro-916133904.asp

sábado, 20 de março de 2010

Estado inaugura canteiro de obras para a construção do metrô na Barra

20/03/10 - 14h19 - Atualizado em 20/03/10 - 14h19

Primeira estação será no Jardim Oceânico; obra deve acabar em 2016.
Nova linha deve atender cerca de 240 mil pessoas.

Tássia Thum - G1

Ampliar FotoFoto: Tássia Thum/G1

Canteiro de obras do metrô na Barra foi instalado na Avenida Armando Lombardi, no Jardim Oceânico (Foto: Tássia Thum/G1)

Depois de mais de 30 anos de espera, os moradores da Barra da Tijuca, na Zona Oeste, comemoraram neste sábado (20), a implantação do canteiro de obras do metrô no bairro. Segundo o governador Sérgio Cabral, a expectativa é que até 2012 sejam entregues algumas estações da linha 4, circuito que vai integrar a Barra à Linha 1 do metrô.

"Não tenha dúvida que essa obra é um presente, um sonho que existe há mais de 30 anos. Nesse primeiro momento serão feitas as sonadagens e acredito que daqui a três meses comecem as obras de escavações", relatou Cabral.

Estação no Jardim Ocêanico

Ampliar FotoFoto: Tássia Thum/G1

Maquete da estação Jardim Oceânico com escadas rolantes e design moderno (Foto: Tássia Thum/G1)

O canteiro de obras do metrô linha 4 foi instalado na Avenida Armando Lombardi, no Jardim Ocêanico, próximo ao shopping Barra Point. Neste ponto, a estação será subterrânea com duas saídas, uma para cada lado da avenida, para facilitar o acesso dos passageiros.

Outras estações serão criadas nos bairros da Gávea, São Conrado, Leblon e Ipanema, na Zona Sul, para interligar a Barra da Tijuca até a Linha 1, que tem como ponto final, a estação General Osório, em Ipanema.

Entrega em 2016

Ampliar FotoFoto: Tássia Thum/G1

Estação Jardim Oceânico será subterrânea e com saídas para os dois lados da Av. Armando Lombardi(Foto: Tássia Thum/G1)

O pleno funcionamento da linha 4 está previsto para 2016, ano que acontecerá as Olimpíadas no Rio. O governador acredita que até a Copa de 2014, 75% das obras estejam concluídas.

"Obra é um negócio complicado, é difícil de saber quando termina. Mas nesse caso, acho que conseguimos entregar 75% até 2014", disse o governador.

As obras da nova linha do metrô foram orçadas em R$ 4 bilhões e segundo cálculos do governo, cerca de 240 mil pessoas seriam beneficiadas com o novo itinerário.

Para o ano de 2010, está previsto um gasto de até R$ 300 milhões para as escavações e sondagens dos túneis do metrô. O governador afirmou que os custos teriam que ser reduzidos, caso a emenda Ibsen, que prevê a redistribuição dos royalties do petróleo, seja aprovada. Entretanto, Cabral ressaltou que acredita no veto do presidente Lula à emenda.

Moradores preveem valorização da Barra


Os moradores da Barra da Tijuca estão empolgados com a construção do metrô no bairro. Vivendo na Barra há mais de 30 anos, José Wilson Cordeiro, diretor da Associação Comercial e Industrial da Barra, acredita que o novo transporte vai atrair investidores e empresas de grande porte à Zona Oeste.

"Esta briga para a construção do metrô na Barra acontece há mais de 20 anos. Acredito que o metrô seja a grande solução para atrair investidores comerciais e empresariais, além da própria valorização dos imóveis na região", observou Cordeiro.

http://g1.globo.com/Noticias/Rio/0,,MUL1538029-5606,00.html?utm_source=twitterfeed&utm_medium=twitter