quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Quinze estações entre Niterói e Itaboraí

29/12/2010 - O Dia - Mahomed Saigg

Primeira parada do metrô ficará na Praça Arariboia. Sistema monotrilho usado na Linha 3 será mais leve e rápido.

Rio - O projeto de implantação da Linha 3 do metrô — que vai ligar Niterói a Itaboraí — prevê a construção de 15 estações ao longo do percurso. A principal delas será instalada na Praça Araribóia, no Centro de Niterói. Em Itaboraí, o objetivo é construir uma estação que facilite o acesso ao Complexo Petroquímico (Comperj).
Conforme O DIA noticiou ontem com exclusividade, o sistema da Linha 3 do metrô será operado por modernas composições conhecidas como ‘monorail’ (monotrilhos). Mais rápida e sofisticada, este tipo de composição já é utilizado nos parques da Disney, no Estados Unidos.

Diferentemente dos trens utilizados nas Linhas 1 e 2 do metrô do Rio, que deslizam por trilhos duplos, os monotrilhos, como o próprio nome indica, operam através de apenas um trilho. A diferença, no entanto, não compromete a estabilidade e a segurança dos passageiros.

A principal vantagem da opção por este modelo de transporte sobre trilhos está nos custos da implantação, que correspondem a apenas 30% do valor de uma obra subterrânea.

Enquanto a construção de uma linha de metrô custa, em média, US$ 100 milhões (R$ 168,2 milhões) por quilômetro, a de monotrilho gira em torno de US$ 30 milhões (R$ 50,4 milhões). Com isso, a previsão é de que seja gasto cerca de R$ 1,1 bilhão na construção dos 22 quilômetros da Linha 3.

EXPOSIÇÃO

Na Central do Brasil, o secretário de Transportes, Júlio Lopes, inaugurou ontem a exposição de miniaturas dos novos trens comprados pelo governo do estado para serem operados pela SuperVia. Com ar-condicionado e sistema de som ambiente, os novos trens que começam a ser entregues a partir de maio têm até circuito interno de TV. Ao todo foram compradas 34 novas composições, fabricadas na China.

Foto: Paulo Alvadia / Agência O Dia










.

Monotrilho igual aos da Disney ligará Niterói a Itaboraí

29/12/2010 - O Dia

Governador anuncia início das obras da Linha 3 do metrô para 2012. Sistema sobre elevados utilizará composições mais modernas

Rio - Viajar de metrô com direito a vista panorâmica de todo o percurso. A novidade será um benefício exclusivo dos passageiros da Linha 3 do metrô (Niterói-São Gonçalo-Itaboraí), que após anos de atraso finalmente vai entrar nos trilhos. E no lugar dos tradicionais trens que operam nas Linhas 1 e 2, modernas composições como as instaladas nos parques da Disney, nos Estados Unidos, vão deslizar por viadutos.

Monotrilho instalado em Miami (EUA). Serviço é utilizado principalmente por turistas
Foto: Divulgação

As estruturas serão construídas ao longo do trajeto de 22 quilômetros que vai ligar os municípios de Niterói e Itaboraí, passando por São Gonçalo. “Será um presente para os moradores dessa região”, destacou o governador Sérgio Cabral, que prometeu para o segundo semestre de 2011, o lançamento do novo edital de licitação e o início das obras para 2012.

A expectativa é de que tudo esteja pronto antes da Copa de 2014. “Optamos por este tipo de sistema por ser mais rápido e barato. Além disso, ele é capaz de transportar até 40 mil passageiros por hora, por sentido, que é exatamente a demanda de lá. É perfeito”, afirmou o governador.

Licitado em 2002, o projeto original da Linha 3 não pôde sair do papel por causa de irregularidades detectadas pelo Tribunal de Contas da União (TCU). Do modelo antigo, restou apenas o percurso que será mantido, e seguirá a linha férrea que já foi desativada na região.

ÁREAS REURBANIZADAS

Nas áreas que ficarão embaixo dos viadutos, obras de reurbanização serão realizadas pelo governo do estado. Apesar de ainda não ter definido o valor da tarifa, Cabral prometeu não repassar para os usuários as despesas com a implantação do novo sistema. “Se fizesse isso, o preço da passagem seria absurdo”.

Conhecido como ‘monorail’ (monotrilho), o novo sistema de metrô que será adotado na Linha 3 já faz sucesso em vários países. Nos parques da Disney, nos Estados Unidos, eles são usados para encurtar a distância que separa os visitantes das atrações.

350 mil passageiros beneficiados

De acordo com a Secretaria Estadual de Transportes, a construção da Linha 3 do metrô vai beneficiar 350 mil passageiros por dia. Além da comodidade, a redução no tempo de viagem é apontada como uma das principais vantagens para os usuários.

Nos horários de pico, por exemplo, o tempo de deslocamento no trecho Niterói-São Gonçalo, que é de 1h25, não deverá passar de 20 minutos.

A obra de construção da Linha 3 também proporcionará a criação de oito mil novos postos de empregos diretos e indiretos. Ao todo, deverão ser construídas 13 estações de embarque e desembarque. “Mas a responsabilidade pela operação do serviço só será definida através de licitação”, avisou o secretário Régis Fichtner, chefe da Casa Civil.

Ontem, o estado anunciou a compra de mais quatro novos trens chineses que, neste caso, serão entregues à SuperVia. Os outros 30 comprados anteriormente começam a ser entregues em maio.

Punição por demora na entrega de trens

Irritado com a demora na entrega dos 19 novos trens das linhas 1 e 2 do metrô, o governador Sérgio Cabral quer que a concessionária seja multada.

Em ofício encaminhado dia 20 à Agetransp (Agência Reguladora dos Serviços de Transportes do Estado), ele alega que o Metrô Rio descumpriu cláusula do contrato de renovação da concessão. “Lá está escrito que eles deveriam começar a entregar os novos trens a partir de agosto de 2010. Mas, até agora, não chegou nenhum. Essa é uma obrigação deles, por isso estamos pedindo a aplicação da multa”, justificou Cabral.

Em nota, a Agetransp informou que foi aberto um processo que será julgado nas próximas sessões regulatórias da agência.

Procurado por O DIA, o Metrô Rio disse que não vai comentar o assunto. Mas, em agosto, o presidente da concessionária, José Gustavo de Souza, disse que o primeiro dos novos trens só chegará em outubro de 2011.

Reportagem de Mahomed Saigg e Ricardo Rego

http://odia.terra.com.br/portal/rio/html/2010/12/monotrilho_igual_aos_da_disney_ligara_niteroi_a_itaborai_133695.html








.

Valor da passagem sobe com suspensão do cartão integração metrô-ônibus

30/12/2010 - O Dia  - Thiago Feres

Sem aviso, quatro empresas param de aceitar cartões pré-pagos na ligação com Barra e Jacarepaguá

Rio - Sem aviso prévio, quatro empresas de ônibus do consórcio Transcarioca deixaram de aceitar por tempo indeterminado os cartões pré-pagos de integração vendidos nos guichês do metrô para a Barra da Tijuca e Jacarepaguá. A decisão pegou usuários de surpresa e fez o valor total da passagem subir de R$ 3,80 para R$ 5,50.



Passageiros foram pegos de surpresa com a decisão tomada pelas quatro empresas

Foto: Alexandre Brum / Agência O Dia

Ontem, avisos foram anexados nas bilheterias de todas as estações do metrô, e usuários protestaram na Praça General Osório, em Ipanema, ponto de embarque. “Venho da Barra todos os dias para a Zona Sul e fiquei indignado de ser informado pelo cobrador que o meu cartão não seria aceito. Sequer houve comunicado. Absurdo!”, disparou o web designer, Rafael Alfredo, 28.

Por dia, quatro mil passageiros utilizam a integração para a Barra e Jacarepaguá. De acordo com o vice-presidente do Rio Ônibus, Otacílio Monteiro, os coletivos das empresas Real, Redentor, Expresso Barra e Jabour contam com validadores administrados pelo Metrô Rio, que vinham apresentando problemas técnicos. “O sistema segue aceitando RioCard e Bilhete Único, mas estará suspenso para os cartões pré-pagos até encontrarmos uma solução”, disse.

Ontem, o Metrô Rio ressarciu em R$ 3 os usuários que tinham cartões, mas novas vendas foram suspensas. A empresa destacou que a decisão do Rio Ônibus foi unilateral e acionou a Secretaria Municipal de Transportes para providências.

Aplicação de multa não está prevista

Resolução 2028 da Secretaria Municipal de Transportes, de 19 de agosto de 2010, autoriza a integração entre os modais com valor fixado em R$ 3,80. Ontem, a Subsecretaria de Fiscalização de Transporte enviou documento ao consórcio Transcarioca cobrando explicações.

No entanto, não há previsão de aplicação de multa por parte da prefeitura, já que o valor fixado na Resolução continua sendo cobrado com o uso do RioCard e Bilhete Único. O retorno da venda dos cartões depende de acerto entre Metrô Rio e empresa de ônibus.

http://odia.terra.com.br/portal/rio/html/2010/12/valor_da_passagem_sobe_com_suspensao_do_cartao_integracao_metro_onibus_133877.html








.

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Secretaria Estadual de Transportes finaliza obras de túnel subterrâneo da Linha 4 do metrô

22/12/2010 - Secretaria de Estado de Transportes 

Mais um grande passo foi dado pela Secretaria Estadual de Transportes para levar o metrô à Barra da Tijuca. Chegaram ao fim nesta terça-feira (21/12), as escavações do túnel de serviço, que dará acesso ao túnel de via, por onde vão passar os trens em direção à Zona Sul. Para o secretário Julio Lopes, esta é uma vitória para o setor de transportes do Rio, que também nesta terça comemora o aniversário de hum ano da estação Ipanema – General Osório, por onde passam mais de 30 mil pessoas todos os dias.

As obras do túnel de serviço serão iniciadas já no dia 03 de janeiro. O Governo do Estado também está empenhado em abrir novas frentes de trabalho, para agilizar o andamento das obras da Linha 4. Em São Conrado, um dos bairros contemplados com parada do metrô, já estão sendo iniciados os trabalhos de implantação de canteiros de obras. Outra novidade é que no dia 24 de janeiro será aberta a licitação para empresas interessadas em realizar o estudo de impacto ambiental do trecho entre Gávea e Ipanema.

- A Linha 4 é uma das prioridades do Governo do Rio. Temos um compromisso com a população e estamos trabalhando para cumpri-lo dentro do prazo. Estamos fechando o ano com um cronograma adiantado. A finalização do túnel de serviço é de enorme importância. A partir daqui, nossos técnicos vão trabalhar diretamente no túnel que dará espaço aos trens – explica o secretário de Transportes, Julio Lopes.

No próximo dia 30, a Linha 4 receberá a visita do alto escalão do Comitê Olímpico Internacional, que acompanhará de perto a evolução das obras, que proporcionarão mobilidade adequada a mais de 230 mil pessoas diariamente.

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

Ressalvas ao metrô

16/12/2010 - O Globo

Preocupadas com as condições de implantação da Linha 4 do metrô, entidades representativas das zonas Sul e Oeste se uniram para encaminhar uma carta aberta ao governador Sérgio Cabral a fim de manifestar desacordo com duas propostas: a ligação da estação General Osório (da Linha 1) com a futura Estação Jardim Oceânico; e a determinação desta estação como ponto final, descartando a extensão até o Terminal Alvorada.

Assinada por 29 representantes, a maioria de associações de moradores, a carta será protocolada no Palácio Guanabara esta semana, com uma proposta de traçado para a Linha 4 que passa por Jardim Botânico, Humaitá e Laranjeiras antes de encontrar a Linha 1, na Estação Carioca.

O presidente da Associação dos Moradores e Amigos do Tijucamar e Jardim Oceânico (Amar Barra), Luiz Igrejas, mostra-se preocupado com a possibilidade de o ponto final do metrô ficar na vizinhança:

— Eu não quero terminal no Jardim Oceânico, pode até acabar com o bairro. Todos os ônibus de condomínio que seguem para o Centro vão parar lá, além das vans e do BRT. Vai ser horrível.

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Estudo ambiental do trecho Gávea-Ipanema do metrô do Rio de Janeiro é lançado

09/12/2010 - Transporte Idéias

O governo do Rio de Janeiro lançou nesta semana licitação para a contratação de uma empresa que vai ficar responsável pelo estudo de impacto ambiental do trecho Gávea-Ipanema do metrô. Os recursos para o projeto são de R$ 1,3 milhão. A informação é do jornal “O Globo”.

De acordo com a publicação, o resultado da licitação está previsto para o fim do mês de janeiro e o estudo vai durar dez meses. Segundo o governo, ainda está sendo decidido o local exato das estações, assim como o traçado, para ser determinado o custo total da obra. O trecho vai ligar a Linha 1 à Linha 4 (Barra-Zona Sul), cujas escavações começaram há três meses.

Os moradores da zona sul da cidade têm demonstrado apreensão com as obras. Eles chegaram a formar um grupo, chamado “O metrô que o Rio precisa”, para discutir o tema. A presidente da Associação de Moradoresdo Leblon, Evelyn Rosenzweig, diz que o projeto deveria ser discutido com a sociedade.

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Inauguração da nova estação acontece hoje. Gratuidade só no período de testes

31/10/2010 - O Dia 

Rio - A partir de hoje, a Estação Cidade Nova do metrô, no Centro, estará aberta apassageiros, que podem embarcar sem pagar passagem. No período de testes, que vai durar um mês, a nova parada da Linha 2 terá embarques e desembarques permitidos apenas de segunda a sexta-feira, das 10h às 14h, para que sejam feitos ajustes. O horário de funcionamento será estendido gradativamente durante o mês.

O governador Sérgio Cabral, o prefeito Eduardo Paes e o presidente da concessionária Metrô Rio, José Gustavo de Souza Costa, participam às 10h da inauguração. Porém, a estação só começa a funcionar plenamente no dia 1º de dezembro, com passagem paga e horário normal. A expectativa é de que 10 mil pessoas circulem por dia no local. Aos sábados, domingos e feriados, os usuários vão continuar fazendo baldeação no Estácio.

O 35º terminal do transporte metroviário da cidade ocupa 3.267 m², com praça, banheiros, 6 escadas rolantes, 12 fixas e 6 elevadores para pessoas com dificuldade de locomoção. Um piso especial orienta o caminho para deficientes visuais, e corrimãos das escadas têm placas em braile. Banheiros masculinos e femininos também foram instalados na estação.

Foram investidos R$ 80 milhões. A passarela de acesso estará aberta de segunda a sábado, de 5h a meia-noite, e domingos e feriados, de 7h a 23h.

Estação Cidade Nova do metrô começa a funcionar em caráter experimental

31/10/2010 - O Globo - Renata Leite

EM FASE DE TESTES



RIO - Desde que a concessionária Metrô Rio lançou a ligação direta Pavuna-Botafogo, em dezembro do ano passado, Noemi Rodrigues, agente de administração da prefeitura do Rio, viu seu trajeto de casa para o trabalho aumentar em 20 minutos. Isso porque ela mora na Baixada e trabalha na Cidade Nova. Depois da reestruturação do metrô, Noemi passou a fazer baldeação na Central e não mais em São Cristóvão. O tempo perdido por ela e tantos outros passageiros promete ser recuperado com inauguração da Estação Cidade Nova (Linha 2), que estará aberta, a partir de segunda-feira, em fase de testes. A inauguração oficial está prevista para dezembro.


A nova estação vai beneficiar quem vai para aquele trecho da Avenida Presidente Vargas, procedente da Linha 2 e dos trens da SuperVia.

- Venho de trem e vejo o prédio da prefeitura passar pela janela, mas tenho que seguir até a Central para fazer a baldeação e voltar de metrô. A partir da inauguração oficial, vou sair do trem, embarcar na Linha 2 em São Cristóvão e descer na Estação Cidade Nova, recuperando o tempo que perdi depois que criaram a ligação direta - comemorou Noemi, já pensando nos minutos de sono que vai ganhar com a novidade.

A concessionária Metrô Rio prevê a circulação de cerca de 10 mil passageiros diariamente pela nova estação. Segundo o presidente da empresa, José Gustavo de Souza Costa, esse grupo utiliza hoje as estações do Estácio e da Praça Onze, ambas da Linha 1.

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Tijuca inaugura estação do metrô Uruguai em 2014

28/10/2010 - Agência Rio

A Tijuca ganhará sua 4ª estação no ano de 2014. A nova parada do metrô será na Rua Conde de Bonfim, entre as ruas José Higino e Itacuruçá/Dona Delfina e teve um investimento de aproximadamente R$ 220 milhões, será a primeira do Brasil que receberá com sistema de portas de plataforma, dispositivo que evitam quedas de passageiros nos trilhos energizados

A nova estação terá aproximadamente 7 mil metros quadrados de área construída. Serão cinco acessos para passageiros no entorno da Conde de Bonfim: três no cruzamento com as ruas Dona Delfina e Itacuruçá e outros dois na altura da José Higino.

A expectativa é de 50 mil usuários por dia, sendo 30 mil nos horários de pico.






Quarta estação de metrô da Tijuca será 100% refrigerada

28/10/2010 - O Dia - Diego Barreto

Uruguai também será a primeira do Brasil a ter plataforma com portas para evitar queda de passageiros

Rio - Três décadas depois da chegada do metrô à Tijuca, o bairro ganhará sua 4ª estação. Batizada de Uruguai, estará localizada sob a Rua Conde de Bonfim, entre as ruas José Higino e Itacuruçá/Dona Delfina. Orçada em R$ 220 milhões, será a primeira do Brasil totalmente refrigerada e contará com sistema de portas de plataforma, dispositivos que evitam quedas de passageiros nos trilhos energizados. O projeto, em fase final de licenciamento, tem cronograma de dois anos e meio de obras e inauguração prevista para, no máximo, dezembro de 2014.

Foto:Divulgação
A estação levará o nome de Uruguai e será a primeira do país a ter plataforma com portas para evitar quedas | Foto: Divulgação

“A ideia inicial era que a estação estivesse na Rua Uruguai, daí o nome. Porém, o impacto das obras para a comunidade seria grande. A solução encontrada para minimizar isso foi o aproveitamento da área do Rabicho da Tijuca, que permitirá a execução de todas as atividades no subterrâneo. A distância da localização original será de 170 metros”, explica Ricardo Colares, diretor de Infraestrutura da concessionária Metrô Rio.

Foto: Divulgação
A estaçãoUruguai será a primeira totalmente climatizada do Brasil | Foto: Divulgação

A nova estação terá aproximadamente 7 mil metros quadrados de área construída. Serão cinco acessos para passageiros no entorno da Conde de Bonfim: três no cruzamento com as ruas Dona Delfina e Itacuruçá e outros dois na altura da José Higino. A expectativa é de 50 mil usuários por dia, sendo 30 mil nos horários de pico.

Foto: Divulgação
A inauguração da nova estação está prevista para acontecer em 2014 | Foto: Divulgação

Plataforma com portas

Semelhante à estação Cinelândia, a Uruguai terá dois pavimentos. No inferior, estará a plataforma central para embarque e desembarque, a primeira do Rio dotada de portas. O mecanismo, comum em sistemas metroviários da Ásia e Europa, evita quedas de usuários nas vias energizadas em caso de lotação. “As portas da plataforma permanecem fechadas e só abrem após o metrô parar, simultaneamente à abertura das portas da composição. Esta é uma nova tecnologia, que estamos importando”, explica Ricardo Colares. 

Outra novidade será a climatização da estação, primeira no País totalmente refrigerada. “A temperatura não vai passar dos 23 graus”, garante.

Os ônibus que fazem integração com o metrô terão seus pontos finais transferidos da Saens Peña para a Uruguai. A estação também terá estacionamento de 6 mil m² para 600 veículos com acessos para as duas estações.

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Metrô Rio investe para melhorar ar-condicionado nas linhas 1 e 2

23/10/2010 - Extra Online - Letícia Sicsu 

PROMESSA DE DIAS MELHORES NO VERÃO


A doméstica Jaqueline dos Santos Malvão, de 23 anos, já está apreensiva com a chegada do verão. Moradora da Pavuna, todos os dias, ela sai de casa às 5h e segue, de metrô, para Copacabana, onde trabalha. Segundo Jaqueline, o meio de transporte é o mais rápido e seguro, mas, o trauma do sofrimento vivido no verão passado, ainda não foi esquecido. 

— O calor era horrível. Teve um dia em que vi uma senhora de mais de 80 anos desmaiando no vagão. Estava tão cheio, que foi difícil socorrê-la. Dentro do trem parecia uma sauna. Os vidros chegavam a ficar embaçados. Eu ficava com medo da hora em que tinha que ir para o trabalho. Se nesse verão for assim, vou passar a ir trabalhar de ônibus, que é ruim, mas vai ser mais confortável. 

Esse sufoco, segundo a concessionária Metrô Rio, pode estar perto do fim. Até o início de novembro, todos os aparelhos de ar-condicionado da frota terão sido reformados. 

Na linha 2, onde os passageiros mais sofrem com o calor, a promessa é de que a temperatura fique até 10 graus abaixo da exterior. Segundo a concessionária, a medida é emergencial para enquanto os novos trens, importados da China, não chegam. Já foram investidos no projeto R$17 milhões. 

Na reforma foram trocados 364 condensadores de ar-condicionado. A peça é responsável por resfriar o ar quente da atmosfera, para que ele seja jogado dentro do trem resfriado. De acordo com o coordenador de Material Rodante da empresa, Everton Gonçalves, agora, a potência é maior. 

— No verão passado, a temperatura na brita chegou a 72 graus. Nossos condensadores só suportavam até 60 graus. Acima disso, desarmavam. Esse foi o problema. Agora, mesmo com temperaturas altas desse jeito, o ar-condicionado não vai parar de funcionar — explicou. 

Os novos trens encomendados da China estão previstos para chegar ao Rio no fim de 2011. Segundo a concessionária, as composições não terão problemas com o ar-condicionado por que os aparelhos são colocados na parte superior do vagão, diferentemente dos trens atuais, em que o equipamento fica próximo ao chão e, consequentemente, do calor. Além disso, a potência de cada aparelho será 33% maior do que a dos atuais.

PROJETO DA COPPE-UFRJ

Os passageiros da linha 2 do metrô foram os que mais sofreram com o calor, no verão passado, já que as composições circulam por cima da terra e sofrem a ação direta do sol. Para esses trens, a Coppe-UFRJ desenvolveu uma espécie de ventilador que vai ajudar a resfriar o condensador do aparelho de ar-condicionado. 

— Vai funcionar como a ventuinha do radiador de um carro — explicou o coordenador de Material Rodante da empresa, Everton Gonçalves. 

O trabalho na oficina da Metrô Rio começou em maio e, por dia, dois vagões são reformados. De acordo com a gerente de Relações Institucionais da concessionária, Rosa Cassar, por causa dos problemas ocorridos no verão passado, uma equipe de 45 pessoas foi contratada para atuar na área. 

— Chamamos profissionais para integrar uma equipe permanente dedicada somente à manutenção de ar-condicionado, além dos 75 funcionários que trabalham na reforma. Também já temos estoques de peças para repor imediatamente no caso de problemas durante o verão — garantiu Rosa.

domingo, 24 de outubro de 2010

Trem do metrô para por 40 minutos e passageiros passam mal no Rio

23/10/2010 - IG Rio de Janeiro - Raphael Gomide

Em vagões cheios, usuários abriram portas à força após esperarem em vão pela chegada de socorro e por informações do condutor

Uma composição do Metrô Rio ficou parada por cerca de 40 minutos na tarde deste sábado, próximo à estação de Triagem. Como os vagões não têm janelas e o socorro demorou a chegar, muitas pessoas passaram mal por causa do calor e da pouca circulação de ar, e passageiros abriram as portas à força.

O metrô, da Linha 2 – que liga o Centro à zona norte do Rio – parou de funcionar por volta das 15h30, cerca de 300 metros antes de chegar à estação de Triagem. De acordo com as pessoas que estavam em um dos vagões, na primeira e única comunicação do condutor – pouco após a interrupção do serviço –, ele informou que o trem parara por falta de luz e que seguranças estavam a caminho para auxiliar o desembarque dos passageiros.

Um usuário relatou ao iG que, como o socorro não chegava, não havia novas informações e fazia muito calor, os próprios passageiros abriram as portas. “Quebrei o vidro do microfone do vagão para pedir ajuda ao condutor, porque estava muito cheio e, depois de tanto tempo, muitas pessoas passavam mal, com o calor e a falta de ar. Por isso abrimos as portas para entrar ar”, contou. Segundo ele, a orientação foi de que esperassem os profissionais, e não abrissem as portas. Não foi necessário que ninguém fosse internado.

O trem parou próximo à favela da Mangueira, em um trecho no qual os trilhos ficam suspensos, em uma espécie de viaduto. Havia muitos idosos e crianças, e a maioria dos usuários estava de pé. 
Depois de cerca de 40 minutos, seguranças do Metrô Rio começaram a chegar à composição e abriram as portas que ligam os vagões aos outros, por onde saíram os passageiros. O trecho até a estação foi percorrido a pé.

Chegando è estação de Triagem, seguranças recepcionaram os passageiros, mas não sabiam dar informações sobre novos trens. Recomendavam tomar ônibus. Logo, longas filas se formaram para receber um bilhete de volta, entregue pelo Metrô.

Na terça-feira, um problema operacional no Centro de Controle de Tráfego da empresa também prejudicara a circulação de trens das duas linhas do metrô, entre 11h e 12h.

De acordo com nota do Metrô Rio, às 15h30 houve interrupção de energia na via entre Triagem e São Cristóvão na Linha 2. "Os passageiros que estavam na composição que chegava à Triagem foram orientados a desembarcar com o auxilio dos agentes de segurança. Os clientes tiveram dinheiro devolvido ou receberam novo cartão de embarque com crédito. A energia foi restabelecida e a operação foi normalizada às 16h20. A linha 1 não foi afetada."

sábado, 23 de outubro de 2010

Interrupção de energia prejudica passageiros da Linha 2 do Metrô Rio

23/10/2010 - G1 RJ

Passageiros tiveram a viagem interrompida na estação Triagem.

Falha na operação durou quase uma hora.

Uma interrupção de energia elétrica na Linha 2 do metrô, no trecho entre Triagem e São Cristóvão, Zona Norte do Rio, obrigou a concessionária a retirar os passageiros que estavam em uma composição, na estação Triagem, por volta das 15h30 deste sábado (23). Agentes de segurança auxiliaram no desembarque.

A operação na Linha 2 ficou prejudicada por quase uma hora. Por volta das 16h20, a energia foi restabelecida e a operação foi normalizada. A Linha 1 não foi afetada. A concessionária Metrô Rio informou que possui uma subestação própria na região e está apurando o que pode ter provocado a interrupção da energia elétrica.

A assessoria de imprensa do Metrô Rio informou que os clientes tiveram o dinheiro devolvido, ou receberam um novo cartão de embarque com crédito.

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Metrô Rio inaugura estação Cidade Nova em novembro

21/10/2010 - G1

A concessionária Metrô Rio informou nesta quinta-feira (21) que no dia 1° de novembro será inaugurada a Estação Cidade Nova e a passarela sobre a Avenida Presidente Vargas, no Centro da cidade. Inicialmente cerca de 10 mil passageiros devem circular diariamente na estação.

A nova estação vai funcionar das 10h às 14h, de segunda a sexta-feira, para que sejam feitos todos os ajustes no sistema, em função da parada extra no trajeto da Linha 2. Já a passarela, vai abrir ao público de segunda a sábado, das 5h à meia-noite. Nos domingos e feriados, das 7h às 23h.

De acordo com a Metrô Rio, a concessionária investiu R$ 80 milhões no projeto e na urbanização do entorno. A estrutura terá seis escadas rolantes (quatro na estação e duas na passarela) e de doze escadas fixas (duas no mezanino da estação e dez de acesso à passarela). O complexo tem seis elevadores para cadeirantes e pessoas com dificuldade de locomoção e piso podotátil para auxiliar na locomoção de deficientes visuais.

No entanto, de acordo com a concessionária, no dia 1º de novembro, apenas dois elevadores nas extremidades da passarela, além de duas escadas rolantes e dez escadas fixas estarão funcionando. Os demais elevadores da passarela serão instalados até o final do ano.

A estação também está preparada para permitir a ligação com a Rodoviária Novo Rio e com a Estação da Leopoldina, futuro terminal do trem de alta velocidade (TAV) ligando o Rio a São Paulo.

Fotos da Estação Cidade Nova

21/10/2010 - Secretaria de Estado de Transportes










http://www.sectran.rj.gov.br/mais_fotos_evento.asp?ev=819


São Conrado já tem canteiro de obras da Linha 4

21/10/2010 - Secretaria de Transportes do Estado

Uma novidade no caminho dos moradores de São Conrado e da Rocinha. A placa de identificação do canteiro de obras na Estrada da Gávea na altura do supermercado Sendas sinaliza que, em breve, dali será possível embarcar no metrô e seguir para o Centro, Zona Sul ou Zona Oeste da cidade com muito mais facilidade, comodidade e rapidez. O início das obras da Linha 4 a partir de São Conrado em direção à Barra da Tijuca está prevista para início do ano que vem, mas os preparativos para o início das escavações do túnel, próximo à Rocinha, já começaram.

Secretaria Estadual de Transportes e o Consórcio Construtor Rio-Barra já enviaram cerca de 70 cartas a residências e estabelecimentos comerciais informando sobre o início das sondagens do terreno e sobre a necessidade de vistoria nos imóveis vizinhos à obra. Nos próximos meses, equipes técnicas de engenharia vão inspecionar essas construções para garantir a integridade delas durante todo período de abertura do túnel.

- Pelo lado da Barra, o túnel de serviço está progredindo bem. Em menos de dois meses já avançamos 100 metros na rocha. Em breve, teremos duas frentes de obra, para agilizar a construção da Linha 4. Estamos tomando todos os cuidados necessários para provocar o menor impacto possível na rotina das pessoas que vivem ou circulam próximo à obra. – comenta o secretário de Transportes Sebastião Rodrigues.

Na frente de obras na pedra do Focinho do Cavalo, em frente às pontes sobre o Canal da Barra, mais de 200 funcionários trabalham em três turnos na detonação da rocha e retirada das pedras. Por dia, estão sendo feitas duas explosões. E, a partir do mês que vem, esse número pode aumentar, dando mais velocidade à obra, que avança mais de dois metros e meio diariamente. Quem passa pela Av. Armando Lombardi também já pode observar as placas de metal que estão sendo instaladas no canteiro central, em frente ao shopping Barra Point. No local, será construída a primeira estação de metrô da Barra, transformando um antigo sonho em realidade.

Quando estiver funcionando, a Linha 4 terá seis estações ao longo de um percurso que cruzará os bairros de Ipanema, Leblon, Gávea, São Conrado até chegar na Barra. A nova linha beneficiará diretamente as pessoas que moram e trabalham em toda essa parte da Zona Oeste, que envolve também Recreio dos Bandeirantes e parte Jacarepaguá. Por dia, a Linha 4 terá capacidade para transportar 230 mil pessoas.

Cidade Nova abre para embarque gratuito no dia 1º

22/10/2010 - O Dia - Ricardo Albuquerque

Estação do metrô será inaugurada para testes e ajustes por um mês. Nesse período, ela só estará aberta das 10h às 14h

Rio - Passageiros poderão embarcar na Estação Cidade Nova do metrô, no Centro, sempagar passagem, a partir de 1º de novembro. A nova parada da Linha 2 — 35º terminal do transporte metroviário da cidade — será aberta ao público para testes. Embarque e desembarque serão permitidos de segunda a sexta-feira, das 10h às 14h.

Foto: Alexandre Vieira / Agência O Dia
A estação ocupa 3.267 m² e piso especial orienta o caminho para deficientes visuais | Foto: Alexandre Vieira / Agência O Dia

A partir de 1º de dezembro, a estação funcionará plenamente, com passagem paga e horário normal. Expectativa é de que 10 mil pessoas circulem por dia no local. Aos sábados, domingos e feriados, os usuários vão continuar fazendo baldeação no Estácio.

A estação ocupa 3.267 m², com praça, banheiros, 6 escadas rolantes, 12 fixas e 6 elevadores para pessoas com dificuldade de locomoção. Piso especial orienta o caminho para deficientes visuais, e corrimãos das escadas têm placas em braile. A expectativa é que 10 mil pessoas circulem na nova parada.

A concessionária investiu R$ 80 milhões no projeto, que inclui passarela panorâmica sobre a Av. Presidente Vargas e com vista para o Cristo a ser inaugurada dia 1º. A passagem, com iluminação interna e externa, estará aberta de segunda a sábado, de 5h a meia-noite, e domingos e feriados, de 7h a 23h.

Desenhos feitos pelo escritório de Burle Marx que remetem ao calçadão central de Copacabana decoram o chão da estação e da passarela. “A ideia original previa até pedras portuguesas, mas mudamos em respeito às mulheres que usam salto alto”, contou José Gustavo de Souza Costa, presidente do Metrô Rio.
A concessionária estuda integração dali até a Rodoviária Novo Rio através de veículo leve sobre trilhos.

Obras da Linha 4

Obras da Linha 4 na Est. da Gávea, em S. Conrado, começam em fevereiro. Moradores do bairro e da Rocinha terão imóveis vistoriados para garantir que túnel não vai causar abalos na estrutura.

Nova estação em 4 meses

A construção da Estação da Rua Uruguai, na Tijuca, vai começar em até quatro meses. O presidente do Metrô Rio, José Gustavo de Souza Costa, disse que a obra ficará pronta em 2013, um ano antes da previsão inicial.

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

TCU suspende repasse de verbas federais para obras da Linha 3

31/08/2010 - Agência Rio - Soraya Batista

O Tribunal de Contas da União (TCU), determinou, nesta última semana, que o projeto da linha 3 do Metrô do Rio, que ligaria São Gonçalo a Niterói, não poderá receber verbas federais. Segundo o TCU, o projeto, feito há quase uma década, apresenta irregularidades graves, e precisará ser refeito antes do início da construção.

De acordo com o projeto, a Linha 3 do metrô ligará o Centro do Rio a Niterói (Estação Araribóia) e São Gonçalo (Estação Guaxindiba). Está prevista a construção de 14 estações (Araribóia, Jansen de Mello, Barreto, Neves, Vila Laje, Paraíso, Parada 40, Zé Garoto, Mauá, Antonina, Trindade, Alcântara, Jardim Catarina e Guaxindiba). Se concluída, a Linha 3 beneficiará 350 mil passageiros por dia, com redução significativa do tempo de deslocamento. Nos horários de pico, o tempo de deslocamento no trecho Niterói-São Gonçalo, que é de 1h25, cairá para apenas 20 minutos com o novo sistema. 

Entre as falhas consideradas mais graves apontadas no relatório do TCU, está o sobrepreço do projeto. O Contrato n.º 2/2002, que refere-se a obra do Lote 2 da Linha 3 do metrô, assinado no ano de 2002, foi firmado no valor de R$ 714.972.486,31, que, reajustado até junho de 2009, equivale a R$ 1.369.241.950,00. Entretanto, o Convênio n.º 1/2008 (SIAFI n.º 640150), assinado em 2008, tem o valor total de R$ 62.500.000,00 dos quais R$ 50 milhões provém da União e R$ 12,5 milhões do Governo do Estado. Ou seja, os recursos conveniados estão muito além do necessário à execução da obra.

Além do mencionado convênio, o TCU aponta também que o projeto básico está deficiente ou desatualizado; o plano de trabalho apresentado pela Secretaria de Transportes do Rio de Janeiro(Setrans/RJ) não contém todos os requisitos exigidos pela legislação em vigor e não há cadastramento no Sistema Integrado de Administração de Serviços Gerais (SIASG). Além disso,os documentos de seguro-garantia disponibilizados pela Setrans/RJ à equipe de auditoria do TCU estavam com a vigência vencida desde junho de 2009.

Segundo o TCU, para que as verbas sejam liberadas, a Setrans/RJ deverá refazer o projeto atual, detalhando o projeto básico com nível de precisão adequado para caracterizar a obra; além de elaborar orçamento detalhado que possibilite a avaliação do custo global da obra. O BDI (Benefícios e Despesas Indiretas) deverá ser detalhado, informando quais custos estão considerados em cada um dos seus itens.

Em nota, a Secretaria Estadual de Transportes informou que sempre encaminhou ao TCU todas as explicações solicitadas e ainda não foi notificada desta nova decisão. No entanto, a Secretaria cumprirá todas as novas exigências feitas pelo órgão para viabilizar a obra sem qualquer prejuízo para o governo ou para a população. 

Dez anos de espera

O projeto da Linha 3 do metrô vem se arrastando há quase dez anos. Apesar da licitação ter sido feita em 2002, os primeiros passos para a execução do projeto só começaram a ser dados em 2008, quando a Setrans/RJ realizou todos os trâmites necessários para obtenção das licenças necessárias para a obra. Entre as ações, foram realizadas audiências públicas com as comunidades de Niterói e São Gonçalo, e levantamentos topográficos e geológicos da área entre Niterói e São Gonçalo, onde a linha será implantada.

No final daquele ano, a Secretaria de Transportes firmou com o Ministério das Cidades um convênio no valor de R$ 62,5 milhões para início dos trabalhos. A previsão era instalar o canteiro obras no início de 2009, mas, no mês de maio, o TCU realizou uma auditoria no contrato, que foi paralisado, devido a indícios de irregularidades encontradas na obra. Na sequência, a secretaria encaminhou ao TCU as explicações solicitadas pelo órgão para dar continuidade aos trabalhos para a implantação da Linha 3, mas o projeto não saiu do papel.

Metrô: Rio começa a fazer a sondagem do terreno da linha 4

21/10/2010 - Agência Rio

Da Redação

A Secretaria Estadual de Transportes e o Consórcio Construtor Rio-Barra, que é o responsável pelas obras da linha 4 do metrô, que liga a Zona Sul do Rio de Janeiro à Barra da Tijuca, na Zona Oeste, enviaram cerca de 70 cartas a residências e estabelecimentos comerciais informando sobre o início das sondagens do terreno e sobre a necessidade de vistoria nos imóveis vizinhos à obra.Nos próximos meses, equipes técnicas de engenharia vão inspecionar essas construções para garantir a integridade delas durante todo período de abertura do túnel. Nesta quinta-feira (21) uma placa informativa sobre o canteiro de obras foi instalado na Estrada da Gávea na altura do supermercado Sendas.

"Pelo lado da Barra, o túnel de serviço está progredindo bem. Em menos de dois meses já avançamos 100 metros na rocha. Em breve, teremos duas frentes de obra, para agilizar a construção da Linha 4. Estamos tomando todos os cuidados necessários para provocar o menor impacto possível na rotina das pessoas que vivem ou circulam próximo à obra", comenta o secretário de Transportes Sebastião Rodrigues.

Na frente de obras na pedra do Focinho do Cavalo, em frente às pontes sobre o Canal da Barra, mais de 200 funcionários trabalham em três turnos na detonação da rocha e retirada das pedras. Por dia, estão sendo feitas duas explosões. E, a partir do mês que vem, esse número pode aumentar, dando mais velocidade à obra, que avança mais de dois metros e meio diariamente.

Quem passa pela Avenida Armando Lombardi também já pode observar as placas de metal que estão sendo instaladas no canteiro central, em frente ao shopping Barra Point. No local, será construída a primeira estação de metrô da Barra.

Quando estiver funcionando, a Linha 4 terá seis estações ao longo de um percurso que cruzará os bairros de Ipanema, Leblon, Gávea, São Conrado até chegar na Barra. A nova linha beneficiará diretamente as pessoas que moram e trabalham em toda essa parte da Zona Oeste, que envolve também Recreio dos Bandeirantes e parte Jacarepaguá. Por dia, a Linha 4 terá capacidade para transportar 230 mil pessoas.

Metrô Rio anuncia inauguração da Estação Cidade Nova


Por: Metrô Rio
21/10/2010
Metrô Rio anuncia inauguração da Estação Cidade Nova
Na manhã de hoje, em coletiva com a imprensa, o presidente do Metrô Rio, José Gustavo de Souza Costa, anunciou oficialmente a data de inauguração da Estação Cidade Nova, que será no dia 1º de novembro. No total, a concessionária fez um investimento de R$80 milhões no projeto e na urbanização da área.
A Estação Cidade Nova foi construída com uma estrutura que garante acessibilidade total. Além de seis escadas rolantes e 12 escadas fixas, a Estação oferece seis elevadores para cadeirantes e pessoas com dificuldades de locomoção. O complexo também conta com piso podotátil, que auxilia na locomoção de deficientes visuais.
A abertura da Estação será feita em etapas, primeiro ela funcionará de segunda a sexta, das 10h às 14h. A passarela sobre a Avenida Presidente Vargas estará aberta ao público nos horários de funcionamento do Metrô (de segunda a sábado, das 7h à meia-noite; e domingos e feriados, das 7h às 23h). Os principais acessos ao complexo vão estar em pleno funcionamento: dois elevadores nas extremidades da passarela, além de duas escadas rolantes e dez escadas fixas. Os demais elevadores da passarela serão instalados até o final do ano.
Nossa previsão é que, inicialmente, circulem cerca de 10 mil passageiros/dia na Estação, sendo a maioria clientes das estações Estácio e Praça Onze. A Cidade Nova também já está preparada para permitir a ligação do Metrô com a Rodoviária Novo Rio e com a Leopoldina, onde será construído o terminal do trem de alta velocidade que ligará o Rio a São Paulo. Além disso, na Estação Cidade Nova vai favorecer a revitalização do entorno da área onde foram construídos um jardim e uma praça para a população local.

Metrô do Rio inaugura estação na Cidade Nova em novembro

21/10/2010 - G1 RJ

Cerca de 10 mil passageiros devem circular diariamente na estação.

Concessionária investiu R$ 80 milhões no projeto.

A concessionária Metrô Rio informou nesta quinta-feira (21) que no dia 1° de novembro será inaugurada a Estação Cidade Nova e a passarela sobre a Avenida Presidente Vargas, no Centro da cidade. Inicialmente cerca de 10 mil passageiros devem circular diariamente na estação.

A nova estação vai funcionar das 10h às 14h, de segunda a sexta-feira, para que sejam feitos todos os ajustes no sistema, em função da parada extra no trajeto da Linha 2. Já a passarela, vai abrir ao público de segunda a sábado, das 5h à meia-noite. Nos domingos e feriados, das 7h às 23h.

De acordo com a Metrô Rio, a concessionária investiu R$ 80 milhões no projeto e na urbanização do entorno. A estrutura terá seis escadas rolantes (quatro na estação e duas na passarela) e de doze escadas fixas (duas no mezanino da estação e dez de acesso à passarela). O complexo tem seis elevadores para cadeirantes e pessoas com dificuldade de locomoção e piso podotátil para auxiliar na locomoção de deficientes visuais.

No entanto, de acordo com a concessionária, no dia 1º de novembro, apenas dois elevadores nas extremidades da passarela, além de duas escadas rolantes e dez escadas fixas estarão funcionando. Os demais elevadores da passarela serão instalados até o final do ano.

A estação também está preparada para permitir a ligação com a Rodoviária Novo Rio e com a Estação da Leopoldina, futuro terminal do trem de alta velocidade (TAV) ligando o Rio a São Paulo.

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Agetransp instaura inquérito para apurar problema no metrô

19/10/2010 - R7

A Agetransp (Agência Reguladora de Serviços Públicos Concedidos de Transportes Aquaviários, Ferroviários, Metroviários e de Rodovias do Estado do Rio de Janeiro) informou nesta terça-feira (19) que enviou fiscalização e instaurou processo regulatório quando soube dos problemas técnicos ocorridos na concessionária Metrô Rio nesta manhã.

Segundo a concessionária, houve atrasos nos intervalos entre os trens da Linha Um por causa de ajustes operacionais desde as 11h15. 

A Agetransp informou que até as 11h40, o tráfego não havia sido normalizado e o problema estaria afetando a Linha Dois. 

O Sindicato dos Metroviários do Rio de Janeiro informou que o centro de controle do metrô, responsável pelo tráfego dos trens, não estava funcionando por volta das 11h30. Segundo a assessoria de imprensa do sindicato, não havia como os condutores monitorarem as chegadas e saídas dos trens.

O funcionamento do transporte não foi interrompido e os funcionários denunciaram que o problema poderia trazer riscos não só para eles, como também para os passageiros.

A concessionária Metrô Rio negou que o centro de controle estava fora do ar, mas admitiu os atrasos nos intervalos entre os trens da Linha Um.

Ainda segundo a empresa, a Linha Dois operava normalmente com intervalos de 6min50s por volta das 11h40.

Usuários enfrentam intervalos irregulares no metrô

19/10/2010 - O Globo - Waleska Borges

TRANSTORNO

RIO - A Linha 1 operou com intervalos irregulares por uma hora, das 11h ao meio-dia desta terça-feira. De acordo com a concessionária Metrô Rio, não houve paralisação na circulação dos trens e a Linha 2 foi afetada da Central a Botafogo.

Em nota, a Metrô Rio esclareceu que precisou fazer ajustes operacionais nas linhas 1 e 2 em função de uma falha no sistema de computadores do Centro de Controle de Tráfego (CCT). Segundo a concessionária, a ocorrência não acarretou nenhum tipo de risco.

Ainda segundo a nota, a operação das composições foi feita no sistema manual e os trens circularam em uma velocidade mais baixa, parando por mais tempo nas plataformas, "em um procedimento de segurança tradicionalmente adotado em todos os metrôs do mundo". Em nota, a Agetransp informou que enviou fiscalização e instaurou processo regulatório tão logo soube de problemas técnicos no sistema operacional.

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Filmes Antigos

Mafersa fabrica e entrega protótipos 1978
http://www.youtube.com/watch?v=eVSjQi6Uwj4

Imagens da visita do presidente as obras do metro rio e as oficinas da rffsa em Deodoro Rio de Janeiro linhas da EFCB imagens de suburbios e trole do metro.
http://www.youtube.com/watch?v=Qu4n7fEcuyw

Dois acessos da Estação Botafogo do metrô são reabertos

18/10/2010 - Sectran

A Secretaria de Estado de Transportes informa que foram reabertos nesta segunda-feira, 18/10, os últimos dois acessos da Estação Botafogo que ainda estavam em obras: São Clemente (Humaitá) e Voluntários (Mena Barreto). A concessionária Metrô Rio reformou os seis acessos da estação e instalou cobertura nos que faltavam. A reforma está prevista no pacote de investimentos acordado entre a concessionária e o Governo do Estado, que somam cerca de 1 bilhão de reais até 2014.

- Esta reforma garante muitos benefícios aos usuários da estação de Botafogo. Além das melhorias físicas nas estações, o acordo do Governo do Estado com a Metrô Rio possibilitou a compra de 114 novos carros para o sistema, que começam a chegar no ano que vem. – ressaltou o Secretário Estadual de Transportes, Sebastião Rodrigues.

A concessionária está investindo R$ 4,9 milhões na modernização em Botafogo, que prevê também a revitalização total das áreas comuns e bilheterias da estação. As obras serão concluídas até o fim de outubro. Até 2014 o metrô do Rio apresentará outras boas novidades aos usuários. Os passageiros contarão com duas novas estações: a Cidade Nova, que será inaugurada ainda este ano, e a Uruguai, quarta estão do bairro da Tijuca, que ficará pronta daqui a 3 anos. A capital fluminense já foi beneficiada com a construção da Linha 1A, ligação entre Botafogo e Pavuna sem a necessidade de baldeação na estação do Estácio.

domingo, 17 de outubro de 2010

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Trem do metrô exala fumaça e assusta passageiros na estação Flamengo

13/10/2010 - O Globo

SUSTO

RIO - Um trem do metrô exalou fumaça ao parar na estação Flamengo, no final da tarde desta quarta-feira. Os passageiros foram obrigados a desembarcar da composição, que seguia para Sans Peña, na Tijuca, provocando atrasos de até quatro minutos na operação da linha 1, por volta das 18h40m, horário de rush.

De acordo com a concessionária Metrô Rio, não houve incêndio e ninguém ficou ferido, uma vez que a estação conta com sistema de exaustão. A empresa não informou, porém, a origem da fumaça, que saiu da parte de baixo e para fora do trem, sem penetrar no interior do vagão.

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

2012 será o ano das mudanças no transporte carioca

07/10/10 - CBTU

Há menos de um ano foi implantada a linha 1-A do metrô, acabando com a baldeação na estação Estácio, mas tem sido alvo de críticas dos usuários que reclamam de confusão e aglomeração em determinadas plataformas. Houve um aumento de 70 mil usuários/dia, mas não ocorreu aumento da oferta de trens.

A partir do ano que vem haverá melhorias com a chegada de 19 trens com 114 carros, que já foram encomendados e estão em processo de fabricação na China.

Até 2012, o objetivo é reduzir os intervalos entre os trens e diminuir a aglomeração de usuários. Com o aumento do número de trens, a concessionária espera transportar mais de um milhão de passageiros diariamente; também há previsão de que já esteja definido o melhor trecho onde será feita a conexão da linha 4, que irá ligar a  Barra da Tijuca à zona sul, com a linha 2, já existente.

Prevista para o fim do ano, a inauguração da Cidade Nova já deverá proporcionar mais conforto para os usuários, pois haverá uma redistribuição de passageiros da linha 1. 

Para os trens operados pela Supervia, o governo do estado já apresenta uma melhoria para que o serviço também evolua nos próximos anos. A previsão é que até o final de agosto já circulem 30 novos trens com quatro carros. Além disso, o plano de investimentos inclui a reforma das 89 estações para as Olimpíadas de 2016, sendo que duas delas - Magalhães Bastos e Vila Militar - terão suas obras finalizadas para o evento “Jogos Mundiais Militares”, que acontecerá em julho de 2011.


Obras da Linha 4 já avançaram mais de 50 metros

06/10/2010 - Sectran

Quem passa pelo canteiro de obras da Linha 4 se surpreende com a imagem. O túnel de serviço, que começou a ser aberto há um mês, já avançou mais de 50 metros na encosta do Maciço da Tijuca, em frente ao canal da Barra. Mais de 200 funcionários estão envolvidos nesta primeira etapa. Por dia, estão sendo feitas duas detonações. E, até o final do mês, esse número pode aumentar, dando mais velocidade à obra, que avança mais de dois metros e meio diariamente.

- Já entramos bastante na rocha. E quanto mais profundo o túnel, menor o impacto das explosões para o entorno da obra. A meta é, a partir do próximo mês, avançarmos quatro metros por dia. Os trabalhos seguem todas as normas de controle e segurança, e o resultado que temos em tão pouco tempo é surpreendente, um túnel grande, com caminhões e retroescavadeiras trabalhando no interior dele – comentou o secretário de Transportes Sebastião Rodrigues, que nesta terça-feira (05/10) fez uma visita técnica ao local.

Do outro lado do Maciço da Tijuca, em São Conrado, onde no futuro haverá uma das estações da Linha 4, a Secretaria de Transportes e o consórcio Construtor RioBarra também vão iniciar uma frente de trabalho. Uma placa alertando da obra já foi instalada próximo à Rocinha no local onde funcionará o canteiro de serviços. Funcionários do Consórcio Rio Barra já começaram a enviar para os proprietários de imóveis do entorno um comunicado informando sobre o início das sondagens do terreno e sobre a necessidade de vistoria nos imóveis mais próximos a obra. Até o final do mês, também será iniciado um processo de contenção de encostas, que será o primeiro passo para a abertura do túnel partindo de São Conrado.

- Vamos trabalhar em duas frentes. Até o final do ano, já devemos iniciar as detonações a partir da Rocinha e no futuro esses dois túneis vão se encontrar. Assim, damos mais velocidade à obra. Ao mesmo tempo, vamos preparar a instalação do canteiro de obras na Armando Lombardi, para no ano que vem já iniciarmos a implantação da estação Jardim Oceânico do metrô. Essa é uma obra grande e teremos que trabalhar simultaneamente em diversas frentes – explicou o secretário de Transportes.

Os moradores e comerciantes do Jardim Oceânico também estão recebendo comunicados do consórcio avisando sobre o início das prospecções das redes de luz, gás, água esgoto e telefonia no início da Armando Lombardi. A partir desta semana, quem passa pela avenida, já pode reparar nos tapumes instalados no canteiro central na altura do shopping Barra Point.

A extensão do metrô até a Barra da Tijuca é um dos principais projetos do Governo do Estado. Serão seis novas estações ao longo de Ipanema, Leblon, Gávea, São Conrado e Barra. A nova linha beneficiará diretamente as pessoas que moram e trabalham na Barra, Recreio dos Bandeirantes, Jacarepaguá e adjacências. A Linha 4 terá capacidade para transportar 230 mil pessoas por dia, que vão poder transitar com mais conforto, rapidez e segurança.

Para esclarecer dúvidas relacionadas à obra e aos procedimentos, a Secretaria de Transportes e o Consórcio Rio Barra mantêm uma Central de Atendimento ao Público funcionando de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 17h30, no escritório da obra, na Av. Armando Lombardi, nº 30. Dúvidas podem ser esclarecidas através do telefone: (21) 2491-0821.

domingo, 26 de setembro de 2010

Nova Estação do Metrô irá Reurbanizar a área da Cidade Nova


Por: Blog Metrô Rio
31/08/2010
Nova Estação do Metrô irá Reurbanizar a área da Cidade Nova
O Metrô Rio está investindo R$80 milhões na Estação Cidade Nova, que tem como principal objetivo ajudar a reurbanizar e revitalizar o bairro. Estamos finalizando a construção da passarela de acesso, de um jardim e de uma praça para a população local. Além disso, a nova estação está sendo preparada para o futuro, e permitirá uma futura ligação com a Rodoviária Novo Rio e com a Estação Leopoldina, possível terminal do trem de alta velocidade que ligará o Rio a São Paulo.
Por causa da expansão do projeto da nova Estação, as obras estão demorando um pouco mais para serem concluídas e a previsão para a inauguração passou para outubro deste ano. A pedido da prefeitura, estendemos o prazo da obra da passarela que liga a Prefeitura à nova estação, buscando reduzir o impacto no trânsito da Av. Presidente Vargas, que precisa ser interditada em vários horários para instalação dos 5 elevadores de acesso para deficientes e pessoas com dificuldade de locomoção. Para não atrapalharmos o trânsito da região, as interdições serão feitas na maioria das vezes na madrugada.
Em breve a Estação Cidade Nova estará prontinha para você.

terça-feira, 21 de setembro de 2010

Agetransp instaura processo sobre incidente no metrô

Em Ipanema


Publicada em 20/09/2010 às 19h57m
O Globo
RIO - A Agetransp informou, na noite desta segunda-feira, que instaurou processo regulatório sobre o incidente ocorrido por volta das 18h entre as estações General Osório e Cantagalo da concessionária Metrô Rio. O trem que operava no trajeto apresentou avaria que provocou a interrupção da Linha 1. 

Segundo a Metrô Rio, um trem que saía da estação Ipanema/General Osório às 17h44m não foi liberado para dar a partida para que fossem realizadas verificações no sistema de tração. Os passageiros que já estavam no trem foram orientados a retornar para a plataforma por medida de segurança. Segundo a Metrô Rio, às 18h02m uma nova composição deu início à viagem. Ainda de acordo com a concessionária, os intervalos estão sendo normalizados na Linha 1, e a Linha 2 opera com intervalos regulares. 

domingo, 19 de setembro de 2010

Metrô inaugura ônibus para deficientes


Acessibilidade


Publicada em 10/09/2010 às 23h39m
Isabel de Araújo - O Globo
RIO - A partir de segunda-feira, o Metrô Rio vai colocar em operação dois novos ônibus totalmente adaptados nas linhas de superfície Botafogo-Gávea e Ipanema/General Osório-Gávea. Os veículos foram especialmente fabricados para a concessionária e combinam projetos de ônibus acessíveis desenvolvidos para o Chile e o México. Os modelos utilizam o conceito low entry(Piso Baixo), com uma rampa de acesso entre o piso do ônibus e a calçada.

- A facilidade é que dispensam o uso do elevador, agilizando o acesso dos cadeirantes. Os veículos também dispõem do balaústre tátil (estrutura de ferro dos assentos e da entrada do ônibus onde o passageiro se apoia) onde o deficiente visual terá informação de como entrar e sair do ônibus e do assento destinado aos deficientes - enumerou Rosa Cassar, gerente de Relações Institucionais da concessionária.

Outras diferenças são a suspensão a ar, vidros panorâmicos, câmbio eletrônico e motor traseiro que reduz o ruído que tanto incomoda os passageiros. A frota das linhas do metrô na superfície dispõe de 32 ônibus, quatro já com acessibilidade. Os demais receberão balaústre táctil até o fim do ano.

Também na segunda, por causa de obras de modernização, o acesso pela Rua Mena Barreto à estação do metrô em Botafogo será fechado por 45 dias. Ao mesmo tempo, os acessos pela Muniz Barreto e Voluntários da Pátria, que foram interditados no final de julho, serão reabertos. Além destes dois acessos, os clientes poderão chegar à estação pelas entradas da São Clemente/Praia e Nelson Mandela